Futebol americano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Futebol Americano)
Ir para: navegação, pesquisa
Futebol Americano

Pats-Eagles-2007-GiletteStadium.jpg
Partida entre New England Patriots e Philadelphia Eagles, em 2007

Outros nomes Football, Gridiron
Autoridade máxima IFAF
Ano de criação 1869
Origem  Estados Unidos
Participantes 11 por time
Local de disputa Campo
Duração 60min divididos em 4 tempos de 15min.
Pontuação Touchdown: 6 pontos
Field Goal: 3 pontos
Conversão de 2 pontos: 2 pontos
Safety: 2 pontos
Extra Point: 1 ponto
Equipamento Bola
Olímpico Não

O futebol americano, conhecido nos Estados Unidos simplesmente como football ("futebol", em português),[1] e em alguns outros países de língua inglesa como gridiron,[2] é um desporto de equipe e de contato que surgiu de uma variação do rugby e que recompensa a velocidade, agilidade, capacidade tática e força bruta dos jogadores que se empurram, bloqueiam e perseguem uns aos outros, tentando fazer avançar uma bola em território inimigo durante uma hora de tempo de jogo, que se transforma em três ou quatro de tempo real. É frequente ver no futebol americano uma metáfora para a guerra, com muita violência pessoal a ter lugar dentro do campo, com jogadores pesando 150 kg ou mais a empurrar-se mutuamente com cada grama do seu peso, e com uma linha de frente claramente definida, que se move para trás e para a frente ao longo do campo, separando as equipes de ataque e defesa.

Nomenclatura[editar | editar código-fonte]

O futebol americano nos Estados Unidos é chamado simplesmente de football ao contrário da maioria dos países do mundo que associam a palavra ao futebol. Na verdade essa confusão entre os nomes se dá ao fato do futebol e do rugby terem sido introduzidos praticamente na mesma época no Estados Unidos.

O rugby surgiu na Inglaterra como uma variação do futebol, por isso era formalmente chamado de rugby-football para se diferenciar do futebol controlado pela FA chamado formalmente de association-football. Apesar disso, informalmente os dois desportos eram chamados simplesmente de football, com isso a nomenclatura informal do nome foi carregado junto com o esporte que surgiu com as influências do rugby, sendo que hoje em dia os dois desportos mantém características facilmente reconhecíveis, como no formato da bola (ver artigo Comparação entre rugby e futebol americano).

História[editar | editar código-fonte]

Time do Rutgers College de 1882.
Partida em 1906.

O futebol americano na sua forma atual surgiu de uma série de três jogos entre a Harvard e a Yale, de Mackenzie, em 1867. Os jogadores de McGill jogavam segundo as regras do rugby, ao passo que os da puc jogavam o jogo de Boston, mais próximo do futebol europeu. Como era frequente acontecer nesses tempos de quase inexistência de regras universais, as equipes jogavam com alternância de regras de modo a que ambas tivessem uma hipótese justa de vencer. Os jogadores de Harvard gostaram de ter uma oportunidade de correr com a bola, e em 1875 convenceram a Universidade de Yale a adaptar as regras de rugby para o jogo anual entre as duas universidades. Em 1876, Yale, Harvard, Princeton e Columbia formaram a Associação de Futebol Inter-universitária (Intercollegiate Football Association), que usava as regras de rugby à exceção de uma ligeira diferença na atribuição de pontos.

Em 1887, Walter Camp introduziu as escaramuças no lugar das formações (scrums) do rugby. Em 1892, foi introduzido o sistema de downs para contrariar a estratégia de Princeton e de Yale de controlar a bola sem tentar concretizar. Em 1883 reduziu-se o número de jogadores, a pedido de Camp, para onze, e Camp introduziu o arranjo, que em breve se transformaria em standard, de linha ofensiva de sete homens com um quarterback, dois halfbacks, e um fullback.

Na década de 1890, formações ofensivas entrecruzadas como a cunha voadora tornaram o jogo extremamente perigoso. Apesar de terem sido implantadas restrições à cunha voadora e outras precauções, em 1905 dezoito jogadores foram mortos em jogos. O presidente Theodore Roosevelt informou às universidades de que o jogo teria de ser tornado mais seguro. No entanto, foi só em 1910, depois de mais mortes, que as formações entrecruzadas foram banidas.

O passe de costas foi colocado em 1906. Em 1912 o campo foi colocado nas suas dimensões anteriores, o valor de um touchdown foi aumentado até aos 6 pontos, e acrescentou-se um quarto down.

Popularidade[editar | editar código-fonte]

O futebol americano é o esporte mais popular dos Estados Unidos. Na imagem o FedEx Field, um dos maiores estádios da NFL, com capacidade para 91 mil pessoas.

O futebol americano é extremamente popular nos Estados Unidos. Desde os anos 1990, passou mesmo o baseball como o esporte mais popular da nação. A liga profissional, a National Football League (NFL), que consiste de 32 equipes, é muito popular. O seu jogo do título, o Super Bowl, tem uma audiência anual de quase metade dos lares com TV americanos, e é também emitido para 150 outros países em cerca de 30 idiomas diferentes. As quinze maiores audiências da história da televisão americana foram em jogos de Super Bowl[carece de fontes?].

