Simko Shikak

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Simko Shikak

Simko Shikak (também conhecido como "Simitquh", nascido Ismail Agha Shikak em 1887 e falecido em 1930) foi um chefe da tribo curda de Shakak. Ele nasceu em uma importante família feudal curda com base em um castelo de Chihriq localizado perto do rio Baranduz na região de Úrmia no noroeste do Irã. Em 1920, partes do Azerbaijão iraniano localizadas a oeste do Lago Úrmia estavam sob seu controle.[1] Ele liderou os agricultores curdos em uma batalha e derrotou o exército iraniano em várias ocasiões.[2] O governo iraniano teve que assassiná-lo em 1930.[3] Simko participou do massacre dos assírios de Choi[4] e promoveu um massacre de 1000 assírios em Salmas.[5]

Referências

  1. C. Dahlman, "The Political Geography of Kurdistan", Eurasian Geography and Economics, pp. 271-299, No.4, Vol.43, 2002. p.283
  2. B. O'Leary, J. McGarry,The Future of Kurdistan in Iraq, University of Pennsylvania Press, 355 pp., ISBN 0-8122-1973-2 (see p.7)
  3. M. M. Gunter, The Kurdish Question in Perspective, World Affairs, pp. 197-205, No.4, Vol. 166, Spring 2004. (see p.203)
  4. John Joseph, "The Modern Assyrians of the Middle East: Encounters With Western Christian Missions, Archaeologists, and Colonial Power (Studies in Christian Mission) (Hardcover)", BRILL, 2000. p. 147: "Simko and his men had escaped to Khoi where they took part in the massacre of Christians
  5. Maria T. O'Shea, "Trapped Between the Map and Reality: Geography and Perceptions of Kurdistan", Routledge, 2004. p. 100: "Simultaneously, a 1000 Christians were killed in Salmas, in a massacre instigated by Simko."