Esporte no Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde dezembro de 2012). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Estádio do Maracanã. O futebol é o esporte mais popular no Brasil.[1]

O esporte no Brasil é praticado em diversas modalidades e organizado por confederações nacionais de esportes, sendo a principal o Comitê Olímpico Brasileiro. O futebol é o mais praticado no país.[2] [3]

Vários esportes nasceram no país,[4] entre eles a Peteca,[5] o Sandboard,[6] o Frescobol,[7] o Futebol de praia,[8] o Futsal (versão oficial do futebol indoor),[9] o Footsack,[10] o Biribol,[11] o Futetênis[12] [13] o Acquaride,[14] [15] [16] e o Futevôlei.[17] Nas artes marciais, os brasileiros têm desenvolvido a Capoeira,[18] o Vale-tudo,[19] e o Jiu-jitsu brasileiro.[20]

Outros esportes de considerável popularidade são: Basquete, Vôlei, Automobilismo, Judô e Tênis. A prática amadora de esportes é muito popular e os clubes são os maiores promotores. Além das organizações privadas, vários governos estaduais e municipais mantém estruturas esportivas tanto para a prática amadora, na forma de lazer, quanto na organização profissional em estádios e outras estruturas.

Nos últimos anos, as delegações que representam o país em competições como os Jogos Pan-americanos e os Jogos Olímpicos vêm melhorando seu desempenho. Em 2007, o Rio de Janeiro sediou a competição continental. Esta foi a segunda vez que o país recebeu o torneio. Na primeira oportunidade, a competição fora organizada em São Paulo, no ano de 1963.

Em 2 de outubro de 2009, o Rio de Janeiro foi escolhido para sediar os Jogos Olímpicos de Verão de 2016. É a primeira edição dos Jogos Olímpicos de Verão na América do Sul.

Mídia[editar | editar código-fonte]

A mídia cobre de forma parcial as modalidades esportivas no Brasil, focando a cobertura principalmente no futebol. Os canais abertos de televisão cobrem o futebol de forma exagerada, ao ponto de: interferir no horário dos jogos para se adequarem à grade de programação de sua emissora; apresentar fatos corriqueiros da vida dos atletas como se fossem grandes acontecimentos; exagerar em elogios ou críticas a determinados futebolistas; colocar comentaristas esportivos que só conhecem futebol para comentar (sem sucesso) outros esportes; tudo em uma busca desesperada por audiência. Esta situação vem sendo cada vez mais criticada, pois torna a população brasileira ignorante a respeito de outros esportes, e viciada em apenas um deles.[21] [22] [23]

Em outros esportes, na maior parte dos casos, a transmissão acontece somente em apresentações da Seleção do país. Coberturas sobre campeonatos, e clubes, de modalidades como o vôlei, são feitas em intensidade muito menor. O vôlei, porém, vem crescendo no país, puxado pelo alto rendimento que a seleção vem tendo em competições internacionais. Os jogos tem grande apelo do público, e vêm ganhando audiência progressivamente nos últimos anos.[24]

Nos canais de TV pagos, é dada maior cobertura e atenção às demais modalidades, com profissionais especializados, ligados ao esporte em questão, fazendo comentários em emissoras que possuem grade de programação mais variada. Porém, nem sempre a situação é tão favorável, sendo possível encontrar também somente futebol na maioria dos canais pagos em diversos horários do dia.

O rádio é historicamente o elemento que levou os esportes à maior parte da população, e ainda possui grande número de ouvintes. No Brasil, também se concentra excessivamente no futebol em detrimento dos demais esportes.

A mídia impressa também tem grande valor histórico e cultural no meio. Diversos jornais importantes existem hoje e já deixaram de existir. Atualmente, existem o jornal Lance!, o Jornal dos Sports e outros. Já deixaram de existir a Gazeta Esportiva e também outros. Nesta mídia, também ocorre uma overdose de exposição do futebol, com pelo menos 80% do espaço dedicado a este esporte, e as páginas finais da publicação colocando mínimos detalhes e alguns poucos resultados de dezenas de outros esportes e atletas.