O futebol americano universitário é tão popular quanto a liga profissional, e muitos colégios e universidades participam na NCAA (National Collegiate Athletic Association), primeira divisão de futebol universitário, lotando consistentemente enormes estádios. Os jogos universitários são também transmitidos pela televisão para grandes audiências. Muitas das instituições integrantes de divisões inferiores de futebol e da National Association of Intercollegiate Athletics (NAIA) têm uma variedade de equipes de futebol americano, e o mesmo acontece com muitas escolas secundárias. Existem também equipes amadoras, de clubes e juvenis (como as equipes das ligas Pop Warner).

Além destas ligas e equipes, agora também já existe a Copa do Mundo de Futebol Americano.

Popularidade no Brasil[editar | editar código-fonte]

A primeira transmissão televisiva do futebol americano na América do Sul foi em 1969 pela TV Tupi, as transmissões não eram ao vivo, o canal recebia a gravação dos jogos da CBS. As transmissões eram narradas por Walter Silva, logo na primeira transmisão ele pediu ajuda aos telespectadores que conheciam do esporte, na outra semana os jogos já estavam sendo comentados pelo norte-americano Thomas Noonan.

Após isso o esporte só iria voltar a ter transmissões ao vivo na década de 1990, pela Rede Bandeirantes, do Campeonato de Futebol Americano dos Estados Unidos entre 1994 a 1998. Atualmente o canal ESPN transmite os jogos da temporada NFL de domingo e segunda-feira e o canal aberto Esporte Interativo transmite os jogos às quintas e dois jogos no domingo. A ESPN transmite os jogos de horário nobre dos Estados Unidos, ou seja, o Sunday Night Football (aos domingos, 8:00 ET) e o Monday Night Football (às segundas, 8:30 ET). O BandSports possuía os direitos de transmissão das partidas de transmissão regional nos Estados Unidos, nos horários de 1:00 ET e 4:15 ET, sendo ET o horário da costa leste americana, ou seja, - 4 GMT. Mas em agosto de 2011, o contrato do canal com a liga encerrou-se e não foi renovado, garantindo assim total exclusividade de transmissão do esporte no Brasil pela ESPN em todos os horários.[3]

Vale ressaltar que a ESPN não escolhe os jogos a serem transmitidos no Brasil, já que recebe o seed diretamente da NBC e da matriz da ESPN. Tais jogos, do SNF e do MNF, são escolhidos pelas emissoras americanas antes de começar o campeonato. No SNF, porém, existe um calendário opcional ao final da temporada, após a décima segunda rodada, para que a NBC transmita os jogos de equipes que estão na briga pela vaga nos playoffs.

Na temporada da NFL de 2014, a média foi de 123 mil espectadores por jogo no país [4] . No Brasil, a prática do esporte é apenas amadora (a liga profissional, que seria aberta em 2013, foi cancelada[5] ), possuindo torneios nacionais organizados por duas entidades (a Confederação Brasileira de Futebol Americano e o Torneio Touchdown). Algumas equipes possuem parcerias com clubes de futebol, facilitando a aquisição de recursos para a prática, porém a maior parte delas depende de autofinanciamento[6] .

O crescimento da popularidade levou à criação de diversas entidades que buscam a formação de atletas, organização de campeonatos e início de profissionalização do esporte no país. Atualmente as seguintes entidades administram o FA brasileiro:

Nacionais
Regionais
Estaduais

O esporte no Brasil começou a ser praticado de forma amadora, sem o uso das proteções obrigatórias, em quadras de areia ou em praias. Há cerca de 5 anos, as equipes começaram a pensar em importar os equipamentos e jogar na grama. Começava então a evolução do Futebol Americano no Brasil.

Em 2009 aconteceu o primeiro campeonato nacional com todos os equipamentos obrigatórios. Foi o Torneio Touchdown, que contou com 8 equipes. Um ano depois, em 2010, as oito equipes que formaram o Torneio Touchdown fundaram a Liga Brasileira de Futebol Americano LBFA, com o 1º ano com quatorze equipe das Regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste do Brasil; e outras sete equipes disputaram o Torneio Touchdown nesse mesmo ano.

Esse ano teremos o torneio da LBFA com 12 equipes e o Torneio Touchdown com 14 equipes.

A AFAB montou em 2007 uma Seleção Brasileira de Futebol Americano, que disputou um amistoso no Uruguai contra a seleção da casa. O placar do jogo foi 20 a 17 para os uruguaios.[7]

Ligas profissionais, universitárias e outras[editar | editar código-fonte]

O campeonato universitário de futebol americano nos Estados Unidos é muito popular, a ponto de lotar os estádios e ser exibido nos principais canais de televisão.
Partida de futebol americano disputada no Brasil entre Caxias Panzers e Jaraguá Breakers válida pelo Campeonato catarinense.

Nos Estados Unidos e no Mundo, joga-se futebol americano a muitos níveis:

  • Futebol profissional
  • Futebol americano feminino
  • Futebol americano de arena - (profissional) jogado em recinto fechado
  • Futebol americano universitário - jogado por muitas instituições americanas de ensino superior (muito popular)
  • Futebol americano escolar - jogado pela maioria das escolas secundárias
  • Futebol americano amador e juvenil
  • Flag Football - sem empurrar e praticamente sem tackle; quase exclusivamente amador

As descrições nesta página baseiam-se principalmente nas regras actuais da Liga Nacional de Futebol (National Football League, NFL, 1920-actualidade). Onde essas regras forem diferentes das do futebol americano universitário, uma nota será feita.

