Tábuas Tartaras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

As Tábuas Tartaras são três tábuas decobertas na Tartária, Roménia. Mostram uma série de símbolos gravados que têm sido objecto de uma grande controvérsia entre os arqueólogos, o que segundo algumas opiniões poderá representar as primeiras formas de escrita do mundo.

Descoberta[editar | editar código-fonte]

As tábuas foram encontrados em 1961 para cerca de 30 km da cidade de Alba Iulia. Nicolae Vlassa, um arqueólogo no Museu de Cluj, revelou três tábuas com 26 símbolos, juntamente com uma pulseira e vários restos de ossos humanos ..[1] Dois dos quadros são retangulares e o terceiro circular.

Nas três, apenas um lado apresenta símbolos. Símbolos semelhantes foram encontrados em equipamentos localizados nas ruínas de Vinca na Sérvia e noutros lugares no sul do Balcãs, que podem estar relacionadas.

Referências

  1. Alasdair W. R. Whittle, Europe in the Neolithic: The Creation of New Worlds, p. 101. (Cambridge University Press, 1996)

Bibliografía[editar | editar código-fonte]

  • Haarmann, H. 1990 Writing from Old Europe. The Journal of Indo-European Studies 17
  • Makkay, J. 1969 The Late Neolithic Tordos Group of Signs. Alba Regia 10, 9-50
  • Makkay, J. 1984 Early Stamp Seals in South-East Europe. Budapest
  • Winn, Sham M. M. 1973 The Sings of the Vinca Culture
  • Winn, Sham M. M. 1981 Pre-writing in Southeast Europe: The Sign System of the Vinca culture. BAR

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]