Sérvia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Република Србија
Republika Srbija

República da Sérvia
Bandeira da Sérvia
Brasão de armas da Sérvia
Bandeira Brasão de armas
Hino nacional: Боже правде / Bože pravde
"Deus da Justiça"
Gentílico: sérvio(a)

Localização  Sérvia

Localização da Sérvia na Europa (em vermelho)
Capital Belgrado
44°48′N 20°28′E
Cidade mais populosa Belgrado
Língua oficial Sérvio¹
Governo República parlamentarista
 - Presidente Tomislav Nikolić
 - Primeiro-ministro Aleksandar Vučić
 - Presidente do Parlamento Maja Gojković
Formação  
 - Primeiro Estado século VII 
 - Independência 1878 
 - Adesão ao Reino da Iugoslávia 1918 
 - República da Iugoslávia 1945 
 - Independência 5 de junho de 2006 
Área  
 - Total 88 361 km² (110.º)
 - Água (%) 0,65
 Fronteira Hungria (norte), Romênia e Bulgária (leste), República da Macedônia e Albânia (de jure)/Cosovo (de facto) (sul), Bósnia e Herzegovina e Croácia (oeste)
População  
 - Estimativa de 2008 10 147 398 hab. (78.º)
 - Densidade 115 hab./km² (94.º)
PIB (base PPC) Estimativa de 2014
 - Total US$ 90,746 bilhões*[1]  
 - Per capita US$ 12 605[1]  
PIB (nominal) Estimativa de 2014
 - Total US$ 42,648 bilhões*[1]  
 - Per capita US$ 5 924[1]  
IDH (2013) 0,745 (77.º) – elevado[2]
Gini (2008) 24
Moeda Dinar sérvio (RSD)
Fuso horário (UTC−1: Horário da Europa Central)
 - Verão (DST) (UTC-2)
Clima Temperado Continental, Mediterrâneo
Org. internacionais ONU, OSCE, Conselho da Europa
Cód. ISO RS
Cód. Internet .rs
Cód. telef. +381
Website governamental www.srbija.gov.rs/

Mapa  Sérvia

¹ Também se fala húngaro, romeno, croata, ruteno e eslovaco na Vojvodina, além da albanês e turco no Kosovo.

A Sérvia (em sérvio: Србија, transl. Srbija), oficialmente República da Sérvia (em sérvio Република Србија, transl. Republika Srbija), é um país europeu, cuja capital é Belgrado, localizado no sudeste da Europa, na região balcânica. Faz fronteira a sudoeste com Montenegro, país do qual se separou em 2006, a oeste com a Bósnia e Herzegovina, a noroeste com a Croácia e ao sul com a Macedônia e Albânia, ao leste com a Romênia e a Bulgária e ao norte com a Hungria. A província do Kosovo, no sul, proclamou sua independência unilateralmente em 17 de Fevereiro de 2008, mas o governo sérvio não a reconhece.

É uma ex-república iugoslava, tendo integrado, até junho de 2006, uma confederação com Montenegro denominada Sérvia e Montenegro. No dia 5 de junho do mesmo ano, a Sérvia declarou sua independência, 2 dias após Montenegro ter feito o mesmo. No entanto, a Sérvia foi reconhecida como o estado sucessor da união, que por sua vez sucedia a República Federal da Jugoslávia. A 22 de dezembro de 2009 a Sérvia apresentou a candidatura oficial de adesão à União Europeia[3] .

História[editar | editar código-fonte]

O atual território da Sérvia fez parte das província romana de Ilírico e da Mésia Superior a partir do ano 29 a.C.[4] [5] . No século VII, a região foi invadida pelos sérvios, povo eslavo vindo da Galícia (Europa Central). Vassalos do Império Romano do Oriente, os sérvios se diferenciaram dos croatas por sua conversão ao cristianismo bizantino por volta de 875 e pela adopção do alfabeto cirílico. A Igreja Ortodoxa Sérvia ganhou autonomia no século XIII, quando teve São Sava como seu arcebispo.

Durante a Idade Média, o país gozou de um curto apogeu durante o reinado de Estevão Duchan (1331-1355), seguido de um rápido declínio. Após a derrota frente aos turcos na batalha de Kossovo Poliê (1389), a Sérvia não demorou a ser incorporada ao Império Otomano.

Entre 1459 e 1804, a Sérvia esteve formalmente sob o controle dos otomanos, apesar de três invasões austríacas e numerosas rebeliões. O Islão teve um período de expansão durante esta fase, levando à conversão de muitos sérvios. Estes convertidos recusavam-se a serem chamados de sérvios, adoptando a denominação de muslimani e, posteriormente, de bosníacos, uma vez que viviam majoritariamente na região conhecida como Bósnia - razão pela qual são também chamados de bósnios muçulmanos.

