Boxe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Boxe
Os boxeadores Ricardo Dominguez (esquerda) e Rafael Ortiz (direita).
Informação geral
Prática Esporte de combate
Foco Golpes
Dureza Contato pleno
Outras informações
Esporte olímpico Sim
Cronologia das artes marciais  · Lista de artes marciais  · Projeto Artes Marciais

O boxe ou pugilismo é um esporte de combate, no qual os lutadores usam apenas os punhos, tanto para a defesa, quanto para o ataque. A palavra deriva do inglês to box, que significa bater, ou pugilismo (bater com os punhos), expressão utilizada na Inglaterra entre 1000 e 1850.

História Do Boxe[editar | editar código-fonte]

Jovens lutam boxe. Afresco da Civilização Minoica, em Acrotíri, Santorini, cerca de 1500 a.C.

Remontando aos séculos XVIII e XIX, quando de seu nascimento na Inglaterra, o boxe era praticado com as mãos nuas. Essas lutas com as mãos descobertas eram frequentemente brutais, de modo que o boxe acabou sofrendo intensas mudanças em 1867, com a formulação das Regras de Queensberry, que previam rounds de três minutos, separados por um intervalo de um minuto, além do uso obrigatório das luvas. Essas regras entraram em vigor em 1872.

O boxe foi primeiramente considerado um desporto olímpico em 688 a.C., na 23ª olimpíada da antiguidade; seu vencedor foi Onomasto de Esmirna, que foi quem definiu as regras do esporte.[1] Posteriormente, quando houve o ressurgimento dos Jogos Olímpicos da Era Moderna, nas Olimpíadas de 1896, em Atenas, o boxe não foi incluído como uma das modalidades da competição.[2] O boxe então somente retornou nas Olimpíadas de 1904, a terceira da Era Moderna, em St. Louis, e desde então foi praticado em todas suas edições posteriores, com exceção às Olimpíadas de 1912, em Estocolmo.

O muay thai (lit. boxe tailandês) descende de uma arte marcial tailandesa chamada muay boran (lit. boxe antigo), que incorporou regras e movimentos do boxe inglês. Os golpes dados com os punhos são praticamente os mesmos, porém em uma luta de muay thai é permitido usar os cotovelos, os joelhos e as canelas para golpear os adversários.

Golpes[editar | editar código-fonte]

  • Jab ou jabe: Golpe frontal com o punho que está a frente na guarda.
  • Direto: Golpe frontal com o punho que está atrás na guarda.
  • Cruzado: Golpe desferido pelo lado para acertar a lateral do oponente.
  • Hook: Golpe desferido em movimento curvo do punho
  • Uppercut: golpe desferido de baixo para cima visando atingir o queixo do oponente.
  • Jab-direto: desfere-se socos com ambas as mãos uma após a outra.
Exemplo de um gancho de direita.

Nocaute[editar | editar código-fonte]

O nocaute, ou knockout (KO) na língua inglesa, ocorre quando um dos lutadores aplica um golpe que derruba seu adversário no chão, incapacitando-o de terminar o combate. Caso o lutador esteja visivelmente atordoado pelos golpes do adversário, mas ainda permaneça de pé, o juiz pode interromper a luta, o que configura um nocaute técnico, no inglês technical knockout (TKO).

Golpes baixos[editar | editar código-fonte]

Os golpes baixos são os aplicados abaixo da cintura e não são permitidos no boxe. Se o outro adversário bater em uma dessas partes, o mesmo será advertido e, na reincidência, poderá ser eliminado, a critério do árbitro.

Os golpes permitidos são os aplicados na parte frontal do adversário, como no rosto e no abdome.

Sparring[editar | editar código-fonte]

Sparring é o pugilista que ajuda no treinamento de um outro pugilista. Muitos lutadores profissionais começam suas carreiras como sparring, antes de se profissionalizarem.

Alguns exemplos de sparrings, que depois vieram a se tornar campeões incluem: Larry Holmes, sparring de Muhammad Ali; Oscar de la Hoya, sparring de Julio Cesar Chavez; e Riddick Bowe, sparring de Evander Holyfield.

Categorias[editar | editar código-fonte]

Os pugilistas são divididos em categorias, de acordo com seus pesos. Atualmente existem dezessete categorias reconhecidas no boxe profissional e onze no boxe amador.

Organização das lutas[editar | editar código-fonte]

Combate de boxe.

As entidades de boxe são as responsáveis pela organização das lutas desde 1910, quando foi criada a União Internacional de Boxe (UIB), em Paris.

Posteriormente, outras entidades surgiram, outras deixaram de existir ou se fundiram a novas entidades, até que nos dias atuais temos em vigor cinc grandes entidades:

Além dessas, existe ainda a Associação Internacional de Boxe Amador (AIBA), que regulamenta as lutas olímpicas. No Brasil, existe a Confederação Brasileira de Boxe.

Campeões do mundo[editar | editar código-fonte]

Os campeões mundiais de boxe remontam até os primórdios de sua criação no século XVIII, na Inglaterra, quando o boxeador James Figg foi reconhecido como o primeiro campeão de boxe.

Os campeões mundiais de boxe modernos foram divididos por categorias de peso, próximo ao final do século XIX, sendo que inicialmente os boxeadores encontravam-se distribuídos em apenas cinco categorias: peso-pesado, peso-médio, peso-leve, peso-pena e peso-galo. Mais tarde, ao longo do tempo, novas categorias de peso foram sendo acrescentadas.

Posteriormente à criação das entidades mundias de boxe, já durante o século XX, os campeões mundiais também passaram a ser divididos por diferentes cinturões mundiais.

O boxe amador é disputado nas Olimpíadas desde 1904, com exceção à de 1912.

Pugilistas famosos[editar | editar código-fonte]

Os maiores boxeadores de todos os tempos estão imortalizados no "Hall da Fama" de duas instituições reconhecidas internacionalmente.

Entre tantos outros renomados pugilistas, o "Hall da Fama do Boxe" contempla nomes como os de Rocky Marciano, Muhammad Ali, Floyd Patterson, Jack Johnson, Sugar Ray Robinson, Bob Satterfield, Jake LaMotta, Jersey Walcott, Joe Louis, Max Schmeling, Jack Dempsey, Max Baer, Larry Holmes, Joe Frazier, George Foreman, Sonny Liston, Ken Norton, Julio César Chávez, Lennox Lewis, Evander Holyfield e Mike Tyson.

Somente um pugilista brasileiro figura no "Hall da Fama" — Éder Jofre. No entanto, ao longo dos anos, outros pugilistas brasileiros também se tornaram notórios, tais como Servílio de Oliveira, Maguila, Miguel de Oliveira, Popó e Valdemir Pereira, o "Sertão".

Referências

  1. Eusébio de Cesareia, Crônica, 70, As olimpíadas gregas, Lista das olimpíadas desde a primeira até a 247ª, quando Antonino filho de Severo era imperador dos romanos
  2. Federação Rio-Grandense de Pugilismo. Grandes eventos do boxe olímpico. Página visitada em 15 de julho de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Boxe