As regras profissionais, universitárias, escolares e amadoras são semelhantes. A pequena Liga de Futebol de Arena (Arena Football League) (1987-actualidade) joga uma adaptação do futebol americano para recinto fechado, jogada a um ritmo mais elevado, num campo menor com linhas laterais incorporadas - as extremidades da grelha coincidem com paredes almofadadas semelhantes às que se encontram no outfield de um campo de baseball. O flag football e o touch football são versões de futebol americano sem empurrões.

Algumas ligas profissionais deixaram de existir: a Liga Mundial de Futebol (World Football League, WFL, 1974-75), a Liga de Futebol dos Estados Unidos (United States Football League, USFL, 1983-1985), a XFL (XFL, 2001), a Conferência de Futebol de Toda a América (All America Football Conference, 1946-1949), a Liga Mundial de Futebol Americano (World League of American Football, WLAF, 1991-1993 - que hoje em dia é a NFL Europa), e a liga que é por muitos considerada a génese do moderno futebol americano profissional, a Liga de Futebol Americano (American Football League, AFL, 1960-1969). A NFL fundiu-se com a Liga de Futebol Americano (AFL) em 1970, depois de a AFL começar ter sucesso no aliciamento de estrelas da NFL. Depois da fusão, a NFL adoptou características inovadoras praticadas pela AFL, tais como nomes dos jogadores nas camisas, relógios oficiais no placar (na NFL era frequente que os relógios no campo e no placar discordassem, o que gerava confusão), e a conversão de dois pontos. Mesmo antes da fusão, a NFL adoptou os conceitos revolucionários da AFL de transmissões televisivas e da partilha das receitas de bilheteira e das transmissões televisivas pelas equipas da casa e visitante. Ao fim de algum tempo, a NFL acabou por adoptar todos os aspectos pioneiros da Liga de Futebol Americano, excepto o nome.

Desde o ano 2000, tem havido uma onda de ligas profissionais femininas.

O jogo[editar | editar código-fonte]

Jogo de futebol americano entre os Tennessee Titans e os Houston Texans em 2005.

Um jogo de futebol americano consiste de uma série de jogadas de curta duração entre as quais a bola não está em jogo. São permitidas substituições entre as jogadas, o que abre as portas a bastante especialização, uma vez que os treinadores põem em campo os jogadores que pensam servir melhor para a situação específica seguinte. O jogo é muito tático e estratégico. Com 22 jogadores dentro de campo ao mesmo tempo (11 por equipe), cada um com uma tarefa atribuída para a jogada seguinte, as estratégias são complexas.

Objetivo do jogo[editar | editar código-fonte]

O objetivo do jogo é somar mais pontos que seu adversário. A principal jogada é entrar na área ao fundo do campo adversário (endzone) com a posse da bola (touchdown), ganhando 6 pontos e direito a pontapé livre a gol por mais 1 ponto extra, ou mesmo 2 pontos extras, se os jogadores tentarem, ao invés de um pontapé livre ao gol, um passe ou uma corrida para a endzone novamente. Ou ainda em uma situação onde um jogador com posse de bola é derrubado, em sua própria "endzone", por um adversário. Tal situação confere dois pontos a equipe do jogador que o derrubou. É a única situação onde um time sem a posse de bola pode pontuar. É a situação análoga ao gol contra do futebol.

Duração, chute inicial e safety punt[editar | editar código-fonte]

O jogo tem a duração de 60 minutos, e é dividido em duas metades separadas por um intervalo. Cada metade consiste de dois quartos com a duração de 15 minutos . As equipes mudam de campo no fim do primeiro e do terceiro quartos. Se um jogo estiver empatado ao fim do tempo regulamentar, joga-se uma prorrogação. As prorrogações obedecem ao método de "morte súbita", o que significa que a equipe que pontuar primeiro, seja de que forma for, ganha.

Um Chute inicial (kickoff, em inglês) é uma jogada especial usada para iniciar cada meio jogo, e também para reiniciar o jogo depois de cada Field goal ou uma tentativa de conversão depois de um touchdown. O chutador da equipe chuta a bola, geralmente desde a sua linha de 35 jardas, embora um chute inicial possa ocorrer de outras zonas do campo devido a uma penalidade na jogada anterior. (Nota: no futebol universitário, a bola também é chutada da linha das 35 jardas). A bola deve ser chutada a partir do chão (e não no ar) e segura, e deve viajar pelo menos 10 jardas. A partir do momento em que a bola tenha viajado 10 jardas para o campo adversário ou tenha sido tocada pelo time que retornará o kickoff, pode ser recolhida por qualquer uma das equipes. Em geral, a bola é simplesmente chutada com força para o campo adversário, mas por vezes uma equipe tenta recuperar o seu próprio pontapé, numa jogada que é conhecida como Onside Kick. Nele a equipe em vez de chutar a bola como um kickoff dá um chute mais curto e tentam pegar a bola de volta(mas isso só é valido se o chute percorrer uma distancia de pelo menos 10 jardas).

Usa-se um safety punt para reiniciar o jogo depois de um safety, mas isso não acontece com frequência. A equipe que foi derrubada na sua zona final (ou endzone) e, portanto, concedeu dois pontos à outra equipe, faz o punt (chute onde a bola é chutada no ar) sua linha de 20 jardas.