Hoje, a internet pode ser considerado o tipo de mídia que melhor divulga os esportes no Brasil, pois nela é possível encontrar informação farta, sites internacionais especializados (inclusive os das federações mundiais de cada modalidade), e até mesmo transmissões ao vivo de esportes que são ignorados, ou escondidos do povo, pela mídia tradicional.[25] [26]

Participação em eventos multiesportivos[editar | editar código-fonte]

O corredor Vanderlei Cordeiro de Lima, bronze na maratona de 2004.

O Brasil já participou de três eventos multidesportivos extintos: os Jogos Pan-americanos de Inverno, no qual não ganhou medalhas na única edição de 1990, os Jogos da Boa Vontade e os Jogos Olímpicos Latino-Americanos. Atualmente participa de treze jogos poliesportivos: os Jogos Olímpicos de Verão, Jogos Olímpicos de Inverno, Jogos Paraolímpicos de Verão, Jogos Pan-americanos de Verão, Jogos Parapan-americanos, Jogos Sul-Americanos, Jogos Sul-Americanos de Praia, Universíada de Verão, Universíada de Inverno, Jogos da Lusofonia, Jogos da CPLP, Jogos Mundiais Militares e os Jogos Mundiais.

Participação nos Jogos Olímpicos de Verão[editar | editar código-fonte]

De acordo com o número de ouros conquistados, a melhor participação em Jogos Olímpicos do Brasil foi em 2004, em Atenas. Foram cinco, dentro de um total de dez. De acordo com o total de medalhas conquistado, esta foi em Londres 2012. Na ocasião, foram dezessete medalhas, sendo três de ouro. A participação em 2000 em Sydney foi ruim: doze medalhas, porém nenhuma de ouro. A primeira participação olímpica do Brasil foi em 1920.

Participação nos Jogos Olímpicos de Inverno[editar | editar código-fonte]

O Brasil não conquistou nenhuma medalha nos Jogos Olímpicos de Inverno ainda. Por isso, após os Jogos de Vancouver em 2010, as Confederações Brasileira de Desportos na Neve (CBDN) e no Gelo (CBDG) apresentaram projetos ao Comitê Olímpico Brasileiro objetivando o desenvolvimento dos esportes de inverno no país, a presença de mais desportistas nos Jogos de Sóchi, na Rússia, até a construção de um complexo de treinamento no interior de São Paulo.[27]

Esportes mais populares[editar | editar código-fonte]

Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde dezembro de 2012). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

Futebol[editar | editar código-fonte]

Selo postal estampando imagem sobre o jogo Brasil x Uruguai em 1950 na primeira Copa do Mundo a ser realizada no Brasil.

O Brasil é a maior potência do futebol mundial, destacando-se não só como o que detém a maior quantidade de prêmios, mas também o que mais exporta atletas para o exterior. Tendo conquistado a Copa do Mundo em cinco oportunidades, além de outros títulos importantes. É também detentor de diversas marcas históricas no esporte, além de ser a pátria de diversos grandes jogadores que fizeram história. Entre eles, o que é considerado o maior de todos os tempos: Pelé.

Porém, na Copa do Mundo da FIFA de 2014, sediada no próprio Brasil, houve a derrota da seleção canarinha frente a Alemanha na semi-final. A derrota foi marcada não só pelo fim do tão sonhado hexa, até então, mas também pelo placar de 7-1 que chocou o mundo inteiro.

O futebol é sem sombra de dúvida o esporte mais praticado no Brasil, sendo que o Campeonato Brasileiro de Futebol (também conhecido pelo apelido de Brasileirão) e a Copa do Brasil são as principais competições do esporte no país, além dos campeonatos estaduais, que também possuem bastante popularidade, principalmente em estados com forte tradição no esporte, como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Pernambuco, Bahia, entre outros. Apenas uma parcela bem pequena da população não torce por alguma equipe de futebol. O esporte tornou-se elemento marcante da cultura nacional. Expressões como "chute", "pisar na bola" e outras são usadas em ocasiões que nada tem a ver com o futebol, e por pessoas que sequer acompanham ou praticam a modalidade.

