Montenegro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Црна Гора (Crna Gora)
Montenegro
Bandeira de Montenegro
Brasão de Montenegro
Bandeira Brasão de armas
Hino nacional: Oj, svijetla majska zoro (Oh , clara alvorada de maio)
Gentílico: Montenegrino

Localização de Montenegro

Capital Podgorica
42°47′N 19°28′E
Cidade mais populosa Podgorica
Língua oficial Montenegrino
Governo República parlamentarista
 - Presidente Filip Vujanović
 - Primeiro-ministro Milo Đukanović
 - Presidente do Parlamento Ranko Krivokapić
Independência da Sérvia 
 - Data (declarada) 3 de Junho de 2006 
 - Reconhecida 5 de Junho de 2006 
Área  
 - Total 13.810 km² (160.º)
 - Água (%) 1,5
 Fronteira Albânia, Cosovo, Bósnia e Herzegovina, Croácia e Sérvia
População  
 - Estimativa de 2007 684.736 hab. (162.º)
 - Censo 2003 620.145 hab. 
 - Densidade 50 hab./km² (121.º)
PIB (base PPC) Estimativa de 2006
 - Total US$ 6,944 bilhões (146.º)
 - Per capita US$ 13.958 (56.º)
IDH (2010) 0,769 (49.º) – elevado[1]
Moeda Euro (EUR)
Fuso horário CET (UTC+1)
 - Verão (DST) CEST (UTC+2)
Org. internacionais ONU
Cód. ISO MNE
Cód. Internet .me
Cód. telef. ++382
Website governamental http://www.gov.me/

Montenegro (em servo-croata Crna Gora ou Црна Гора, literalmente "montanha negra") é uma pequena e montanhosa república situada nos Balcãs, no Sudeste da Europa, fazendo fronteira com o Mar Adriático a Sudoeste, com a Albânia e o Kosovo a Sudeste, com a Bósnia e Herzegovina e uma pequena fronteira com a Croácia a Oeste, e com a Sérvia a Norte. A sua capital é a cidade de Podgorica.

Entre 1945 e 1991 e desde então até 2003 foi uma das repúblicas constituintes da República Socialista da Jugoslávia e da República Federal da Jugoslávia, respectivamente; desde então e até Junho de 2006, foi uma das duas repúblicas que integraram o Estado da Sérvia e Montenegro.

Em 21 de Maio de 2006 realizou-se um referendo para determinar a vontade do povo de se tornar independente ou de manter a união com a Sérvia. Os resultados indicaram que 55.5% dos eleitores haviam escolhido a independência, poucos décimos acima dos 55% requeridos pelo referendo. Em 3 de Junho de 2006 o parlamento montenegrino declarou oficialmente a independência do novo país, mas só obteve aceitação da ONU dia 28 de Junho.

Atualmente, Montenegro está em pré-negociação para entrar na União Europeia.

História[editar | editar código-fonte]

Nicolau I de Montenegro, o único rei de Montenegro.
Proclamação do Reino de Montenegro, em 28 de agosto de 1910.

Durante muito tempo, o Montenegro constituiu um principado autónomo face ao poder hegemónico que o Império Otomano exercia nos Balcãs. A sua independência foi formalmente reconhecida pelo Tratado de Berlim de 1878 (que também reconheceu a independência da Bulgária, da Roménia e da vizinha Sérvia).

Em 1910, o príncipe Nicolau proclamou-se rei. No entanto, o reino do Montenegro existiu durante apenas oito anos. Com o fim da Primeira Guerra Mundial, em 1918, o Montenegro foi integrado no Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos (não havendo no nome do estado qualquer referência aos montenegrinos, assim como aos bósnios ou aos macedónios), o qual se tornou em 1929 o reino da Jugoslávia.

Durante a Segunda Guerra Mundial, os guerrilheiros de Tito procuraram refúgio nas suas montanhas, e quando em 1944 a região foi libertada, o Montenegro tornou-se uma das seis repúblicas constituintes da República Socialista da Jugoslávia. Com o fim desta entidade no início da década de 90, quatro das repúblicas secederam e tornaram-se independentes; somente a Sérvia e o Montenegro lhe deram continuidade, formando a nova República Federal da Jugoslávia, governada por Slobodan Milošević, e com um grande predomínio da entidade sérvia dentro da federação.

Em 1992, no último referendo ocorrido para discutir a união com a Sérvia, cerca de 96% dos votos foram favoráveis a essa alternativa, ainda que apenas 66% da população tenha ido às urnas (as minorias muçulmana e católica, assim como alguns montenegrinos que não se reviam nessa união, boicotaram o referendo). De notar também que as condições de voto eram desiguais e injustas, tendo havido mesmo pessoas que votaram nas ruas. No entanto, desde então muitas coisas mudaram, e hoje a cena política montenegrina é significativamente diferente.