Formas de pontuar[editar | editar código-fonte]

Jogador marcando um touchdown.
Tentativa de conversão de field goal.

Pode-se conquistar pontos das formas seguintes:

  • Touchdown (6 pontos), é conquistado quando um jogador tem a posse legal da bola dentro da zona de finalização (endzone, uma parte de 10 jardas colorida no final de campo) do adversário. Conquistar um touchdown é o principal objetivo da equipe que ataca.
    • Um ou dois pontos extras podem ser obtidos depois de um touchdown. Fica a decisão da equipe que ataca marcar um ponto extra ou uma conversão de 2 pontos. O "snap" é cometido na linha de 2 jardas (NFL) ou 3 jardas (futebol universitário). A equipe que defende só pode obter pontos durante uma tentativa de conversão da outra equipe no futebol universitário, no qual se um defensor obtiver a posse de bola e a transportar até à zona de finalização adversária, a sua equipe obtém dois pontos. Esta regra foi adotada pela NCAA em 1990, mas não se usa em mais lugar nenhum.
      • Um ponto extra, com o valor de 1 ponto, obtém-se da mesma forma que um gol de campo (field goal) durante as jogadas normais.
      • Uma conversão de dois pontos é obtida da mesma forma que um touchdown durante as jogadas normais.
  • Um Field Goal, que vale 3 pontos, é conquistado colocando a bola no chão e a acertando entre as traves verticais amarelas de gol atrás da endzone. (Se a tentativa for falhada, a bola é devolvida à linha de scrimmage original - na NFL, o local do pontapé -, e a posse é dada à outra equipe.) É comumente utilizado em situações de quarto down ou no final de uma partida para conseguir a vitória. Existe também o drop-kick semelhante a jogada do Rugbi mas esta jogada é extremamente rara no jogo atual,o último foi feito por Aaron Fitzgerald da University of LaVerneThe em 10 de novembro de 1990 contra Claremont-Mudd-Scripps pela NCAA.
  • Um Safety, com o valor de 2 pontos, é obtida quando um jogador é derrubado ou sai pelo fundo da sua própria endzone.

O campo de jogo[editar | editar código-fonte]

Um campo de futebol americano.

O campo de jogo é um retângulo com 120 jardas (109,73 m) de comprimento e 53 ⅓ jardas (48,76 m) de largura, delimitado por linhas laterais ao longo do comprimento, e linhas finais ao longo da largura. Existe uma linha de gol a 10 jardas de cada uma das linhas finais e paralela a ambas. As duas linhas de gol estão, portanto separadas por 100 jardas. A área do campo entre as linhas de gol tem o nome de campo de jogo. Para lá das linhas de gol, entre estas e as linhas finais, situam-se as áreas de finalização, ou endzone.[8]

Dentro do campo de jogo há marcadores adicionais: os marcadores de jarda e as linhas de restrição (inbound lines ou hash marks), a cada jarda ao longo de todo o comprimento do campo. As linhas de restrição, que são linhas curtas perpendiculares aos marcadores de jarda, estão, na NFL, a 70 ¾ pés (21,56 m) das linhas laterais (Nota: as linhas de restrição estão mais perto das linhas laterais no futebol universitário). A cada 5 jardas, os marcadores de jarda estendem-se a toda a largura do campo, e a cada 10 jardas são marcados por números que indicam a distância, em jardas, até à linha de golo mais próxima.

Ao centro de cada linha final situa-se um conjunto de traves, que têm dois postes longos que se estendem por cima de uma barra horizontal em forma de "Y". A distância entre os postes é de 18 ½ pés (5,64 m), e o topo da barra está a 10 pés (3,05 m) de altura.

Explicação do jogo[editar | editar código-fonte]

Um jogo consiste de muitas jogadas individuais. A vasta maioria dessas jogadas são escaramuças. Cada jogada de escaramuça (scrimmage) é um de uma série de downs atribuída à equipe que detém a posse da bola. Estes dois conceitos, de scrimmage e de downs, são fundamentais para o futebol americano e são o que o distingue (e ao futebol canadense da maior parte das outras formas de futebol).

Um conjunto de downs começa com um primeiro down que é atribuído a uma equipe depois de ela ganhar a posse de bola na jogada anterior, ou então depois de progredir um certo número de jardas desde um conjunto de downs anterior. Num primeiro down à equipe com a posse de bola são dados quatro downs' (tentativas) para tentar ganhar 10 jardas (têm um "first and ten", o que significa que têm um primeiro down e que precisam de dez jardas para conseguir outro primeiro down). A linha que uma equipe deve atingir para ganhar um primeiro down é chamada linha a conquistar. À equipe com posse de bola chamada-se equipe ofensiva e à outra equipe defensiva.

Jogadas de scrimmage[editar | editar código-fonte]

Linha de scrimmage.

Cada down é uma jogada de scrimmage. Antes de cada jogada de scrimmage, as duas equipes alinham-se em lados opostos de uma linha de scrimmage, que é determinada pelo ponto onde a bola ficou na jogada anterior. Esse ponto é, na maioria dos casos, a linha de jarda onde a bola parou na jogada anterior adicionado ou subtraído de jardas de penalidade que possam haver. Um down, ou jogada de scrimmage, começa com um snap e termina quando a bola fica morta por qualquer razão. Um snap é uma entrega entre as pernas do central ao quarterback, ou um passe entre as pernas do central ao quarterback ou possivelmente a outro jogador como um punter ou um transportador para uma tentativa de field goal (gol de campo). A bola pode ficar morta, terminando o down, porque um jogador na sua posse é empurrado, ou porque o seu progresso é parado, ou porque sai dos limites do campo, ou porque um passe em frente fica incompleto.

