Wanderlei Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wanderlei Silva
Nome de nascimento Wanderlei César da Silva
Data de nascimento 3 de julho de 1976 (38 anos)
Local de nascimento Brasil Curitiba, Paraná, Brasil
Outros nomes The Axe Murderer (O Machado Assassino)
Cachorro Louco, Mr.Pride
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Altura 1,82 m
Peso 93 kg
Divisão Peso-Pesado (1996-1999)
Peso Médio (2010-2012)
Peso Meio-Pesado (1999-atualmente)
Envergadura 1,88 m
Modalidade Muay Thai,Jiu-jitsu
Luta por Las Vegas, Nevada, EUA
Equipe Wand Fight Team
Treinador Rafael Cordeiro, Serginho Moraes, Renato Sobral
Graduação      Faixa Preta em BJJ
     Prajied Preto em Muay Thai
Anos ativo 1996-2014
Cartel no MMA
Total 49
Vitórias 35
Por nocaute 25
Por finalização 3
Por decisão 7
Derrotas 12
Por nocaute 6
Por decisão 7
Empates 1
Sem resultado 1
Outras informações
Filho(s) 3
Página Oficial http://www.wandfightteam.com/
Wanderlei Silva no Sherdog
Wanderlei Silva - UFC 100 Fan Expo - July 10, 2009 in Las Vegas crop.jpg

Wanderlei César da Silva ou simplesmente Wanderlei Silva (Curitiba, 3 de julho de 1976) é um ex-lutador brasileiro de MMA. Em sua vida pessoal, é casado com Tea e tem um filho chamado Thor. Também tem uma filha, Rafaela de um casamento anterior. Wanderlei é especialista em Muay Thai, e ao lado de Rodrigo Minotauro, Fedor Emelianenko e Mirko Cro Cop,são considerados como os melhores lutadores do extinto Pride FC, e lendas vivas do vale-tudo

Biografia[editar | editar código-fonte]

Wanderlei seguiu carreira militar e começou os treinos de Muay Thai, na equipe Chute Boxe, liderada pelo Mestre Rudimar Fedrigo. Logo nas primeiras lutas, Wanderlei já mostrava seu jeito frio e seu jogo de agressividade máxima para derrotar adversários, na maioria das vezes, por nocaute. Treinou na Chute Boxe e hoje treina na em sua própria academia, a Wand Fight Team ao lado de nomes como Sérgio Morais e Vitor Viana nos Estados Unidos; é hoje, um dos maiores nomes do MMA mundial. Wanderlei começou a treinar Muay Thai pois ele se achava baixinho e gordinho. Quando completou 20 anos, com o rosto todo inchado e vários pontos no supercílio ouviu do seu pai Horlando Silva "isso não vai dar em nada, arrume um emprego", mas Wanderlei continuou com o seu sonho ganhando seu primeiro prêmio no Japão no valor de US$3.500 em 1999. Desde então, o curitibano já venceu 34 lutas, perdeu 13 e empatou 1. Foi campeão representando o Brasil nos Prides evento de MMA, realizados no Japão e Estados Unidos; é ídolo em vários países, especialmente no Japão, onde é personagem de vídeo game e garoto propaganda de diversos comerciais de TV.Wanderlei é considerado o maior lutador do Pride de todos os tempos, um dos maiores atletas da historia do MMA além de ser o maior recordista de lutas,vitorias e nocautes do Pride. Atualmente está lutando no UFC. Wanderlei Silva é casado e tem tres filhos.

Carreira esportiva[editar | editar código-fonte]

Ascensão no Pride[editar | editar código-fonte]

A trajetória profissional de Wanderlei Silva como grande lutador, iniciou-se no Brasil, passando posteriormente a outros eventos como o UFC e tendo seu ápice em sua passagem pelo evento japonês Pride , evento que reuniu os melhores profissionais de MMA. Nesta época Wanderlei se destacou em uma luta que fez no PRIDE 12 com Dan Henderson, lutador extremamente perigoso, que durante esta luta, deixou seu rosto desfigurado; por muita convicção e certa tolerância dos médicos responsáveis, Wanderlei prosseguiu a luta. Enxergando praticamente de um só olho, Wanderlei impôs seu ritmo explosivo, e com muito vigor conseguiu reverter a situação e saiu vencedor.