A Sérvia foi ainda um principado autónomo (face ao Império Austríaco) entre 1817 e 1878, um principado independente entre 1878 e 1882 e um reino independente entre 1882 e 1918. No início do século XX, lutava para formar a "Grande Sérvia", um Estado envolvendo toda a região balcânica. Como resultado das Guerras balcânicas (1912-1913), anexou a Macedónia e o Kosovo. Durante a Primeira Guerra Mundial, teve uma atuação destacada, e a partir de 1918 passou a ser um dos Estados integrantes do Reino da Jugoslávia (que se converteu em República Socialista após 1945), tomando o nome de República Socialista Federal da Iugoslávia em 1963. Em 2003, passou-se a denominar Sérvia e Montenegro. E em 2006, após uma votação para a independência do Montenegro, consumou-se enfim a dissolução formal da federação. A 17 de fevereiro de 2008, o parlamento de Kosovo aprovou, unilateralmente, a declaração da independência da província feita pelo primeiro-ministro kosovar Hashim Thaçi durante uma sessão especial na capital, Pristina. A sessão contou com a presença de 104 parlamentares.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A Sérvia situa-se nos Bálcãs (uma região histórica e geograficamente distinta do sudeste da Europa) e na Panónia (uma região da Europa Central). Faz fronteira com a Albânia, o Montenegro, a Bósnia e Herzegovina, a Bulgária, a Croácia, a Hungria, a República da Macedónia, e a Roménia. A Sérvia não tem saída ao mar, se bem que o rio Danúbio proporcione o acesso de barco até à Europa central e ao mar Negro.

O território da Sérvia abrange desde os planos, ricos, férteis da região nortenha de Vojvodina, montanhas de rocha de calcário e vales a leste, e, a sudeste, montanhas e colinas antigas. O norte é dominado pelo rio Danúbio. Um afluente, o rio Morava, atravessa as regiões mais montanhosas do sul.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima sérvio varia entre o clima continental no norte, com invernos frios, e verões quentes, úmidos com padrões de precipitação bem distribuídos, e um clima mais mediterrânico no sul com Verões e Outonos quentes, secos e invernos relativamente frios com fortes nevões no interior.

Cidades[editar | editar código-fonte]

Principais cidades (com mais de 100,000 habitantes) - 2002 dados dos censos, para Kosovo e Metohija actualmente World Gazetteer estimativa (não oficial):

  • Belgrado (Beograd): 1 273 651 (área dentro da cidade); 1 576 124 (com subúrbios)
  • Novi Sad: 215 659 (298 139 maior área metropolitana)
  • Priština: entre 200 000 (2002, estimativa) e 262 686 (2006, estimativa)
  • Niš: 173, 724 (250 518 maior área metropolitana)
  • Kragujevac: 147 473 (180.252 maior área metropolitana)
  • Prizren: entre 121 000 (2002, estimativa) e 165 227 (2006, estimativa)
  • Subotica: 99 471 (147 758 maior área metropolitana)

Parques nacionais[editar | editar código-fonte]

A Sérvia tem cinco parques nacionais:

Demografia[editar | editar código-fonte]

Sérvia está povoada maioritariamente por Sérvios. As minorias significativas incluem os Albaneses (maioria na província de Kosovo-Metohija), Húngaros, Bósnios, Ciganos, Croatas, Eslovacos, Búlgaros e Romenos.

A Sérvia está formada por três territórios: a província de Kosovo e Metohija, a província de Vojvodina e Sérvia Central (em sérvio, Централна Србија o Centralna Srbija). As províncias são etnicamente muito heterogêneas, resultado da divisão histórica do país entre o Império Otomano, muçulmano, no sul, e a Áustria-Hungria, cristãos católicos, no norte do país.

Governo e política[editar | editar código-fonte]

Em 4 de Fevereiro de 2003, o parlamento da República Federal da Jugoslávia acordou uma forma mais ténue de cooperação entre a Sérvia e Montenegro dentro da união de estados chamada Sérvia e Montenegro. A união terminou a seguir às declarações de independência montenegrina e sérvia em Junho de 2006.