Desde 1996 que o governo de Milo Đukanović isolou de facto o Montenegro da Sérvia (então sob o governo de Slobodan Milošević) em vários aspectos. O Montenegro desenvolveu uma política económica independente da sérvia, e trocou o dinar pelo marco alemão; actualmente, usa como moeda o euro, ainda que a república não esteja integrada nem na União Europeia nem na Eurolândia.

O governo montenegrino tem vindo desde então a desenvolver uma política predominantemente pró-independentista. No entanto, sucessivos referendos acerca dessa matéria foram adiados, pelo que muitos apoiantes da independência começaram a perder a esperança na sua causa.

Em 2002 a Sérvia e o Montenegro assinaram um novo acordo no tocante à cooperação dentro da federação. No ano seguinte, com o patrocínio da União Europeia, o país Jugoslávia desapareceu formalmente dos mapas e deu lugar a um nova entidade chamada Sérvia e Montenegro, com o projeto de o Montenegro realizar um referendo sobre a independência até 2006.

O governo de Đukanović; tem entretanto estado sob intensa pressão, devido a escândalos envolvendo, designadamente, o tráfico de mulheres moldavas. O Escândalo Moldavo, como foi chamado na mídia montenegrina, envolveu mesmo altas figuras da República, como Zoran Piperovic.

Independência da Nação[editar | editar código-fonte]

Preparação para o referendo[editar | editar código-fonte]

Em 12 de Julho de 2004, o parlamento montenegrino adoptou uma nova bandeira, hino e dia nacional, como parte do programa de crescente independentização face à Sérvia. A nova bandeira é idêntica à do antigo Reino do Montenegro, vermelha com uma bordadura de amarelo, e carregada ao centro com as armas de Nicolau I (diferindo desta apenas pela inexistência do monograma NI, das inicias do nome do soberano, presentes no antigo brasão de armas).

O 13 de Julho foi decretado o dia nacional, para comemorar o preciso dia em que, pelo Tratado de Berlim, o Montenegro foi reconhecido como o 27.º[carece de fontes?] Estado independente do Mundo.

O parlamento escolheu também o popular Oj, svijetla majska zoro (Oh, brilhante alvorecer de Maio) como hino nacional montenegrino.

O Montenegro realizou um referendo no dia 21 de Maio de 2006 para determinar se se tornaria um estado independente ou se continuaria a fazer parte da actual união com a Sérvia. A independência do Montenegro saiu vencedora por 55,5% dos votos, 0,5% acima do limite mínimo exigido pela União Europeia para reconhecer o novo estado.

A Independência[editar | editar código-fonte]

No dia 3 de junho de 2006, Montenegro declarou sua independência à Sérvia, e no dia 5 de junho, a Sérvia declarou independência, pondo fim ao ex-estado europeu da Sérvia e Montenegro.

O pequeno Estado balcânico do Montenegro tornou-se no dia 28 de Junho de 2006 o 192º país-membro da ONU (Organização das Nações Unidas), menos de um mês depois de ter proclamado sua independência.

A independência do Montenegro foi reconhecida pela União Europeia, Estados Unidos, China, Rússia e outros países.

Geografia[editar | editar código-fonte]

As Bocas de Cattaro são a maior baía de Montenegro.

O Montenegro é uma pequena e montanhosa república situada nos Balcãs, no Sudeste da Europa, fazendo fronteira com o Mar Adriático a Sudoeste, com a Albânia e o Kosovo a Sudeste, com a Bósnia e Herzegovina e uma pequena fronteira com a Croácia a Oeste, e com a Sérvia a Norte. A sua capital é a cidade de Podgorica.

Algumas das maiores cidades em Montenegro são:

Nikšić, segunda maior cidade montenegrina.

O relevo montenegrino varia de altos picos montanhosos nas fronteiras com Albânia e Sérvia, passando por segmentos de Carste no Oeste da Península Balcânica, até uma estreita faixa plana no litoral. A parte plana transforma-se abruptamente nas montanhas presentes à beira da Baía de Kotor como o Monte Lovćen e o Monte Orjen.

A principal região de Carste em Montenegro alcança em média elevações de 1.000 metros acima da linha do nível do mar; entretanto, em algumas partes, chegam bem próximos de 2.000 metros, como o Monte Orjen (1.894 m), o maior maciço entre a cadeia de montanhas da costa montenegrina. O vale do Rio Zeta, possui o mais baixo segmento, alcançando cerca de 500 metros.