O futebol chegou ao Brasil em 1895, pelas mãos dos ingleses, assim como na maioria dos outros países. Os primeiros clubes começaram a se formar neste período. Assim como a fundação dos clubes, a prática também era restrita à elite. Operários, as camadas mais pobres da população e até negros podiam apenas assistir. Somente algumas décadas depois todos puderam jogar. O quadro mudou totalmente de figura quando chegou a profissionalização em 1933. Alguns clubes, principalmente fora do então Distrito Federal e do estado de São Paulo, ainda resistiam à modernização e continuavam amadores. Mas com o passar do tempo, todos foram se acomodando à nova realidade. Na verdade, nem todos. Diversos clubes abandonaram a elite do futebol, ou até mesmo por completo. Muitos clubes que abandonaram já eram equipes consagradas e tradicionais.

Situação atual[editar | editar código-fonte]

Mesmo com mais de setenta anos de profissionalização, a maioria dos clubes do Brasil ainda estão em processo de crescimento, alguns destes, os considerados "grandes". Mesmo nos grandes centros metropolitanos e financeiros muitos clubes encontram sérias dificuldades em se organizar, física e financeiramente.

Os estádios, em uma grande maioria, não são bem cuidados, com vários já tendo uma grande idade de construção, e não são reformados. Poucos conseguem isso, na maioria quando fecham parcerias ou bons contratos de patrocínio, o que também se vê em pequeno número entre as instituições. O maior estádio do país é o Maracanã, localizado no Rio de Janeiro.

Além disso, os estádios normalmente não recebem boa média de público, reflexo de diversos fatores, como a violência (especialmente nos clássicos), a falta de dinheiro da maior parte da população, e inclusive má qualidade das arenas brasileiras. Outro ponto que pode ser mencionado é a falta de grandes jogadores nas equipes. Em 2006, apenas três jogadores dos 23 convocados para a disputa da Copa do Mundo atuavam no Brasil. Destes, todos em clubes paulistas.

Recentemente, foi criada uma loteria, a Timemania, com o intuito de ajudar financeiramente os principais clubes do país. Além disso, o presidente e alguns integrantes do governo vêm demonstrado interesse em ajudar os clubes de outras formas.

Futebol de areia[editar | editar código-fonte]

O futebol de areia masculino foi promovido com a atuação de jogadores de futebol de campo jogando pela Seleção Brasileira de Futebol de areia Masculino. Assim, o país é tetracampeão do mundo pela FIFA. No entanto, o futebol de areia feminino não possui qualquer projeção. A primeira competição feminina do esporte no Brasil ocorreu antes da Copa Latina de Futebol de Areia de 2010 no Rio Quente Resorts, em Goiás. Envolvendo apenas quatro clubes, o Corinthians superou as equipes do Goiás, Botafogo e Gama.[28] [29]

Futebol de salão[editar | editar código-fonte]

Basquete[editar | editar código-fonte]

O Brasil é um dos países mais tradicionais no basquete mundial. No passado chegou a ser um dos melhores países do mundo na modalidade, e já possuiu vários grandes jogadores e jogadoras, além de haver vários praticantes da modalidade espalhados por diversos cantos do país.

Recentemente o esporte passou por um longo período de grave crise, o que fez com que o time masculino ficasse ausente de três edições seguidas dos Jogos Olímpicos. Entretanto, o basquete brasileiro vem passando por uma grande reestruturação, principalmente com a criação do NBB (Novo Basquete Brasil), que é o principal campeonato de clubes do país, e com a contratação do treinador argentino Rubén Magnano, que vem fazendo um excelente trabalho com a seleção brasileira. Tal trabalho que fez a seleção retornar aos Jogos Olímpicos após 16 anos de ausência. Nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012 a equipe fez uma boa apresentação ficando na quinta colocação, sendo apontada por muitos como candidata a medalha.