Após a destituição de Slobodan Milošević em 5 de Outubro de 2000, o país foi governado pela Oposição Democrática da Sérvia. As tensões aumentaram gradualmente dentro da coligação até que o Partido Democrático da Sérvia (DSS) deixou o governo, abandonando o Partido Democrático (DS) em pleno exercício. Mesmo assim, em Março de 2004, o DSS reuniu suporte suficiente para formar o novo Governo da Sérvia, juntamente com o G17 Plus e a coligação SPO-NS, e o pacto do Partido Socialista da Sérvia, que não faz parte do governo. O Primeiro ministro da Sérvia é Vojislav Koštunica, líder do Partido Democrático da Sérvia.

O actual Presidente da Sérvia é Boris Tadić, líder do Partido Democrático (DS). Foi eleito com 53% dos votos na segunda volta da eleições presidenciais Sérvias realizadas em 27 de Junho de 2004, depois de várias eleições mal sucedidas desde 2002, sendo, por fim, reeleito presidente em 3 de fevereiro de 2008. Recentemente foi feito uma pesquisa em que se diz que 64% da população servia é a favor da restauração de uma Monarquia Parlamentar constitucional.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Subivisões da Sérvia.

A Sérvia é composta de 108 municípios e uma província autônoma, a Voivodina ao norte (com 54 municípios). O governo da Sérvia não reconhece a independência do Kosovo ao sul (que possui trinta municípios), considerando-o uma outra província autônoma.

A parte da Sérvia que não é nem Kosovo nem Voivodina é chamada de Sérvia Central, que não é uma divisão administrativa como a província de Voivodina, não possuindo governo regional próprio.

Economia[editar | editar código-fonte]

Com um PIB estimado para 2008 em US$ 58,170 bilhões[6] (US$ 7,724 per capita,[6] PPC), a República da Sérvia é considerada uma economia média emergente pelo Banco Mundial.[7] O IDE (Investimento Directo Estrangeiro) em 2006 foi de US$ 5,85 bilhões. Em 2007 houve um recuo, para US$ 4,2 bilhões.O PIB apresentou um crescimento de 8.4% em 2004, 6.2% em 2005, 5.4% em 2006, 5% em 2007, e 5,5%, em 2008, caracterizando-se como um dos crescimentos econômicos mais rápidos da região.[6]

No início do processo de transição do socialismo para o capitalismo (1989), as suas perspectivas económicas favoráveis foram prejudicadas pela instabilidade política, pelos graves efeitos das sanções impostas pela ONU de 1992-95, e pela destruição de parte da infra-estrutura e parque industrial, todas estas sofridas durante a Guerra da Bósnia. Seus problemas só foram agravados por perder os mercados da ex-Jugoslávia e Comecon. Depois do afastamento do antigo presidente jugoslavo Slobodan Milošević, em outubro de 2000, o país experimentou um crescimento económico mais rápido, e tem se preparando para aderir à União Europeia, o seu mais importante parceiro comercial, ainda que não haja uma data prevista para tal adesão.

A recuperação da economia ainda enfrenta muitos problemas, entre os quais uma taxa de desemprego que beira os 20%,[8] considerável défice comercial e endividamento nacional. A Sérvia tem sido por vezes chamado de "tigre dos Balcãs" por causa de suas recentes altas taxas de crescimento económico, o qual média 6,1% (nos últimos cinco anos), com o seu IDE em níveis recorde.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

A Educação na Sérvia é regulada pelo Ministério Sérvio da Educação e do Desporto.

A Educação começa ou em pré-escolas ou em escolas primárias. As crianças são matriculadas na escola primária (Sérvias: Osnovna škola) aos 7 anos de idade e permanecem durante oito anos.

Catedral de São Sava, em Belgrado, a maior igreja ortodoxa do mundo

Turismo[editar | editar código-fonte]

O turismo na Sérvia baseia-se maioritariamente nas montanhas e nas aldeias. As estâncias mais conhecidas nas montanhas são as de Zlatibor, Kopaonik, e a de Tara. Também existem inúmeros spas na Sérvia, dos quais um dos maiores é o Vrnjačka Banja. Também existe um turismo expressivo em Belgrado e Novi Sad (a capital da província da Voivodina), bem como no Festival Exit e o festival de trompetes de Guča.

Cultura[editar | editar código-fonte]

A Guzla, instrumento musical nacional sérvio.

A Sérvia é um dos países culturalmente mais diversificados da Europa. As fronteiras entre grandes impérios percorreram o território da Sérvia actual durante longos períodos da história: entre a metade Oriental e Ocidental do Império Romano; e entre o Império Otomano e o Império Austríaco (mais tarde Áustria-Hungria). Como resultado, enquanto o Norte é culturalmente mais como a Europa Central, o Sul é mais Oriental. Evidentemente, ambas as regiões influenciaram-se mutuamente, pelo que a distinção entre Norte e Sul é de certa forma artificial.

