SRTM

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
O SRTM foi levado em uma missão de 11 dias pelo ônibus espacial Endeavour em fevereiro de 2000.[1]
Imagem landsat sobre Elevação SRTM da NASA, mostrando a Península do Cabo e Cabo da Boa Esperança, África do Sul no primeiro plano.[1]

A Missão Topográfica Radar Shuttle (acrónimo em inglês SRTM) é uma missão espacial para obter um modelo digital do terreno da zona da Terra entre 56 °S e 60 °N, de modo a gerar uma base completa de cartas topográficas digitais terrestre de alta resolução. Contribuiu para o estudo do [Relevo do Brasil].

A SRTM consiste num sistema de radar especialmente modificado que voou a bordo do Endeavour (ônibus espacial) durante os 11 dias da missão STS-99, em Fevereiro de 2000. Para adquirir os dados de altimetria estereoscópica, a SRTM contou com dois reflectores de antenas de radar. Um reflector-antena estava separado do outro 60 m graças a um extensor que ampliava a envergadura do shuttle no espaço. A técnica utilizada conjuga software interferométrico com radares de abertura sintética (SAR).

Os modelos altimétricos estão divididos por zonas de 1º de latitude por 1º de longitude, denominados de acordo com os seus cantos sudoeste. Assim,

A resolução espacial das células nos dados fonte é de 1 arco segundo (1"), mas apenas sobre os Estados Unidos da América; para o resto do mundo, é de 3". Entretanto o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais lançou em 2008 o Topodata (Banco de Dados Geomorfométricos do Brasil), com resolução espacial igual à americana. Cada zona de lado três arcos segundo tem 1.201 x 1.201 células com valores em 16 bit (identificadas segundo o esquema little endian) [2].

Os modelos derivados dos dados da SRTM usam-se com software SIG (Sistema de Informação Geográfica). Podem aceder-se gratuitamente pela internet, e têm a extensão (.hgt).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Brasil
  • Geo.NET - tutoriais para interpretação de dados SRTM
  • http://www.dsr.inpe.br/topodata/ - Modelo Digital de Elevação (MDE) e derivações, elaborados a partir dos dados SRTM disponibilizados pelo USGS
Mundo