Alguns dos principais jogadores históricos do Brasil são Oscar e Hortência. No auge de suas carreiras, o basquete chegou a ser considerado o segundo esporte mais popular do Brasil. Atualmente o Brasil também possui alguns jogadores que atuam na NBA, considerada a maior liga do esporte no mundo, como Nenê, Leandro Barbosa, Anderson Varejão e Tiago Splitter, e também jogadores que atuam na Europa, como Marcelinho Huertas, que joga no Barcelona.

No total, se somarmos os títulos do masculino e do feminino, o basquete brasileiro possui três campeonatos mundiais.(dois masculinos e um feminino), além de cinco medalhas olímpicas: uma de prata e quatro de bronze.

Vôlei[editar | editar código-fonte]

Quanto à preferência, o vôlei é atualmente o segundo esporte mais popular do país. [carece de fontes?] A principal competição do esporte no país é a Superliga Brasileira de Voleibol, sendo que existe a modalidade feminina e a modalidade masculina da Superliga. No retrospecto, o esporte é um dos mais vitoriosos do Brasil, especialmente com o desempenho bombástico que as seleções nacionais vêm tendo nos últimos anos. O Brasil ocupa o primeiro lugar no ranking da FIVB nas duas modalidades[30] [31]

A seleção feminina é detentora de 4 medalhas olímpicas, dois bronzes (1996 e 2000) e dois ouros (2008 e 2012), tornando-se a primeira equipe de esporte coletivo a conquistar o bicampeonato olímpico de forma consecutiva no Brasil. É atual vice campeã mundial, tendo conquistado a prata em outras duas oportunidades (2006 e 1994) e é a maior vencedora do Grand Prix, com nove títulos.[32]

A seleção masculina é atual tri-campeã mundial, conquistou 5 medalhas olímpicas, 2 ouros (1992 e 2004) e 3 pratas (1984, 2008 e 2012). Conquistou 2 Copas do Mundo, e é o maior vencedor da história da Liga Mundial, com nove títulos.

Natação[editar | editar código-fonte]

Fernando Scherer (à esquerda) e Gustavo Borges, dois dos maiores nadadores do Brasil.

A natação vem ganhando popularidade no Brasil. Sendo um esporte costumeiramente recomendado para crianças, e adequado a um país de clima tropical como o Brasil, a natação cresceu e começou a produzir ícones esportivos importantes. Começando por Djan Madruga, Rômulo Arantes e Ricardo Prado nos anos 70 e 80, passando por Gustavo Borges e Fernando Scherer nos anos 90, a natação brasileira hoje fabrica grandes talentos em sucessão.

Hoje o Brasil conta com um dos melhores nadadores do mundo, César Cielo, que é campeão olímpico, mundial e recordista mundial; e nadadores como Felipe França, Thiago Pereira e Kaio Márcio de Almeida que conseguiram bater recordes mundiais em suas provas. Mesmo a natação feminina vem se desenvolvendo e criando atletas como Joanna Maranhão e Fabíola Molina. Com a multiplicação do surgimento de talentos, a natação vem se destacando e conquistando seu espaço.

Artes marciais[editar | editar código-fonte]

Artes marciais mistas[editar | editar código-fonte]

Uma luta de MMA.

As artes marciais misturadas (inglês: Mixed Martial Arts, MMA) modernas têm suas raízes em dois acontecimentos: os acontecimentos de vale-tudo no Brasil, e o shootwrestling japonês. Nesse tempo eles foram mutuamente ligados, mas foram separados.

O vale-tudo começou na terceira década do século XX, quando Carlos Gracie, um dos fundadores da luta marcial brasileira Gracie Jiu-Jitsu, convidou cada competidor de modalidades de luta diferentes. Isso era chamado de "Desafio do Gracie". Mais tarde, Hélio Gracie e a família Gracie e principalmente, Rickson Gracie, mantiveram este desafio que passaram a se dar como duelos de vale-tudo sem a presença da mídia.

