Suzuki Vitara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde outubro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo.
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Editor: considere colocar o mês e o ano da marcação. Isso pode ser feito automaticamente, substituindo esta predefinição por {{subst:rec}}


Suzuki Vitara/Gran Vitara
Suzuki-Vitara.jpg
Visão Geral
Nomes
alternativos
Chevrolet Tracker
Suzuki Sidekick
Gm Tracker
Geo Tracker
Pontiac Sunrunner
Asüna Sunrunner
Produção 1997-presente
Fabricante Cami Automotive
Modelo
Classe SUV
Carroceria Jipe
Ficha técnica
Motor Diesel, 2.0 16v, ou V6
Transmissão Manual de 5 velocidades ou Automática de 3 velocidades
Modelos relacionados
Isuzu Rodeo
Lada Niva
Daihatsu Terios Honda CRV Hyundai Tucson Chevrolet Tracker
Dimensões
Entre-eixos 2,20
Altura 1,60
Peso 1060kg
Tanque 100 litros No pota malas

390 kg 42 litros de combustível

Cronologia
Último
Último
Suzuki Samurai
Suzuki Grand Vitara
Próximo
Próximo

Vitara foi criado em parceria entre a General Motors americana e a Suzuki. A produção foi iniciada em 1989 na fabrica do Canadá pela Cami Automotive. Vendido como Geo tracker, Chevrolet Tracker e Suzuki Sidekick nos Estados Unidos, Suzuki Vitara no Brasil e Pontiac/Asüna Tracker no Canadá e Gmc Tracker no Canadá, foi vendido nas versões Conversível, Hard top e 4 Portas, com motor V6 e 4 cilindros até que em 1998 foi lançado o Suzuki Grand Vitara que substituiria o Vitara.

O nascimento do Vitara foi ocasionado por uma curiosa situação relacionada ao Suzuki Samurai, outro produto da Suzuki. O pequeno jipe, comercializado nos EUA, passou a ter alta incidência de capotagens. A NHTSA, órgão regulador da segurança de trânsito dos EUA, determinou que o veículo era inseguro e que para seguir em comercialização, deveria ser mais largo, mais longo e mais pesado. Isso forçou a Suzuki a criar um novo veículo, o Vitara.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

Introduzido no Brasil em Setembro de 1991 o Vitara teve muitos concorrentes, tais eles como Daihatsu Feroza,Daihatsu Terios 1.3 e Lada Niva. O Vitara, produzido no Japão, foi oferecido no Brasil em versões 3 e 5 portas, sendo a 3 portas disponível nas versões teto de aço e teto canvas. A versão 5 portas disponível apenas com teto de aço. O motor 1.6 8 válvulas inicialmente era carburado e desenvolvia 74 cv; a partir da versão 1993 veio com injeção eletrônica. Com 8 válvulas passou a desenvolver 80 cv. Na versão 5 portas, o motor 1.6 de 16V desenvolvia 96 cv. Houve também unidades vendidas com o nome Sidekick, essas provenientes do mercado norte-americano. Esses tinham algumas particularidades relacionadas às normas americanas. A versão 5 portas existiu até o ano 93, sendo que em 1994 passou a ser disponível apenas como nome Vitara . Há exemplares raros de Sidekick com 3 portas, teto de aço, com motor 1.6 8V, do ano 1993. Houve uma série limitada de Sidekick ano de 1995 com teto canvas, 3 portas e motor 1.6 16V. Possuía acabamento mais simples que o Vitara Canvas 1.6 8V. Diferenciava-se externamente por luzes vermelhas nas laterais traseiras, faróis dianteiros separados das luzes direcionais (essas de cor laranja) e câmbio com 5a marcha mais longa. Em todas as versões foi oferecido com câmbio manual 5 marchas, ou automático de 3 (1.6 8V) ou de 4 (1.6 16V) marchas. Possuia tração traseira com opção 4x4 (4x4H) ou reduzida (4x4L). Em torno de 1997 passou a ser oferecida a versão 5 portas com motor V6 2.5 opcional. Foi vendido no país até 1998 até que foi substituido pelo Gran Vitara. O Gran Vitara seguiu no mercado brasileiro até 2003, comercializado na Rede Suzuki na versão de 2 e 4 portas, a gasolina e a diesel (essa apenas 4 portas). O mesmo modelo veio a ser comercializado pela General Motors, a partir do ano 2001, denominado como Chevrolet Tracker, este último somente oferecido na versão a diesel. Em Meados de 2003 a Suzuki Sai do Brasil por problemas da alta do Dóllar e etc. As poucas vendas também cointribuiram, em março de 2003 a Suzuki acabou com a comercialização de veículos no Brasil.

Atualmente ainda é possivel de ver varios Suzukis, tais como Ignis e Jimny. Em 2007 a General Motors retomou a comercialização do Tracker. Importado da Argentina, para não trazer problemas para a marca o volante não possuí logotipo. O Tracker 2007 possuí o antigo motor do Grand Vitara 2.0 16v, mas só na versão 4 portas. A diferença entre o Gran Vitara seriam:

  • Lanterna traseira estilo Altezza;
  • Logotipo da GM no cofre e na frente do carro

Hoje a Suzuki retorna ao Brasil trazendo o novo Grand Vitara, com um propulsor 2.0 16v com 140cv e com preços de 89.000 a 100.000 reais

|below = Página oficial: www.chevrolet.com (Brasil  • Portugal)  • Categoria:Chevrolet |}}


Ícone de esboço Este artigo sobre automóveis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.