Spin-off (empresarial)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde julho de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

Spin-off ou derivagem é um termo em inglês utilizado para descrever uma nova empresa que nasceu a partir de um grupo de pesquisa de uma empresa, universidade ou centro de pesquisa público ou privado, normalmente com o objetivo de explorar um novo produto ou serviço de alta tecnologia. É comum que estas se estabeleçam em incubadoras de empresas ou áreas de concentração de empresas de alta tecnologia.[1]

Um exemplo de transferência de tecnologia e formação de empresas de alta tecnologia é dado pelo Commercial Technology Program da NASA, que facilitou a transferência de diversas tecnologias da NASA para o setor privado. Desde 1976, o programa tem promovido a transferência de tecnologias e a sua utilização em 40 a 50 produtos comerciais por ano. [carece de fontes?].

Atualmente o Brasil conta com diversas iniciativas para facilitar a transferência de tecnologia, destacando-se as Incubadoras de Empresas instaladas em universidades e o recente esforço de formação de Parques Tecnológicos na forma de fundações ou institutos ligados às universidades.

Outro impulso a essas iniciativas foi dado pela Lei de Inovação Tecnológica, que regulamenta e incentiva a formação de empresas spin-off por membros de grupos de pesquisa de instituições públicas.

Referências