No Japão, década de 1980, Antonio Inoki organizou uma série de lutas de artes marciais misturadas. Eram as forças que produziram o shootwrestling e eles, mais tarde, causaram a formação de uma das primeiras organizações japonesas de artes marciais misturadas conhecida como shooto. As artes marciais misturadas obtiveram grande popularidade nos Estados Unidos em 1993, quando Rorion Gracie e outros sócios criaram o primeiro torneio de UFC. Atualmente o Brasil conta com três campeões mundiais no principal evento de lutas do mundo UFC, José Aldo categoria peso pena e Renan Barão categoria pesos pesados - este último, campeão interino.

Capoeira[editar | editar código-fonte]

Assim como jogo de taco e o futsal esse foi um esporte criado exclusivamente por brasileiros. A Capoeira surgiu no século XVII em meio aos escravos como forma de resistir a dominação branca. Nos dias de hoje a capoeira e uma das artes marciais mais praticadas do país seguido pelo judô. Estima- se que no Brasil tenha entre 4 a 6 milhões de praticantes do esporte no país.

Jiu-jitsu brasileiro[editar | editar código-fonte]

Mitsuyo Maeda ensinou a técnica do jiu-jitsu tradicional japonês a Carlos Gracie e Luiz França que iniciaram as duas principais linhagens desta arte marcial no país.[33] Hélio Gracie (que aprendera com seu irmão Carlos) e Oswaldo Fadda, (ex aluno de França, que realizou um trabalho independente) [34] desenvolveram o jiu-jitsu brasileiro, ou BJJ (do inglês brazilian jiu-jitsu). Esta é hoje a modalidade de jiu-jitsu mais praticada no mundo. A família Gracie criou uma tradição nas artes marciais que se mantém na atualidade. O estilo de luta da família, é conhecido mundialmente como Gracie jiu-jitsu.

Nos anos 90 mestre Ricardo Morganti desenvolveu uma nova variação do jiu-jitsu, conhecido como Morganti ju-jitsu.

Judô[editar | editar código-fonte]

O Judô é outro esporte costumeiramente recomendado para crianças no Brasil, e portanto é largamente praticado. O país têm crescente tradição internacional no esporte, constantemente conquistando medalhas e títulos. Os maiores expoentes do esporte até hoje foram Aurélio Miguel e Rogério Sampaio, campeões olímpicos. Na atualidade, João Derly, Tiago Camilo e Luciano Correa, campeões mundiais, são os maiores representantes brasileiros.

Tênis[editar | editar código-fonte]

O tênis no Brasil pode ser considerado um esporte popular. Hoje existem diversas quadras em clubes, em propriedades particulares e para locação, especialmente em cidades com nível mais elevado do tamanho da população. Também é encarado por alguns como um passa tempo, ou um esporte a ser praticado depois de um dia de trabalho ou até mesmo antes dele.

O Brasil tem e já teve no passado grandes nomes no esporte, como Maria Esther Bueno, vencedora de 19 Grand Slams (7 em simples, 11 em duplas e 1 em duplas mistas) e Gustavo Kuerten, o Guga, que venceu 3 vezes o torneio de Roland Garros. Hoje, o tênis brasileiro é bem representado por Thomaz Bellucci.

Tênis de mesa[editar | editar código-fonte]

O Tênis de Mesa pode ser tão ou mais popular do que a versão de quadra (o tênis propriamente dito). Isso porque muitos jogam o esporte como lazer, não necessariamente como atividade física. Escolas, clubes e muitos outros lugares dispõem de mesas para a prática da modalidade. O maior mesatenista brasileiro é Hugo Hoyama. Atualmente o mesatenista número um do país é Thiago Monteiro.

