Sette ore di guai

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sette ore di guai
Sete Horas de Sarilhos (PT)
 Itália
1951 • pb • 84 min 
Realização Vittorio Metz
Correalização Marcello Marchesi
Argumento Marcello Marchesi
Elenco Totò, Isa Barzizza, Giulietta Masina
Género Comédia
Idioma Italiano
Página no IMDb (em inglês)

Sette ore di guai (Sete Horas de Sarilhos) é um filme italiano de 1951[1] , dirigido por Vittorio Metz e Marcello Marchesi

Estreou em Portugal a 3 de Agosto de 1953.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Totò De Pasquale (Totò) é um pequeno alfaiate que, no dia do baptismo do seu filho, recebe a visita do advogado Espinaci (Eduardo Passarelli), encarregue de lhe entregar uma notificação de apreensão dos seus bens por causa de uma dívida não paga. Quando o advogado descobre que a esposa de Pasquale (Clelia Matania) é uma velha amiga, decide adiar a aplicação da sentença. E Totó, para lhe agradar, decide convidá-lo para ser o padrinho do filho, esquecendo que já tinha um candidato, o seu irmão Matteo (Nino Milano). Poucos minutos depois descobrem que a ama (Bice Valori) perdera a criança na praça depois de uma discussão com o marido. Para que a mulher não suspeite de nada, Totò, leva-lhe um bebé de uma família vizinha, que é muito distraida. Ignorando que o bebé vem a caminho de casa nos braços de um amigo da ama, Totò, o advogado e Matteo vão a casa de uma prostituta (Isa Barzizza) e do seu chulo doido (Guido Celano). São levados erradamente a crer que a criança foi levada para o campo e partem para uma pequena povoação, onde os três se dividem e Totò encontra o que parece ser o seu filho (mas não o é). O avô da criança começa a gritar que andam por ali raptores de crianças e em pouco tempo está todo o povo em polvorosa e é por pouco que Totó escapa de ser linchado. De volta à cidade, descobre o filho já baptizado, é insultado pelo advogado (que ameaça levar a sentença até ao fim) e pela sogra (que lhe nega ajuda para pagar a dívida). Totò senta-se nos degraus da igreja, a lastimar-se, enquanto toda a gente corre atrás de um camião onde, por acidente, tinham sido colocados o seu filho e o do vizinho.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Totò: Totò De Pasquale

Carlo Campanini: signor Romolini

Isa Barzizza: Amelia

Giulietta Masina: figlia di Romolini

Clelia Matania: Angelina, signora De Pasquale

Mario Castellani: Antonino

Eduardo Passarelli: avvocato Peppino Spinaci

Guido Celano: Achille, marito geloso di Amelia

Alberto Sorrentino: Raffaele

Galeazzo Benti: Ernesto

Arturo Bragaglia: Arturo

Nino Milano: Matteo

Gildo Bocci: l'ubriaco

Gisella Monaldi: Carmela

Bice Valori: Maddalena, la balia

Ughetto Bertucci: Annibale

Carlo Mazzarella: Ludovico

Liana Del Balzo: donna Lucrezia

Gianni Baghino: commesso pasticceria

Elsa Pavani: Bettina

Andrea De Pino: signore con 5 figli

Liliana Mancini: ragazza sull'autobus

Referências

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.