Fazer avançar a bola[editar | editar código-fonte]

Bola de futebol americano.
Um quarterback se preparando para fazer um passe a frente.
Quando um jogador leva um tackle e cai no chão é marcado um down.

Há dois métodos para fazer avançar a bola, mantendo a sua posse:

  • Correr com a bola - O quarterback, que é o jogador que geralmente fica com a bola depois do snap, pode correr com ela ou, o que é mais frequente, entregá-la ou fazer um passe curto para um running back, que se transforma no transportador de bola. A maior parte dos outros jogadores de ataque têm tarefas de bloqueio.
  • Um passe em frente - Um passe em frente só pode ser feito numa jogada de scrimmage e de uma posição atrás da linha de scrimmage. Deve ser feito para um receptor válido (qualquer jogador que não seja um extremo interior). Um passe completo é um passe que é apanhado por um receptor válido. O jogador pode correr com a bola depois de a apanhar. Um passe incompleto é um passe em frente em que a bola bate no chão ou sai do terreno de jogo, caso em que no ponto em que o passe termina, a bola fica morta e é posta na linha de escaramuça anterior para a jogada seguinte. Uma interceptação é um passe que é apanhado pela defesa, o que transfere a posse de bola para a equipe defensiva, que pode correr com a bola.

É importante para o ataque desencadear jogadas variadas de corrida e de passe por forma a deixar a defesa incerta quanto à jogada seguinte. Se a defesa conseguir adivinhar as jogadas da equipa atacante, o seu posicionamento irá ser ajustado em conformidade, e os atacantes verão as suas hipóteses grandemente reduzidas.

  1. NOTA: A distancia de um first down é de 10 jardas mas quando a distancia para a endzone é de menos de 10 jardas é interpretado como 1st and goal

Situações de quarto down[editar | editar código-fonte]

Se uma equipa utilizar todos os seus quatro downs sem ganhar o número de jardas necessárias para obter um primeiro down (são 10 jardas, inicialmente) a posse de bola é transferida para a outra equipa. As situações de quarto down são, portanto, opcionais. O ataque tem três opções: avançar, chutar a bola no ar (punt) ou tentar um field goal(gol de campo).

Coisas que a equipe atacante pode decidir fazer no quarto down:

  • Avançar - Se a distância necessária para conquistar um primeiro down for curta, uma equipe pode optar por avançar—elaborar uma jogada de corrida ou passe normal—no quarto down, mas é uma opção frequentemente arriscada: se não se conseguir chegar ao objetivo, a posse de bola é transferida para a equipe adversária, em geral com muito melhor posição em campo do que teria através de um punt. A opção segura é normalmente chutar a bola.
  • Chutar a bola (punt) - Uma equipe pode escolher chutar a bola a fim de ganhar uma melhor posição em campo.
  • Tentar um Field Goal - Tentativas de Field Goal têm de ser feitas com a bola no chão, e portanto um jogador chamado holder segura a bola para um kicker. (Em outros tempos, um kicker poderia tentar um chute no ar — ou seja, deixar a bola cair e chutá-la depois dela bater no chão — caso a bola passe entre os postes de gol, isto conta como Field Goal. Mas isto é difícil de fazer porque a bola tem a forma achatada, e pinga de forma imprevisível. Hoje em dia, a única ocasião em que é possível ver esta jogada é quando um kicker está pressionado depois de uma jogada interrompida.) As tentativas falhas de Field Goals, se ficarem curtas, podem ser interceptadas pelo adversário, mas a bola geralmente ultrapassa a linha final e nao pode ser interceptada. Se a tentativa de Field Goal falha, a bola é colocada na linha de scrimmage original, e a posse de bola é dada à equipa adversária. (Na NFL, depois das tentativas falhas a bola é colocada no local do pontapé.)

Ocasionalmente, uma equipe pode empregar um truque no quarto down. Alinha-se como se fosse pontapear a bola ou tentar um Field Goal mas em vez disso arma uma jogada de corrida ou de passe.

Posições em campo do futebol americano[editar | editar código-fonte]

American football positions.svg

Com as suas substituições ilimitadas, o futebol americano é altamente especializado e a maioria das equipas têm três "times": time de ataque, time de defesa e o time de especialistas. Existem muitos jogadores especializados em cada uma destas unidades. Alguns jogadores podem só ser usados em certas situações. (Para mais detalhes, veja unidade ofensiva, unidade defensiva e equipe de especialistas.)

Também existem vários tipos de formações no futebol americano (ver artigo formações no futebol americano).

A equipe de futebol americano pode contar com até 53 jogadores inscritos. Simplificando, as posições são:

Ataque[editar | editar código-fonte]

  • Quarterback (QB): O quarterback é a peça mais famosa do futebol americano. É a peça central do ataque, encarregado de distribuir a bola. A bola quase sempre passa primeiro pelas mãos do quarterback, não importando se a jogada será realizada por terra ou por ar.