Automobilismo[editar | editar código-fonte]

O automobilismo é um esporte bem popular no Brasil. O esporte começou a ganhar dimensão no país após os primeiros títulos da Fórmula 1 de Emerson Fittipaldi, posteriormente Nelson Piquet e Ayrton Senna ajudaram a firmar ainda mais o automobilismo brasileiro na categoria. O país também possui grandes conquistas na Fórmula Indy, com Emerson Fittipaldi ganhando o primeiro título brasileiro na categoria, seguido também pelos pilotos Gil de Ferran, Cristiano da Matta, Tony Kanaan.

Dentro do país as duas principais categorias são a Stock Car Brasil e a Fórmula Truck, alguns ex-pilotos de categorias internacionais atualmente correm nas categorias. O país possui aproximadamente 20 autódromos, incluindo pistas de asfalto e de terra, mas atualmente não possui nenhum circuito oval.

Motociclismo[editar | editar código-fonte]

O Motociclismo não é um esporte popular no Brasil. Atualmente o país possui poucas categorias nacionais, a maioria é estadual. No cenário internacional o Brasil não é representado por nenhum piloto nas principais categorias.

No passado, Alex Barros representou o Brasil na MotoGP de 1986 até 2007, com exceção de 2006, quando correu na Superbike. Barros nunca foi campeão mundial, porém venceu 7 corridas e obteve 32 pódios, seu melhor ano foi 2002, quando terminou na quarta colocação apenas 11 pontos do segundo colocado. Antes de Alex Barros o Brasil já teve um representante: Adu Celso correu na MotoGP de 1972 até 1975, nesse período, o Índio Brasileiro como era conhecido venceu o GP da Espanha, realizado no Circuito de Jarama em 1973, curiosamente foi nesse circuito que 20 anos depois, Alex Barros conseguiu sua primeira vitória

No Mundial de Superbike o Brasil teve apenas um representante, Alex Barros correu em 2006. Barros fez um bom ano, conseguiu fazer boas provas, venceu uma corrida, conseguiu seis pódios e terminou o ano na sexta colocação.

Desde 2012, o Brasil voltou a ter um representante na principal categoria da motovelocidade, a MotoGP, Eric Granado que fez sua estreia depois de Junho, quando completou 16 anos, já que é a idade mínima para sua categoria.

Skate[editar | editar código-fonte]

É um dos esportes mais praticados no Brasil, especialmente nas grandes cidades (metrópoles). Atualmente o Brasil é um dos países com o maior números de profissionais e amadores do esporte, tendo a segunda maior indústria de peças, equipamentos e roupas da modalidade. O maior skatista do mundo atualmente é Bob Burnquist, considerado o pai da "mega rampa". Outro skatista brasileiro famoso é Sandro Dias, um dos poucos que conseguem realizar o movimento "900".

Handebol[editar | editar código-fonte]

O handebol é um esporte que veio junto com os imigrantes alemães, de grande popularidade nas escolas de todo o mundo. É o segundo esporte mais praticado nas escolas, perdendo apenas para o futebol/futsal. A principal competição do esporte no país é a Liga Nacional de Handebol, que é considerada a liga mais forte das Américas. Handebol é um jogo dinâmico, físico e que exige diversas habilidades, como finta, drible, preparo físico, visão de jogo. É praticado com 7 atletas, um deles designado como goleiro. As regras são ditadas pela IHF, e no Brasil, a CBHb é a responsável pela gestão do esporte. No campeonato mundial disputado na Sérvia em 2013, a Seleção Brasileira Feminina de Handebol sagrou-se campeã, derrotando a seleção anfitriã por 22 a 20.