Em pouco tempo, Wanderlei desafiava Sakuraba, o então carrasco de brasileiros. Impondo seu ritmo agressivo e devastador, Wanderlei vence Sakuraba rapidamente e de forma convincente: surgia um novo ícone brasileiro. Posteriormente em 2006 em resposta a Rickson Gracie que tinha na ocasião 50 anos e disse que o MMA esta nivelado por baixo, Wanderlei desafiou a Lenda, que não respondeu ao desafio.

Em 2005, aos 29 anos, Wanderlei Silva foi considerado o maior lutador de Vale Tudo de todos os tempos. Representando o Brasil nos Prides internacionais e ídolo em vários países, é personagem de vídeo game e garoto propaganda de diversos comerciais de TV. Seu rosto foi imortalizado em bonecos de diversos tamanhos e teve uma participação num filme japonês sobre lutas marciais.

Wanderlei virou uma marca, que vende facilmente produtos com seu rosto. Ele também lançou uma marca própria de roupas, a Wand, que oferece confecções e acessórios esportivos fight wear e sport wear. A moda ganhou destaque principalmente em academias por ser apropriada para luta e treinos, mas a linha passeio também tem excelente aceitação. Quase toda a produção é destinada à exportação, mas no Brasil é encontrada em vários pontos de venda.

The Axe Murderer[editar | editar código-fonte]

Devido as suas incríveis exibições no Pride, Wanderlei Silva ganhou um apelido em suas lutas: The Axe Murderer, que significa O Assassino do Machado por causa de suas joelhadas que e como se fosse machados cortando . Também tem um apelido brasileiro: Cachorro Louco, por avançar sem medo sobre seus adversários. Só no Pride, Wanderlei escreveu uma história à parte: foi vitorioso diversas vezes batendo nomes como Dan Henderson, Quinton Jackson e Guy Mezger.

Para os japoneses, o estrago foi ainda maior: Kazushi Sakuraba, Matsui, Kondo, Minowa, Oyama e Yoshida foram alguns dos nomes derrotados por Wanderlei. É isso que o torna um dos lutadores mais populares de todos os tempos, no Japão. Segundo os japoneses, Wanderlei Silva é adorado por mostrar um jogo de striker, com algumas técnicas de chão. Seus chutes e socos são vistos como herança do karatê e de suas ramificações. Porém, são os nocautes e a agressividade que mais impressionam o público. Poucas vezes, ele foi visto defendendo-se no decorrer das lutas, já que ele ataca, incessantemente, sem dar um passo pra trás, até que o adversário caia aos seus pés. Esse tipo de postura, no ringue, tornou-se marca registrada do curitibano e já começa a ser imitado por diferentes lutadores dos mais variados países.

Carreira em declínio e a perda do cinturão[editar | editar código-fonte]

As sucessivas vitórias de Wanderlei no Pride foi quebrada por Mark Hunt, um campeão de K-1, em 31 de dezembro de 2004, no Shockwave 2004. Hunt ganhou um combate que não contava para o título por decisão. A mesma foi controvertida, já que muitos pensavam que os quase 25 quilos de diferença entre os lutadores e o fato de que Silva dominou todo o terceiro round não foram consideradas suficientemente pelos juízes. Randy Couture e Bas Rutten, ambos comentaristas do evento, expressaram seu desacordo com a decisão, Silva perdeu por decisão dividida.

A posição de Silva nos pesos médios de Pride foi tema de crítica e debate devido a sua derrota em frente a Ricardo Arona, em 28 de agosto de 2005, no combate das semifinais do Pride Grand Prix 2005: Final Conflict. A derrota, por decisão unânime, foi a sua primeira derrota em um combate dos pesos médios no Pride.