O QB é o "braço-direito" do técnico, ouvindo dele instruções antes de cada jogada por meio de um ponto eletrônico no capacete. Suas funções são: - Formar um huddle - a reunião rápida dos jogadores para combinar a estratégia de cada jogada. - Comunicar aos companheiros as instruções recebidas do técnico. - Conferir a posição dos jogadores. - Analisar o posicionamento da defesa adversária, para ver se a jogada terá efeito. - Se necessário, fazer um audible - mudar a jogada para um "plano B". - Dar o sinal vocal para o início da jogada. - Executar a jogada planejada.

Recebedores[editar | editar código-fonte]

  • Wide-Receivers (WR): Têm a função de penetrar rapidamente, sem bola na defesa adversária. Uma vez no território adversário, se torna alvo dos passes do QB.
  • Tight-End (TE): Mistura de recebedor e bloqueador, sua principal função é impedir que os defensores adversários cheguem ao seu QB. Mas em muitas jogadas, o TE também pode receber passes.

Running Backs[editar | editar código-fonte]

  • Halfback (HB): Carregam a bola em jogadas terrestres, partindo antes da linha de scrimmage numa recepção chamada handoff
  • Fullback (FB): Abre caminho para o corredor, também bloqueia para o quarterback em jogadas pelo ar. Pode receber a bola para uma jogada terrestre pela sua força, tentando ganhar mais jardas.
  • Slotback (SB): O slotback é semelhante ao wide receiver, mas também tem muitas das mesmas características que um running back, se alinha mais perto da linha ofensiva, mas atrás dos tackles. Bloqueiam e recebem, assim como TEs.

Linha de bloqueadores[editar | editar código-fonte]

  • Center (C): Dá início à jogada, passando a bola por baixo de suas pernas para o quarterback, logo atrás dele. Esse movimento se chama snap.

O Center se posiciona no meio da linha de bloqueadores e, além de ótimo bloqueador, deve ser rápido. Isso porque no exato instante em que coloca a bola em jogo, já começa a sofrer pressão da linha defensiva adversária. Nas jogadas aéreas, o trabalho de um center é prover apoio para seus companheiros de linha e cuidar de qualquer defensor adversário sem marcação. Já nas jogadas terrestres, ele ajuda a abrir "buracos" na defesa adversária, para que o corredor tenha por onde passar.

  • Offensive Guard (OG): Os guards são sempre dois e ficam um de cada lado do center. Têm responsabilidade em tudo que acontece no miolo da linha. Sua função nos passes é bloquear os defensive tackles adversários.
  • Offensive Tackle (OT): Os tackles são dois e ficam ao lado dos guards, cuidando cada um de uma extremidade da linha. Seu trabalho nas jogadas aéreas é proteger o quarterback, normalmente bloqueando os defensive ends adversários. Nos times com quarterbacks destros, o jogador mais importante da linha é o left tackle, pois durante o movimento feito para lançar a bola, o quarterback vira o corpo para a direita, perdendo o campo de visão à esquerda - o famoso blind side. Assim, não consegue perceber a aproximação de um adversário, dependendo do left tackle para sua proteção naquele lado. O inverso se aplica aos quarterbacks canhotos.

Defesa[editar | editar código-fonte]

  1. Defensive Tackles (DT): jogam no meio da linha de defesa.
  2. Defensive Ends (DE): jogam nas pontas da linha de defesa.
  3. Linebackers (LB): jogam logo atrás da linha de defesa, avançam para fazer tackles e às vezes fazem cobertura em passes curtos.
  4. Cornerbacks (CB): "marcam" os wide-receivers.
  5. Safeties (SS ou FS): responsáveis pela cobertura.

Special Teams[editar | editar código-fonte]

  1. Kicker (K): chuta os field goals e Kick off´s.
  2. Punter (P): faz os punts e também podem dar os Kick off´s
  3. Holder (H): segura a bola para um chute do kicker. Em alguns times, principalmente nas ligas univesitárias e colegiais, o quarterback também joga como holder.
  4. Kickoff Specialist (KS): Só alguns times possuem, jogador que só da os Kickoff`s
  5. Punt returner ou Kickoff returner: devem agarrar uma bola chutada e correr o máximo que der para frente.

Penalidades[editar | editar código-fonte]

Os 7 árbitros de uma partida.
Um árbitro da NFL jogando a flanela amarela (flag) indicando uma falta na jogada.

Abaixo estão listadas algumas das penalidades mais comuns. Na maioria das situações, a equipe que comete a falta sofre uma penalidade de 5, 10 ou 15 jardas, mas em casos mais graves podem ter mais de 15 jardas, dependendo da infração. Pode também haver uma perda de down para uma penalidade contra o ataque. Uma penalidade contra a defesa pode resultar um primeiro down automático. Em certos casos, ao ataque é dada a hipótese de declinar a penalidade e ficar com as jardas ganhas na jogada. para algumas infracções defensivas, a penalidade soma-se às jardas ganhas na jogada. Uma falta pessoal, que tem a ver com perigo para outro jogador, tem como resultado, geralmente, uma penalidade de 15 jardas.[9]

Nota: A zona neutra é o espaço definido por uma linha que atravessa a bola paralelamente às linhas de jarda quando a bola é colocada no solo, pronta para ser jogada. Nenhum jogador, à excepção do central, pode ter uma parte qualquer do corpo na zona neutra aquando do snap.

