Pittsburgh Steelers

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pittsburgh Steelers
Temporada de 2014 da NFL
Fundado em 1933
Joga em Heinz Field, Pittsburgh, Pensilvânia
{{{geral}}}
Pittsburgh Steelers logo
Afiliações na liga/conferência

National Football League (1933–presente)

Uniforme
Cores Preto, dourado, branco

              

Pessoas-chave
Dono (s) Família Roonery (desde 1933)
Chairman Dan Rooney
General manager Kevin Colbert
Treinador Mike Tomlin
História do time
  • Pittsburgh Pirates (1933-39)
  • Pittsburgh Steelers (1940–42)
  • Phil-Pitt "Steagles" (1943)
  • Card-Pitt (1944)
  • Pittsburgh Steelers (1945–presente)
Títulos
Títulos da liga (6)
Campeões da conferência (8)
Campeões da divisão (20)
  • AFC Central: 1972, 1974, 1975, 1976, 1977, 1978, 1979, 1983, 1984, 1992, 1994, 1995, 1996, 1997, 2001
  • AFC North: 2002, 2004, 2007, 2008, 2010
Aparições em playoff (27)
  • 1947, 1972, 1973, 1974, 1975, 1976, 1977, 1978, 1979, 1982, 1983, 1984, 1989, 1992, 1993, 1994, 1995, 1996, 1997, 2001, 2002, 2004, 2005, 2007, 2008, 2010, 2011
Estádios
Presidentes
Steelers contra Tampa Bay Buccaneers em 2006

O Pittsburgh Steelers é um time de futebol americano da cidade de Pittsburgh, Pensilvânia, que disputa a NFL desde 1933. Steelers significa, em português, "metalúrgicos", aludindo a uma das indústrias mais fortes da cidade. O time é hexacampeão do Super Bowl.

História[editar | editar código-fonte]

O time foi fundado com o nome de Pittsburgh Pirates, o mesmo do time de beisebol da cidade, e em 1940 mudou para o nome atual. Durante a Segunda Guerra Mundial a falta de jogadores devido ao contingente norte-americano na Europa, o time fundiu-se temporariamente com o Philadelphia Eagles, formando o Phil-Pitt Steagles. Depois a fusão temporária foi com o Chicago Cardinals, nascendo então o Car-Pitt, sendo apelidado de Carpets, referência à lanterna da liga após perder todos os dez jogos que disputou.

Nos anos 1970, com a chegada do treinador Chuck Noll, o time tornou-se um dos mais vitoriosos da NFL e o melhor da década: sob o comando do quarterback Terry Bradshaw, o time recebeu o apelido de "Cortina de Aço" e conquistou quatro títulos em seis anos.

Na temporada de 1995 os Steelers conseguiram chegar ao Super Bowl pela primeira vez em dezesseis anos, mas não obtiveram sucesso contra o Dallas Cowboys e perderam por 27 a 17. Dez anos depois, com a chegada do quarterback Ben Roethlisberger, a equipe conquistou mais um título do Super Bowl e três anos mais tarde repetiu o feito. Com isso, o Pittsburgh Steelers é o maior vencedor do Super Bowl, com seis troféus Vince Lombardi, passando os Cowboys e o San Francisco 49ers, que têm cinco troféus cada.

Ao todo, os Steelers chegaram ao Super Bowl oito vezes, sagrando-se campeões em seis delas: as temporadas de 1974, 1975, 1978, 1979, 2005 e 2008.

Jogadores[editar | editar código-fonte]

Os principais jogadores do time são: o quarterback Ben Roethlisberger, o wide-reciver Antonio Brown, o tight end Heath Miller e o center Maurkice Pouncey. Pelo lado defensivo, destacam-se o strong safety Troy Polamalu, os linebackers LaMarr Woodley e Lawrence Timmons, e o defensive-end Brett Keisel. O atual técnico é Mike Tomlin, que comanda a equipe desde o início de 2007.

Na história, seus principais nomes são o quarterback Terry Bradshaw, os running backs Franco Harris e Jerome Bettis, os linebackers Jack Ham e Jack Lambert, os defensive tackles Joe Greene e Ernie Stautner, os wide receivers Lynn Swann, John Stallworth e Hines Ward.

Estádio[editar | editar código-fonte]

Os Steelers jogam no Heinz Field, estádio inaugurado no início do século que leva o nome da companhia de condimentos que o patrocina.

Torcida[editar | editar código-fonte]

A ascensão dos Steelers, nos anos 1970, ocorreu na mesma época em que a cidade passou a adotar o time, por causa da crise que fechou boa parte das siderúrgicas da cidade.[1] Nessa mesma época, a "Toalha Terrível" — Terrible Towel, em inglês — foi criada (em 1975) pelo falecido locutor de rádio Myron Cope, a princípio para ser usada apenas nos playoffs. Toda amarela, com letras pretas, é agitada até hoje pela torcida para "colorir" as arquibancadas. Os diretores da rádio que transmitia as partidas dos Steelers pediram a Cope que inventasse alguma jogada de marketing para promover seus jogos. Cope protestou, dizendo que não era um homem de jogadas de marketing, mas foi forçado a fazê-lo, porque seu contrato venceria ao final da temporada.[2] Nascia assim o que é considerado o símbolo mais conhecido de qualquer torcida nos esportes norte-americanos,[3] está exposta no Hall da Fama do esporte e tem parte de sua renda revertida para a caridade.[2]

Referências

  1. Tim Layden (2 de fevereiro de 2009). We are family (em inglês) Sports Illustrated. p. 47. Vault.sportsillustrated.cnn.com.
  2. a b Robert Dvorchak (28 de fevereiro de 2008). Creator of Towel Dead p. A-9. Pittsburgh Post-Gazette.
  3. Steelers broadcaster Cope dies at 79 (em inglês) Sportsillustrated.cnn.com (27 de fevereiro de 2008).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.