Em 31 de dezembro do 2005 no torneio Pride-Shockwave 2005, Wanderlei recuperou o campeonato dos pesos médios do Pride derrotando Ricardo Arona por decisão dividida.

Em 1 de julho do 2006 entrou ao Grand Prix como o substituto de Fedor Emelianenko (estava recuperando-se de uma cirurgia) e venceu Kazuyuki Fujita por knock-out técnico depois do dominar toda a luta tanto parado como no andar. Como preparação para este Open Weight, Silva nesta ocasião subiu de peso até chegar a 105 quilos, no entanto, na semifinal deste Grand Prix, Silva foi nocauteado por Mirko Filipovic por um chute alto na cabeça.

Em 24 de fevereiro de 2007, Wanderlei perdeu o título dos pesos médios de Pride, o qual foi campeão durante seis anos, depois de ser derrotado por Dan Henderson no terceiro round do combate principal do Pride 33 "Second Coming".

Retorno ao UFC[editar | editar código-fonte]

Em 17 de agosto de 2007, o UFC anunciou que tinha assinado com Wanderlei Silva para concorrer na organização e que ele iria retornar ao octógono em 29 de dezembro de 2007, no UFC 79. Depois de meses de especulação sobre o adversário Silva, o presidente do UFC Dana White anunciou que Chuck Liddell seria adversário Silva para a sua luta que marcaria seu retorno ao UFC.

A luta tão esperada aconteceu em 29 de dezembro, porém Wanderlei Silva perdeu para Chuck Liddell por decisão unânime. Após a luta Silva disse: "Ganhar ou perder: eu gosto é de apanhar pelos meus fãS"

Ele também acrescentou que deu o seu melhor e prometeu que da próxima vez daria uma vitória aos seus fãs.

Mantendo a sua promessa, em 24 de maio de 2008 no UFC 84 em Las Vegas, ele ganhou um nocaute uma decisiva vitória contra Keith Jardine com 36 segundos de luta no primeiro round por interrupção técnica, o que lhe valeu como O Melhor Nocaute da Noite.

No UFC 92, Wanderlei lutou contra seu maior rival no MMAQuinton "Rampage" Jackson, que(Wanderley) venceu por duas vezes anteriormente no Pride. Jackson vingou sua derrota anterior batendo Silva com um gancho de esquerda no primeiro Round. Após a luta, Silva afirmou que ele gostaria de lutar Jackson novamente, para o 4º e, possivelmente, no futuro, mesmo uma 5º luta, sabendo que ele já tem dois nocautes em Jackson.

Após a derrota Wanderlei conheceu Rich Franklin no UFC 99 na Alemanha. Após uma luta muito disputada em ambos os lados, Silva perdeu por decisão unânime para Franklin. Durante a segundo Round, Silva balançou Franklin com fortes socos que quase terminou a luta naquele momento. Porém Rich Franklin usou melhor seu jogo derrubando Silva 3 vezes no octagon, impressionando os jurados da evento. Depois do resultado anunciado o público Alemão vaiou constantemente a decisão dos árbitros.

Após sua segunda derrota consecutiva Silva anunciou que não lutaria mais em 2009 pois iria passar por uma cirurgia facial para consertar seu nariz (que foi quebrado durante a segunda luta da Silva com o Cro Cop), e outra em sua sobrancelha para evitar sangramentos em suas futuras lutas .

O próximo desafio de Silva seria o inglês Michael Bisping no UFC 110 na Austrália.

Superação[editar | editar código-fonte]

Vindo de cinco derrotas em suas últimas seis lutas, o brasileiro Wanderlei Silva voltou a lutar bem. Mesmo sem nocautear o rival, venceu o inglês Michael Bisping e convenceu seus fãs de que está em forma novamente. [1]

Depois de um primeiro minuto de estudo entre os dois, Bisping conseguiu levar Wanderlei para o chão, mas o brasileiro logo conseguiu se levantar. O britânico seguiu tentando ir para o ground-and-pound e Silva buscava sequências e chutes baixos. Nos últimos segundos do primeiro round, Wanderlei balançou o rival.