Penalidades contra o ataque[editar | editar código-fonte]

  • Saída falsa (False Start) (5 jardas) - quando um jogador se move antes do snap de uma maneira que simula o início da jogada (salvo a casos de audibles).
  • Movimento ilegal (5 jardas) - quando mais do que um back (corredor) está em movimento no momento do snap
  • Deslocamento ilegal (5 jardas) - quando a linha não está parada antes do snap.
  • Formação ilegal (Ilegal Formation) (5 jardas) - quando há menos de 7 jogadores na linha de scrimmage.
  • Atraso no jogo (Delay of Game) (5 jardas) - quando se deixa passar o máximo do tempo entre cada jogada (que são 40 segundos a partir do término da jogada anterior) antes do snap.
  • Recebedor não elegível (válido) avançado (5 jardas) - quando um lineman está à frente da zona neutra antes de um passe para frente. Um jogador de linha ofensiva não é elegível (apto) para receber o passe, a exceção quando o quarterback comunica ao juiz que o jogador em questão irá se posicionar como recebedor.
  • Passe em frente ilegal (5 jardas e perda de down) - quando o passe frontal é feito a frente da linha de scrimmage, ou quando é realizado um segundo passe em frente na mesma jogada.
  • Segurada (holding) (10 jardas) - quando há um uso ilegal das mãos ou braços no bloqueio.
  • Interferência no passe ofensivo (10 jardas) - quando há interferência do jogador de ataque em uma interceptação iminente.
  • Intentional Grounding (10 jardas e perda de um down) - quando o quarterback faz um passe frontal com intenção iminente de se livrar da bola dentro do pocket, sem visar um recebedor em potencial. As exceções são quando o quarterback está fora do pocket (bolsão) e lança a bola além da linha de first down, quando o quarterback faz um passe frontal enquanto está recebendo contato de um defensor) e quando ele está dentro do pocket (bolsão) e lança a bola no chão para parar o tempo (spike ball).
  • Clipping (15 jardas) – quando o bloqueador derruba o defensor pelas pernas (rasteira).
  • Bloqueio ilegal (15 jardas) - quando há um bloqueio ilegal, por trás ou abaixo da linha dos joelhos.

Penalidades contra a defesa[editar | editar código-fonte]

  • Offside (5 jardas) - jogador da defesa a frente da zona neutra na hora do snap.
  • Running into the kicker (5 jardas) - ocorre quando há situação de tackle iminente sobre o kicker, estando ele sem a posse de bola.
  • Interferência no passe (Pass Interference) - interferência corporal do defensor sobre um recebedor durante uma recepção de passe frontal.
  • Agressão ao punter (15 jardas) - quando o punter sofre contato no capacete depois de ter feito o punt.
  • Agressão ao passador (roughing the passer) (15 jardas) - quando o quarterback é tocado no capacete depois do passe.
  • Encroachment (5 jardas) - jogador de defesa toca um jogador de ataque antes do snap.
  • Zona neutra (neutral zone)- (5 jardas) - quando o defensor atravessa a linha de escaramuça antes do snap

Penalidades contra qualquer equipe[editar | editar código-fonte]

  • Demasiados jogadores em campo (5 jardas)
  • Agarrar a máscara facial (Face Mask) (15 jardas) - se for intencional, 15 jardas (Desde 2008 todas as faltas por agarrar a máscara são consideradas faltas de 15 jardas). Um simples toque na máscara facial do adversário, sem a agarrar, é ilegal.
  • Conduta Anti-Desportiva: Quando um jogador faz algo que não é permitido, como uma violação flagrante de uma regra, ou uma falta por causa de provocação do jogador adversário ou até mesmo com um comportamento que, segundo a liga, não condiz com a conduta de um profissional. A falta pode ser uma penalização de 15 jardas ou até mesmo a expulsão do jogador.
  • Falta pessoal (15 jardas) - Agressão física desnecessária contra o oponente. Também se aplica a colisões capacete-capacete em jogadores indefesos.

Lesões[editar | editar código-fonte]

Apesar dos capacetes e das pesadas protecções que os jogadores usam em campo, as lesões são comuns no futebol americano. Um "relatório de lesões" é ubíquo nas secções desportivas dos jornais americanos, listando os jogadores lesionados, as suas equipas, as lesões de cada um e quanto tempo se espera que ele esteja sem jogar. Por volta do meio da semana, todas as equipas da NFL divulgam relatórios sobre o estado dos seus jogadores lesionados, em que é dada a informação de "fora" (não irá jogar no jogo seguinte), "duvidoso" (probabilidade de jogar de 25%), "questionável" (probabilidade de jogar de 50%) ou "provável" (probabilidade de jogar de 75%). Um sistema semelhante é usado em todos os desportos profissionais americanos.

Todos os anos morrem uma média de oito jogadores em resultado de lesões sofridas em jogos de todos os níveis. Em todas as épocas registam-se cerca de 160 traumatismos cranianos, e a Liga Nacional de Futebol Americano tem agora métodos personalizados para verificar se um determinado jogador sofreu ou não um traumatismo.

As lesões sofridas pelos jogadores de futebol americano são com frequência permanentes. Muitos antigos jogadores sofrem de dores, por vezes graves, que os atormentam pelo resto da vida. É frequente que os jogadores necessitem de operações cirúrgicas, por vezes múltiplas, para tratar lesões sofridas anos antes.

Curiosamente, os jornalistas que entrevistaram antigos jogadores de futebol americano estropiados ou a sofrer como resultado da sua antiga prática desportiva, descobriram que um jogador nunca (ou quase) expressa arrependimento pela sua escolha de carreira. É frequente que os jogadores digam que a emoção de jogar futebol paga uma vida inteira de dores.