As montanhas de Montenegro incluem algumas das áreas mais acidentadas na Europa. Elas possuem média superior a 2.000 metros em elevação. Um dos cumes mais carcterísticos é o Bobotov Kuk nas montanhas Durmitor, cuja altura chega a 2.522 metros. A cadeia de montanhas dessa região foi uma das mais erodidas na Península Balkanica durante o último período glacial.

  • Praia mais longa: Velika Plaža, Ulcinj — 13.000 m
  • Pico mais alto: Zla Kolata, Prokletije at 2.534 m
  • Maior Lago: Lago Skadar — 391 km² de superfície
  • Canyon mais profundo: Canyon do Rio Tara — 1.300 m
  • Maior Baía: Baía de Kotor
  • Parques Nacionais: Durmitor — 390 km², Lovćen — 64 km², Biogradska Gora — 54 km², Lago Scutari — 400 km²
  • Patrimônios Mundiais da UNESCO: Canyon do Rio Tara e Durmitor, cidade antiga de Kotor.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Mapa étnico de Montenegro, segundo o censo do ano 2003.

A composição étnica de Montenegro, segundo o censo de 2003, assim se distribui:

O estatuto dos montenegrinos enquanto grupo étnico diferenciado dos sérvios é matéria de controvérsia entre os especialistas.

De acordo com a Constituição de Montenegro, a língua oficial é o sérvio, na forma ijekavian. Segundo o censo de 2003, mais de 60% da população afirmava usar o sérvio como língua materna, enquanto que apenas 21,53% declarou o montenegrino. Os dialectos usados são iguais, e muito semelhantes aos que os sérvios usam na Bósnia e Herzegovina.

Religião[editar | editar código-fonte]

Igreja em Cetinje, Montenegro

Quanto à religião, em 2003, aquando dos censos realizados, 77,7% dos montenegrinos declararam-se cristãos, na sua maioria seguidores da Igreja Ortodoxa (74,2%), segue-se a comunidade muçulmana (17,7%) e os seguidores da Igreja Católica Romana (3,5%). Outras religiões são seguidas por 0,6% da população, 1% declaram-se ateus e a religião de 3% da população do Montenegro é desconhecida.[2]

Resumindo, os maiores grupos religiosos do país são:

  • Igreja Ortodoxa - 460,383 (74.24%)
  • Islão - 110,034 (17.74%)
  • Igreja Católica Romana - 21,972 (3.54%)

Cidades mais populosas[editar | editar código-fonte]

Política[editar | editar código-fonte]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Montenegro é dividido em 21 municípios, que são:

Os municípios de Montenegro.

Economia[editar | editar código-fonte]

Apesar de não pertencer à União Europeia, o Montenegro resolveu adotar o Euro como moeda após sua independência, em 2006. Durante o domínio iugoslavo, o país experimentou uma rápida urbanização e industrialização, apoiada na geração de energia hidrelétrica, na mineração (alumínio, carvão etc.), na indústria florestal e na indústria têxtil. A isto somou-se a industrialização de cigarros e ao turismo, em fins da década de 1980. Montenegro ainda não tem uma unidade monetária definida. A introdução do euro foi priorizada em 2002 e o Marco alemão foi a moeda de facto em todas as transações privadas e bancos.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Turismo em Montenegro[editar | editar código-fonte]

Montenegro tem como uma de suas principais atividades econômicas atuais, o turismo. Pelas suas costas pitorescas, suas regiões montanhosas exuberantes e por sua excelente posição estratégica em plenos Bálcãs, Montenegro é um destino altamente procurado pelos turistas no Leste Europeu. Durante o regime em que o país estava sob domínio iugoslavo, principalmente nos anos oitenta, o turismo no país passou a ser investido e essa área cresceu rapidamente no setor financeiro. A belíssima e incrível cidade de Kotor, as bocas de Cattaro e a preservada cidade histórica de Budva são os destaques do país na região da costa norte. Na região da costa sul, vale a pena visitar a cidadezinha de Ulcinj, a magnífica cidade de Bar e o exburante Lago Escútare. Na região central, seus pontos turísticos mais surpreendentes são: o Monastério de Ostrog, a cidade histórica de Cetinje e o monte Lovćen, uma formidável montanha. E, finalmente, na região norte, o parque nacional de Durmitor e a floresta exuberante de Biogradska Gora são seus destaques principais.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Montenegro

Referências

  1. Ranking do IDH 2010. PNUD. Página visitada em 4 de novembro de 2010.
  2. CIA Factbook

Ver também[editar | editar código-fonte]


Flag map of Montenegro.svg Montenegro
História • Política • Subdivisões • Geografia • Economia • Demografia • Cultura • Turismo • Portal • Imagens