Logo no início do segundo round, Wanderlei defendeu bem um chute e contra-atacou, levando Bisping ao chão e o castigando. O período seguiu sendo de mais estudo, mas sempre com o brasileiro tendo vantagem com golpes mais certeiros. No final, Silva ainda encaixou uma guilhotina, mas o inglês foi salvo pelo gongo.

Como o resultado indefinido, os dois partiram para a trocação desde os primeiros segundos. Mas novamente Wanderlei Silva foi mais efetivo e com um cruzado certeiro de direita, derrubou Michael Bisping, confirmando a vitória por decisão unânime.

"É assim com todo mundo. Todos temos momentos ruins nas nossas vidas e nas nossas carreiras. Eu tinha de tentar. Tenho técnicos incríveis que me ajudaram muito. Muito obrigado Austrália, me sinto em casa mesmo", disse o brasileiro após a luta.

Com físico enxuto e demonstrando muito mais concentração, Wanderlei Silva vence Michael Bisping, colocando em prática uma nova tática: deixar sua explosão para os últimos segundos de cada round. O resultado foi uma vitória convincente, e a volta por cima de quem havia perdido 5 das suas 6 últimas lutas.

Realizado na madrugada do dia 21/02, o UFC 110 foi o palco para a reabilitação do brasileiro, como o vencedor explosivo que todos conhecem.

O primeiro round começou com muito estudo, onde Wanderlei procurou discretamente mostrar mais iniciativa. No segundo round o ritmo acelera, tendo Michael Bisping maior facilidade nas derrubadas; fato que não mudou a vantagem para o brasileiro, já que quase o finalizou com uma guilhotina. Ao final do terceiro round fica evidente a superioridade de Wanderlei, que por pouco não nocauteou Bisping, que foi salvo pelo gongo. Emocionado pela superação, Wanderlei Silva declarou que os momentos ruins podem ser superados com muita dedicação e fé em Deus.[2]

Nova derrota[editar | editar código-fonte]

No UFC 132, realizado dia 02/07/2011, Wanderlei Silva foi atingido por um cruzado esquerdo de Chris Leben e ficou desnorteado. Apesar do forte golpe, Silva não caiu, ficou segurando o pescoço de seu adversário com as duas mãos e a guarda totalmente aberta. Laben aproveitou o momento e aplicou uma sequencia de socos no brasileiro que caiu. A sequencia continuou até que o juiz terminou a luta. Wanderlei foi derrotado com 27 segundos de luta.

Reviravolta no UFC 139[editar | editar código-fonte]

Depois da derrota para Chris Leben, o presidente do UFC Dana White anunciou que afastaria Wanderlei do UFC se perdesse a sua próxima luta, propondo uma aposentadoria, como aconteceu com Chuck Liddell.

O co-evento principal UFC 139 estava programado para ter a luta entre Vitor Belfort e Cung Le, porém Belfort se lesionou e Wanderlei Silva foi chamado para substituí-lo.

Wanderlei precisava da vitória para manter a sua carreira e treinou na academia Kings MMA com Rafael Cordeiro, seu amigo de longa data. Ao longo de seus treinos, Wanderlei recebeu a visita de Anderson Silva, os dois já treinaram juntos na Academia Chute Boxe no passado, Anderson o ajudou nos treinos e elogiou Wanderlei pela sua história no MMA.

Quando chegou o dia, Wanderlei se mostrou confiante na luta. O primeiro round começou com Cung Le tomando a iniciativa do combate, com um bom golpe de direita. Wanderlei Silva mostrava-se mais cauteloso do que de costume, temendo os golpes fortes do vietnamita. A três minutos do fim do primeiro assalto, Cung Le acertou um forte soco rodado no brasileiro, que sentiu e perdeu o equilíbrio, recuperando-se pouco depois. Temendo ser nocauteado, Wanderlei tentava se manter à distância, e conseguiu acertar alguns bons socos, abrindo o supercílio de Le no fim do round.