Dopping[editar | editar código-fonte]

Os jogadores contemporâneos de futebol são maiores do que os seus predecessores de há 30 ou quarenta anos. É normal, por exemplo, que todos os membros da linha ofensiva de uma equipa profissional ou universitária principal pesem mais de 135 kg, enquanto que nos anos 1960 era comum encontrar linemen com um peso de apenas 120 kg. O aumento no tamanho dos jogadores conduziu a uma aumento na frequência e na severidade de lesões.

Uma vez que os standards nutricionais e as técnicas de treinamento do peso já estavam bastante avançadas nos anos 1960, pensa-se que muito do aumento no tamanho dos jogadores é resultado da vasta disponilidade de esteróides anabolizantes ilegais, que aumentam o crescimento dos tecidos musculares. Essas drogas estão disponíveis até mesmo para jogadores escolares.

Uma vez que os esteróides anabolizantes têm efeitos secundários perigosos, a NFL testa os seus jogadores em busca de esteróides e penaliza os que são apanhados. No entanto, soube-se recentemente que novas variedades de esteróides que não são detectados pelos testes antidopping existentes foram desenvolvidos em laboratórios clandestinos. Ou seja, existe uma espécie de "corrida aos armamentos" entre os cientistas que desenvolvem novos tipos de esteróides ilegais e os que desenvolvem testes para os detectar.

Super Bowl[editar | editar código-fonte]

Noite do Super Bowl XL no Ford Field na cidade de Detroit.

O Super Bowl é a grande final da liga NFL disputada entre os campeões da AFC e da NFC em uma cidade sede pré-definida. É o jogo de campeonato mais assistido do mundo, sendo transmitido ao vivo para 180 países.

Em 1991, a partida foi transmitida ao vivo para os soldados americanos que lutavam na Guerra do Golfo. Em 1992, os astronautas a bordo da nave espacial Discovery tiveram o mesmo privilégio. Já em 1993, Michael Jackson fez um pequeno show em um dos intervalos da partida. Nos intervalos das trasmissões pela TV do SuperBowl, também é comum a divulgação dos maiores lançamentos da próxima temporada de blockbusters (verão norte-hemisférico) do cinema americano em spots de 30 segundos. Geralmente sendo o primeiro trailer divulgado de cada filme.

A decisão do Super Bowl foi uma ideia do bilionário texano Lamar Hunt, magnata do petróleo e apaixonado por esportes. Em 1959, havia apenas a Liga Nacional, com treze equipes. Hunt criou a Liga Americana, cheia de inovações: nome dos jogadores nas costas das camisas até placares eletrônicos. Em 1966, as duas ligas formaram a National Football League, conhecida como NFL. Para animar a rivalidade, em janeiro de 1967 eles passaram a disputar uma final entre os campeões de cada liga. No primeiro ano, o Kansas City Chiefs, clube de Hunt, perdeu para o Green Bay Packers, da liga Nacional, por 35 X 10. O jogo só ganhou o nome de Super Bowl em 1969. Uma filha de Hunt adorava uma bola de borracha e a chamava de super ball.

Campeões do Super Bowl[editar | editar código-fonte]

Títulos Time Anos
6 Pittsburgh Steelers 1974, 1975, 1978, 1979, 2005, 2008
5 San Francisco 49ers 1981, 1984, 1988, 1989, 1994
Dallas Cowboys 1971, 1977, 1992, 1993, 1995
4 Green Bay Packers 1966, 1967, 1996, 2010
New York Giants 1986, 1990, 2007, 2011
3 Los Angeles/Oakland Raiders 1976, 1980, 1983
Washington Redskins 1982, 1987, 1991
New England Patriots 2001, 2003, 2004
2
Miami Dolphins 1972, 1973
Denver Broncos 1997, 1998
Baltimore/Indianapolis Colts 1970, 2006
Baltimore Ravens 2000, 2012
1
New York Jets 1968
Kansas City Chiefs 1969
Chicago Bears 1985
Los Angeles/St. Louis Rams 1999
Tampa Bay Buccaneers 2002
New Orleans Saints 2009
Seattle Seahawks 2013

Referências

  1. Nos Estados Unidos e no Canadá, o termo futebol pode referir-se ao futebol americano ou ao futebol canadense (ou canadiano). Este artigo descreve a variante americana.
  2. The American Heritage® Dictionary of the English Language, Quarta edição. Houghton Mifflin Company, 2004.
  3. BandSports não transmitirá a NFL este ano | AFAB - Site Oficial Acesso em 10 de Janeiro de 2012
  4. Audiência do futebol americano cresce 132% no Brasil em um ano Notícias da TV - UOL (06/02/2014).
  5. Investidor desiste e liga brasileira profissional de futebol americano tem temporada cancelada (07/10/2013).
  6. Renan Fernandes (02/02/2014). O futebol americano ainda vive um cenário amador no Brasil Estadão. Página visitada em 27 de julho de 2014.
  7. [1]
  8. Regras do Futebol Americano Acesso em 10 de Janeiro de 2012
  9. Infrações no futebol americano segundo a NFL Acesso em 10 de Janeiro de 2012

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal do Desporto
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Futebol americano

Ligações externas[editar | editar código-fonte]