Esportes em Crescimento[editar | editar código-fonte]

Nos últimos anos, diversos esportes estão em constantes crescimento no Brasil. Graças a diversos fatores como ampliação da televisão a cabo, crescimento econômico e o aumento ao acesso a internet. Esportes que antes eram desconhecidos pela população passaram a ser apreciados pelo público jovem. No entanto, a pesar desse crescimento, esses esportes ainda são praticados de forma amadora no Brasil, sejam em clubes, academias e parques. Algumas das modalidades amadoras que são mais praticados no Brasil são:

Beisebol[editar | editar código-fonte]

Esporte tradicionalmente praticado por sua maioria de descendentes de japoneses. Com a cobertura da tv a cabo dos jogos, o beisebol também está ganhando adeptos entre os não nisseis no esporte, atualmente várias ligas regionais estão em ascensão no país, contudo, a dificuldade em se encontrar campos de beisebol impede a prática regular do esporte que muitas vezes é jogado em campos de futebol adaptados.

Cricket[editar | editar código-fonte]

Um dos esportes mais antigos do país, veio no final do século XIX trazido pelo britânico Charles Miller, O mesmo que anos mais tarde traria o futebol e rugby. Atualmente o cricket é mais praticado na sua modalidade simplista conhecida como Bete-ombro ou jogo do Taco.

Contudo com a criação da Associação Brasileira de Cricket o número de adeptos do esporte tem aumentado gradativamente. Outro fato interessante que tem se aumentado a divulgação do esporte na mídia aos poucos. durante a copa do mundo desse ano alguns sites tradicionais como o Terra, Globoesporte divulgarao resultados e fizeram matérias sobre a final da copa do mundo de criquete 2011, Conquistada pela Índia.

Curling[editar | editar código-fonte]

Equipe feminina da Suécia nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2010 varre uma de suas pedras.

Esporte que cresceu muito graças às transmissões dos Jogos Olímpicos de Inverno, que também ajudou outras modalidades como hóquei no gelo e patinação artística a ganharem certo destaque na mídia.

Futebol americano[editar | editar código-fonte]

Fluminense, último campeão do Campeonato Brasileiro promovido pela LBFA.

É um dos esportes que mais tem crescido no Brasil na ultima década, os jogos da NFL na TV por assinatura conseguem ser líderes de audiência. São mais de 165 clubes praticantes do esporte pelo país afora e mais de 6.500 pessoas pertencentes aos times, sem contar as pessoas que praticam o esporte entre amigos, nas escolas, faculdades, parques, etc. A entidade máxima que rege o Futebol Americano de Grama no Brasil é a AFAB (Associação de Futebol Americano do Brasil). Há alguns anos foi criada a Liga Brasileira de Futebol Americano, que deixou de existir, ficando a cargo da AFAB a realização e organização de campeonatos, eventos e regulamentação dos mesmos e dos times filiados à ela. Em 2009, foi criada uma liga independente chamada de Torneio Touchdown, onde participaram times dissidentes da AFAB. Além disso alguns clubes de futebol já possuem equipes de futebol americano como: Santos, Vasco, Corinthians, Fluminense, Botafogo - RJ, Botafogo - SP, Palmeiras, Lusa, Inter de Limeira e Coritiba.

Rugby[editar | editar código-fonte]

Esporte trazido ao país junto com o futebol e o cricket. Não fez muito sucesso, já que antigamente era um esporte associado apenas à comunidade inglesa, recentemente no final dos anos 90 o esporte começou a atrair adeptos, atualmente existem vários campeonatos regionais e o esporte é um dos que mais crescem no país. Com a entrada do esporte nos próximos Jogos Olímpicos em 2016, espera-se sua consolidação no Brasil.

Hóquei sobre o Gelo e em linha[editar | editar código-fonte]

No Brasil, o hóquei em linha é o mais popular e divulgado até o momento, ao contrário do hóquei no gelo que ainda é dependente de infraestrutura, Apesar de terem projetos para divulgação da modalidade como o campeonato paulista de hóquei sobre o gelo, e da possível construção de uma arena de hóquei sobre o gelo na cidade de Campos do Jordão. No entanto os brasileiros praticantes de hóquei, na sua maioria praticam o chamado hóquei em linha, em quadras com tamanho e equipamentos idênticos aos do hóquei sobre o gelo, pela única e exclusiva diferença do não uso de peitoral para jogadores de linha.Apesar disso entre os dias 2a 9 de Março de 2-14. O hóquei sobre o gelo Brasileiro disputou pela primeira vez o Pan Americano da modalidade. Competição que incluiu também as seleções da Argentina, Canadá, México e Colômbia.