No segundo assalto, com a torcida gritando seu nome, Cung Le manteve o seu plano de luta, tentando acertar chutes e socos próprios do taekwondo, enquanto Wanderlei Silva ainda não conseguia aplicar uma sequência de golpes que lhe permitisse abalar o vietnamita e passar a dominar o combate. Nas vezes em que encurtava a distância, o brasileiro conseguia acertar o adversário. Com um belo golpe de direita, seguido de socos, cotoveladas e joelhadas como nos velhos tempos, Wanderlei abalou Le e conseguiu o nocaute técnico. Após a interrupção do árbitro, a 11 segundos do fim do round, o brasileiro fez um movimento como se tivesse tirando a má fase de si, sendo em seguida abraçado por toda a sua equipe.

TUF Brasil e revanche contra Vitor Belfort[editar | editar código-fonte]

Em 2012, Wanderlei volta ao centro das atenções ao ser escolhido para comandar umas das equipes do The Ultimate Fighter: Brasil. O técnico da outra equipe e seu rival ao final do programa é Vitor Belfort. A luta estava marcada para o dia 23 de junho, no Mineirinho, em Belo Horizonte, durante o UFC 147. Contudo, uma fratura na mão esquerda de Vitor Belfort cancelou a revanche entre eles. Belfort acabou sendo substituído por Rich Franklin que depois de ser quase nocauteado no 2 round, conseguiu se recuperar, usou melhor a estratégia nos rounds seguintes, e venceu por decisão unânime no UFC 147 no Mineirinho.

Volta ao Japão[editar | editar código-fonte]

Wanderlei enfrentou Brian Stann em 2 de Março de 2013 no UFC on Fuel TV: Silva vs. Stann, na Saitama Super Arena, palco dos eventos do PRIDE Fighting Championships. Wanderlei e Stann fizeram uma luta frenética, partindo para a trocação franca. Wanderlei nocauteou Stann no segundo round[3] .

The Ultimate Fighter Brasil 3[editar | editar código-fonte]

Na madrugada de segunda para terça (dia 21 para 22) de outubro Dana White anunciou os técnicos da próxima edição do TUF Brasil, a edição será comandada pelos treinadores Wanderlei Silva e Chael Sonnen. [4]

Polêmicas no TUF3[editar | editar código-fonte]

Durante as filmagens do TUF Brasil, Chael Sonnen e Wanderlei se desentenderam diversas vezes. Em um dos desentendimentos, Wanderlei Silva partiu para cima do americano, que o derrubou no chão. Dida, que era o responsável pela parte de trocação da equipe de Wand, acertou alguns socos por trás em Sonnen enquanto o americano estava no chão com o ex-lutador do Pride. Dana White, o presidente do UFC, não perdoou o assistente e o demitiu do programa, dizendo que na realidade, ele deveria ser preso. [5]

O destempero de Wand acabou prejudicando a imagem do lutador no Brasil, e fez com que parte dos fãs de MMA passassem a torcer pelo americano. [6]

Wanderlei fora do UFC 175[editar | editar código-fonte]

No dia 30 de maio, o presidente do UFC informou que Wanderlei estava fora da luta contra Chael Sonnen e seria substituído pelo Vitor Belfort. [7]

Cquote1.svg Wanderlei está fora do UFC 175. Logo após a conferência de imprensa do UFC 175, que aconteceu na véspera do UFC 173, em Las Vegas, membros da Comissão Atlética de Nevada foram até a academia de Wanderlei Silva para um exame antidoping surpresa. Wanderlei simplesmente fugiu deles, saindo correndo pela porta dos fundos da academia. Ele entrou em seu carro e foi embora. Depois, pelo que eu soube, entrou em um voo da Malasyan Airlines para algum lugar, e não soube mais dele.[8] - Cquote2.svg
disse Dana White

Wanderlei tentou se explicar em vídeo sobre a saída do UFC [9] , no entanto sua versão não foi bem aceita pelo público, que acabou vaiando o lutador, que esteve ausente da final do TUF Brasil 3. [10]

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Por conta das diversas lesões ao longo da carreira, e contrariado com o UFC, Wanderlei Silva anunciou sua aposentadoria dia 19 de setembro de 2014, por meio de vídeo. [11]