A influência do Império Bizantino sobre a Sérvia foi talvez a mais significativa. Os Sérvios são Cristãos Ortodoxos, com a sua própria Igreja nacional - a Igreja Ortodoxa Sérvia. Usam ambos os alfabetos, o Cirílico e o latino, resultante da influência Oriental e Ocidental. Os mosteiros da Sérvia, construídos principalmente na Idade Média, são uns dos traços mais valiosos e visíveis da Sérvia Medieval juntamente com o Bizâncio, mas também com a Europa Românica (Ocidental) que a Sérvia tinha uma forte ligação na idade média.

Cinema[editar | editar código-fonte]

Recentemente a Sérvia destacou-se no cinema com o polêmico filme de terror A Serbian Film, que possui cenas fortíssimas de sexo, violência, necrofilia e pedofilia sendo ao mesmo tempo comentada, banida em vários países[9] [10] [11] e premiada em festivais de cinema.[12] [13] [14]

Desportos[editar | editar código-fonte]

O Cinco vezes campeão do Grand Slam Novak Đoković.

Os desportos mais populares entre os sérvios são o futebol, o voleibol e o basquetebol. Nos últimos anos, o polo aquático e o tênis têm-se popularizado.

Como Jugoslávia, na Copa do Mundo de futebol conseguiu ficar em terceiro lugar em 1930, no Uruguai, além de quarto lugar em 1962, no Chile. Já na Eurocopa, conseguiu o vice-campeonato em 1960, na França, e em 1968, na Itália, além de quarto lugar em 1976, quando foi país-sede. No país, existem dois times de grande porte: o Estrela Vermelha (campeão mundial e campeão europeu em 1991) e o Partizan (vice em 1966).

Também como Jugoslávia, ganhou a medalha de ouro no vôlei masculino nos jogos olímpicos de Sidney-2000 e bronze em Atlanta-1996, além de prata no Campeonato Mundial de 1998 em Tóquio, bronze na Copa do Mundo em 2003 e bronze no Campeonato Mundial de Voleibol Feminino de 2006 em Osaka.

Ainda como Jugoslávia, ganhou a medalha de ouro no basquetebol masculino nos jogos olímpicos em Moscou-1980, prata na Cidade do México-1968, Montreal-1976, Seul-1988 e Atlanta-1996, e bronze em Los Angeles-1984. No feminino ganhou prata em Seul-1988 e bronze em Moscou-1980. É também o maior vencedor do Campeonato Mundial masculino, ganhando em 1970, 1978, 1990, 1998 e 2002, além de ficar em segundo em 1963, 1967 e 1974, e terceiro em 1982 e 1986. No feminino, ficou em segundo lugar em 1990. No Campeonato Europeu, venceu em 8 oportunidades (1973/1975/1977, 1989/1991, 1995/1997 e 2001).

Já no tênis, o país revelou nos últimos anos jogadores de destaque mundial:

Referências

  1. a b c d Fundo Monetário Internacional (FMI): World Economic Outlook Database (Outubro de 2014). Visitado em 29 de outubro de 2014.
  2. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD): Human Development Report 2014 (em inglês) (24 de julho de 2014). Visitado em 2 de agosto de 2014.
  3. Diário de Noticias Online Sérvios dão mais um passo rumo à UE
  4. In: Vladislav Popović. Título não preenchido. Favor adicionar. [S.l.: s.n.].
  5. History (Ancient Period) Official website. Visitado em 20 de maio de 20122.
  6. a b c FMI, Dados econômicos da Sérvia de 2004 a 2008. (em inglês)
  7. Banco Mundial, Economias emergentes. (em inglês)
  8. UOL Últimas notícias, Dados gerais sobre a Sérvia
  9. (em inglês) A Serbian Film, Raindance Film Festival listing, Raindance. Visitado em 2010-04-10.
  10. Justiça censura exibição de controverso A Serbian Film – Terror sem Limites. Cineclick, 23 de julho de 2011
  11. Exibição de longa sérvio foi proibida e cópia, apreendida. Correio do Povo, 23 de julho de 2011
  12. [1]
  13. [2]
  14. [3]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Sérvia

Governo

Cidades

Economia

Turismo

Transportes

Bandeira da Sérvia Sérvia
Bandeira • Brasão • Hino • Culinária • Cultura • Demografia • Forças Armadas • Geografia • História • Portal • Política • Subdivisões • Turismo • Imagens