Golfe[editar | editar código-fonte]

Introduzido no país por Ingleses e escoceses no fim do século XIX,da mesma forma que o criquete, rugby e o golfe. O golfe conseguiu ao,longo dos anos destaque no Brasil sendo conhecido como esportes dos ricos e famosos. Contudo com a entrada do esporte nas olimpíadas de 2016 a CBG (confederação Brasileira de Golfe) espera uma popularização maior do esporte no Brasil. Alguns jogadores de golfe brasileiros famosos são: o piloto Rubens Barrichello e o político Helio Andrade. Atualmente, há um crescimento grande de novos campos de golfe em condomínios residenciais e clubes equestres.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "People and Society". Encarta. MSN. Consultado em 2008-06-10. 
  2. Confederação Brasileira de Futebol
  3. História do Futebol
  4. Curiosidade: Os esportes inventados no Rio
  5. Federação Mineira de Peteca, Histórico da Peteca
  6. Sandboard, um esporte criado no Brasil
  7. [1] Acessado em 27/05/2012, 09:00h.
  8. Beach Soccer International Federation of Association Football. Visitado em 2008-06-06.
  9. Futsal International Federation of Association Football. Visitado em 2008-06-06.
  10. Portal do Futsac
  11. Montoro, Patricia (2005-06-14). História do Biribol EducaRede. Visitado em 2008-08-15.
  12. Dia do Desafio traz inventor de fute-tênis Jornal O Imparcial, acessado em 17 de junho de 2010
  13. Santos terá torneio de fute-tênis no fim de semana Folha Online, acessado em 17 de junho de 2010
  14. Acqua Ride na Europa
  15. Acqua Ride (em português) Cidade Aventura.
  16. Acqua Ride: Passeio aquático radical (em português) LivrEsportes.
  17. http://www.cbfv.com.br/regras.php Confederação Brasileira de futevôlei
  18. The art of capoeira BBC (2006-09-20). Visitado em 2008-06-06.
  19. Brazilian Vale Tudo I.V.C. Visitado em 2008-06-06.
  20. Brazilian Jiu-Jitsu Official Website International Brazilian Jiu-Jitsu Federation. Visitado em 2008-06-06.
  21. Mídia, futebol e educação
  22. Brasil "país do futebol"
  23. Meligeni critica idolatria cega à Seleção de futebol
  24. Mesatenista reclama de falta de visibilidade no esporte brasileiro
  25. Globo esconderá noticiário sobre Olimpíada
  26. Globo omitiu a existência do Pan
  27. UOL Esporte (28 de fevereiro de 2010 às 15h 2min). Brasil planeja construir centro de treinamento visando Jogos de Inverno de 2014. Visitado em 28 de fevereiro de 2010.
  28. PRATES, Renan (3 de março de 2010 às 7h). Na contramão do masculino, futebol de areia feminino 'engatinha' por projeção (em português). Visitado em 30 de agosto de 2010.
  29. PRATES, Renan (3 de março de 2010 às 7h 1min). Beach Soccer quer que estrelas do futebol feminino ajudem na projeção (em português). Visitado em 30 de agosto de 2010.
  30. http://www.fivb.org/en/volleyball/VB_Ranking_W_2013-09.asp
  31. http://www.fivb.org/en/volleyball/VB_Ranking_M_2013-07.asp
  32. http://www.cbv.com.br/v1/selecao/hist_resultados.asp
  33. (em inglês) The Maeda Project - Lineage Tree (árvore das linhagens do jiu-jitsu brasileiro). Página visitada em 24/11/2013.
  34. Jiu-jitsu: a origem. Revista Tatame Nº 177, pág. 53, Novembro de 2010 (adicionado em 24/11/2013).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]