Banimento de Nevada[editar | editar código-fonte]

Apesar de ter anunciado a sua aposentadoria dos octógonos, Wanderlei Silva foi julgado pela Comissão Atlética do Estado de Nevada (NSAC) na manhã do dia 23 de setembro de 2014, em Las Vegas, nos EUA, por ter fugido de um teste antidoping surpresa em maio passado. O lutador, que não compareceu à audiência, foi banido de lutar no estado e terá que pagar multa de mais de R$ 161 mil reais (cerca de 70 mil dólares).[12]

Campeonatos e prêmios[editar | editar código-fonte]

International Vale Tudo Championships

  • IVC Campeão dos Pesos Pesados

PRIDE Fighting Championships

  • Campeão dos Peso Médio do PRIDE (2001-2007)
  • PRIDE Final Conflict 2003 Vencedor do Grand Prix do Peso Médio do Pride (2003)
  • PRIDE Final Conflict 2005 Semi-Finalista do Grand Prix do Peso Medio do Pride 2005
  • PRIDE Final Conflict Absolute 2006 Semi-Finalista do Grand Prix do do Pride(2006)
  • Maior quantidade de Nocautes da historia do PRIDE Fighting Championships

Sherdog

  • 2004 Lutador do Ano

Ultimate Fighting Championship

  • Melhor Luta da Noite (5 vezes)
  • Melhor Nocaute da Noite (3 vezes)

Bônus de Lutas

  • Melhor luta do Ano (2007) - vs. Chuck Liddell
  • Melhor nocaute do Ano (2008) - vs. Keith Jardine.

Wrestling Observer Newsletter

  • Feud of the Year 2001 Feud of the Year - vs Kazushi Sakuraba
  • 2001 Shootfighter do Ano
  • Shoot Match of the Year 2003 Shootmatch of the Year - vs Hidehiko Yoshida
  • 2004 Shootfighter do Ano
  • 2004 Shootmatch of the Year - vs Quinton Jackson

Cartel no MMA[editar | editar código-fonte]

Res. Cartel Oponente Método Evento Data Round Tempo Local Notas
Vitoria 35-12-1 (1) Estados Unidos Brian Stann Nocaute (socos) UFC on Fuel TV: Silva vs. Stann 03/03/2013 2 4:08 Japão Saitama Retornou aos Meio Pesados; Luta e Nocaute da Noite.
Derrota 34-12-1 (1) Estados Unidos Rich Franklin Decisão (unânime) UFC 147: Silva vs. Franklin II 23/06/2012 5 5:00 Brasil Belo Horizonte, Minas Gerais Luta da Noite
Vitória 34-11-1 (1) Vietname Cung Le Nocaute (socos) UFC 139: Shogun vs. Henderson 20/11/2011 2 4:49 Estados Unidos San Jose, California Nocaute da Noite
Derrota 33-11-1 (1) Estados Unidos Chris Leben Nocaute (socos) UFC 132: Cruz vs. Faber 02/07/2011 1 0:27 Estados Unidos Las Vegas, Nevada
Vitória 33-10-1 (1) Inglaterra Michael Bisping Decisão (unânime) UFC 110: Nogueira vs. Velasquez 21/02/2010 3 5:00 Austrália Sydney
Derrota 32-10-1 (1) Estados Unidos Rich Franklin Decisão (unânime) UFC 99: The Comeback 13/06/2009 3 5:00 Alemanha Colônia Luta da Noite
Derrota 32-9-1 (1) Estados Unidos Quinton Jackson Nocaute (soco) UFC 92: The Ultimate 2008 27/12/2008 1 3:21 Estados Unidos Las Vegas, Nevada
Vitória 32-8-1 (1) Estados Unidos Keith Jardine Nocaute Técnico UFC 84: Ill Will 24/05/2008 1 0:36 Estados Unidos Las Vegas, Nevada Nocaute da Noite.Nocaute do Ano(2008)
Derrota 31-8-1 (1) Estados Unidos Chuck Liddell Decisão (unânime) UFC 79: Nemesis 28/12/2007 3 5:00 Estados Unidos Las Vegas, Nevada Luta da Noite.Luta do Ano(2008).
Derrota 31-7-1 (1) Estados Unidos Dan Henderson Nocaute (soco) Pride 33: The Second Coming 24/02/2007 3 2:08 Estados Unidos Las Vegas, Nevada Perdeu o Cinturão Peso Médio do Pride.
Derrota 31-6-1 (1) Croácia Mirko Filipovic Nocaute (chute na cabeça) Pride Final Conflict Absolute 10/09/2006 1 5:26 Japão Saitama
Vitória 31-5-1 (1) Japão Kazuyuki Fujita Nocaute Técnico (socos e tiro de meta) Pride Critical Countdown Absolute 01/07/2006 1 9:21 Japão Saitama
Vitória 30-5-1 (1) Brasil Ricardo Arona Decisão (dividida) Pride Shockwave 2005 31/12/2005 3 5:00 Japão Saitama Defendeu o Cinturão Peso Médio do Pride.
Derrota 29-5-1 (1) Brasil Ricardo Arona Decisão (unânime) Pride Final Conflict 2005 28/08/2005 2 5:00 Japão Saitama
Vitória 29-4-1 (1) Japão Kazuhiro Nakamura Nocaute Técnico (socos) Pride Critical Countdown 2005 24/06/2005 1 5:24 Japão Saitama
Vitória 28-4-1 (1) Japão Hidehiko Yoshida Decisão (dividida) Pride Total Elimination 2005 23/04/2005 3 5:00 Japão Osaka
Derrota 27-4-1 (1) Nova Zelândia Mark Hunt Decisão (dividida) Pride Shockwave 2004 31/12/2004 3 5:00 Japão Saitama
Vitória 27-3-1 (1) Estados Unidos Quinton Jackson Nocaute (joelhada) Pride 28: High Octane 31/10/2004 2 3:26 Japão Saitama Defendeu o Cinturão Peso Médio do Pride.
Vitória 26-3-1 (1) Japão Yuki Kondo Nocaute (pisões) Pride Final Conflict 2004 15/08/2004 1 2:46 Japão Saitama
Vitória 25-3-1 (1) Japão Ikuhisa Minowa Nocaute (socos) Pride Bushido 2 15/02/2004 1 1:09 Japão Yokohama
Vitória 24-3-1 (1) Estados Unidos Quinton Jackson Nocaute Técnico (joelhadas e tiros de meta) Pride Final Conflict 2003 09/11/2003 1 6:28 Japão Tóquio Ganhou o Grand Prix de Médios do Pride de 2003.
Vitória 23-3-1 (1) Japão Hidehiko Yoshida Decisão (unânime) Pride Final Conflict 2003 09/11/2003 2 5:00 Japão Tóquio
Vitória 22-3-1 (1) Japão Kazushi Sakuraba Nocaute (soco) Pride Total Elimination 2003 10/08/2003 1 5:01 Japão Saitama
Vitória 21-3-1 (1) Japão Hiromitsu Kanehara Nocaute Técnico (interrupção do córner) Pride 23: Championship Chaos 2 24/11/2002 1 3:40 Japão Tóquio Defendeu o Cinturão Peso Médio do Pride.
Vitória 20-3-1 (1) Japão Tatsuya Iwasaki Nocaute Técnico (chute na cabeça e socos) Pride Shockwave 28/08/2002 1 1:16 Japão Tóquio
Empate 19-3-1 (1) Croácia Mirko Filipovic Empate Pride 20: Armed and Ready 28/04/2002 3 5:00 Japão Yokohama
Vitória 19-3 (1) Japão Kiyoshi Tamura Nocaute Técnico (soco) Pride 19: Bad Blood 24/04/2002 2 2:28 Japão Saitama Defendeu o Cinturão Peso Médio do Pride.
Vitória 18-3 (1) Japão Alexander Otsuka Nocaute Técnico (Interrupção Médica) Pride 18: Cold Fury 2 23/12/2001 3 2:02 Japão Fukuoka
Vitória 17-3 (1) Japão Kazushi Sakuraba Nocaute Técnico (interrupção médica) Pride 17: Championship Chaos 03/11/2001 1 10:00 Japão Tóquio Ganhou o Cinturão Peso Médio do Pride.
Vitória 16-3 (1) Japão Shungo Oyama Nocaute Técnico (socos) Pride 14: Clash of the Titans 27/05/2001 1 0:30 Japão Yokohama
Vitória 15-3 (1) Japão Kazushi Sakuraba Nocaute Técnico (joelhadas e tiro de meta) Pride 13: Collision Course 25/03/2001 1 1:38 Japão Saitama
Vitória 14-3 (1) Estados Unidos Dan Henderson Decisão (Unânime) Pride 12: Cold Fury 09/12/2000 3 5:00 Japão Saitama
NC 13-3 (1) Países Baixos Gilbert Yvel Sem Resultado (chute na virilha) Pride 11: Battle of the Rising Sun 31/10/2000 1 0:21 Japão Osaka Yvel foi chutado na virilha.
Vitória 13-3 Estados Unidos Guy Mezger Nocaute (socos) Pride 10: Return of the Warriors 27/08/2000 1 3:45 Japão Saitama
Vitória 12-3 Estados Unidos Todd Medina Nocaute (joelhadas) Meca World Vale Tudo 2 12/08/2000 1 0:39 Brasil Curitiba, Paraná
Derrota 11-3 Estados Unidos Tito Ortiz Decisão (unânime) UFC 25: Ultimate Japan 3 14/04/2000 5 5:00 Japão Tóquio Pelo Cinturão Meio Pesado do UFC.
Vitória 11-2 Países Baixos Bob Schrijber Finalização (mata leão) Pride Grand Prix 2000 Opening Round 30/01/2000 1 2:42 Japão Tóquio
Vitória 10-2 Japão Daijiru Matsui Decisão Pride 8 21/11/1999 2 10:00 Japão Tóquio
Vitória 9-2 Estados Unidos Carl Malenko Decisão Pride 7 12/09/1999 2 10:00 Japão Yokohama
Vitória 8-2 Estados Unidos Tony Petarra Nocaute (joelhadas) UFC 20: Battle for the Gold 07/05/1999 1 2:53 Estados Unidos Birmingham, Alabama
Vitória 7-2 Estados Unidos Eugene Jackson Nocaute (socos) IVC 10: World Class Champions 27/04/1999 1 0:32  Brasil
Vitória 6-2 Estados Unidos Adrian Serrano Nocaute (socos e tiro de meta) IVC 9: The Revenge 20/01/1999 1 0:22 Brasil Aracaju, Sergipe
Derrota 5-2 Brasil Vitor Belfort Nocaute Técnico (socos) UFC: Ultimate Brazil 16/10/1998 1 0:44 Brasil São Paulo
Vitória 5-1 Estados Unidos Mike Van Arsdale Nocaute (soco e tiro de meta) IVC 6: The Challenge 23/08/1998 1 4:00 Brasil São Paulo
Derrota 4–1 Brasil Artur Mariano Nocaute Técnico (interrupção médica) IVC 2: A Question of Pride 09/15/1997 1 13:10 São Paulo, Brazil
Vitória 4-0 Brasil Egidio da Costa Nocaute (socos/bateu) IVC 2: A Question of Pride 09/15/1997 1 2:27 Brasil São Paulo
Vitória 3-0 Estados Unidos Sean Bornett Nocaute (chute na cabeça) IVC 2: A Question of Pride 15/09/1997 1 1:19 Brasil São Paulo
Vitória 2-0 Brasil Marcelão Nocaute Técnico (lesão no ombro) Brazilian Vale Tudo 10 01/07/1997 1 0:20  Brasil
Vitória 1-0 Brasil Dilson Filho Nocaute (soco) Brazilian Vale Tudo 6 01/11/1996 1 3:35  Brasil

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]