Novo Basquete Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Novo Basquete Brasil (NBB)
Temporada ou competição atual:
Basketball current event.svg Novo Basquete Brasil de 2013-14
NBB.png
Esporte Basquete
Fundada 1 de agosto de 2008
São Paulo, São Paulo, Brasil
CEO Cássio Roque
Temporada inaugural 2008-09
País(es)  Brasil
Continente União Sul-Americana de Nações América do Sul
FIBA Américas
Equipes 17
Atual campeão Rio de Janeiro Flamengo (3º título)
Maior campeão Rio de Janeiro Flamengo / Distrito Federal (Brasil) Brasília (3 títulos)
TV SporTV
Rede Globo
Site oficial LNB.com.br

O Novo Basquete Brasil (NBB) é a liga oficial de basquete do Brasil, organizada com a chancela da Confederação Brasileira de Basketball, em substituição ao antigo Campeonato Brasileiro de Basquete[1] . É reconhecida pela FIBA (a Federação Internacional de Basquete) como a liga de basquete do Brasil. O Basquete é um dos esportes mais populares do Brasil, sendo que a seleção já foi uma das principais da modalidade.

A liga foi fundada no dia 1 de agosto de 2008 mantendo sede em São Paulo e conta, atualmente, com 18 clubes filiados. A liga foi criada pela Liga Nacional de Basquete, atualmente presidida por Cássio Roque e organizada pelos clubes e federações, em uma parceria com a Rede Globo.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Torneios Anteriores[editar | editar código-fonte]

Taça Brasil[editar | editar código-fonte]

A Taça Brasil foi o primeiro torneio oficial de basquete do Brasil, criado pela Confederação Brasileira de Basketball (CBB), realizando 24 edições[3] [4] entre 1965 e 1989, sendo conquistado por 8 times diferentes, e o principal campeão sendo o Esporte Clube Sírio, com 7 títulos.

Campeonato Brasileiro de Basquete[editar | editar código-fonte]

Em 1990, a Taça Brasil mudou de nome para Campeonato Brasileiro de Basquete, com um formato mais organizado de uma temporada por ano. O Campeonato foi conquistado por 11 times diferentes, sendo Franca o principal campeão, com 6 títulos.

Novo Basquete Brasil: Primeiros Anos (14 e 15 equipes)[editar | editar código-fonte]

O Novo Basquete Brasil foi criado pela LNB. A Liga Nacional de Basquete foi lançada em dezembro de 2008, reunindo as principais lideranças e os mais representativos clubes do basquete brasileiro, com o objetivo de reconduzir o esporte ao posto de segundo mais popular do Brasil, atrás apenas do futebol. Baseada no que há de mais moderno e bem-sucedido no conceito de gestão esportiva no mundo, a LNB traz ao País a ideia consagrada pela NBA: uma liga independente, gerida pelos próprios clubes. Começou sendo presidida por Kouros Monadjemi. A LNB contava, na primeira temporada, com 15 clubes associados, que participam do NBB, que é organizado pelos clubes, em parceria com a Rede Globo e chancela da Confederação Brasileira de Basketball (CBB). Os jogos acontecem de acordo com as regras da FIBA.

A primeira edição do NBB começou no dia 28 de Agosto de 2008 e terminou no dia 18 de julho de 2009, sendo disputada por 15 franquias[5] . O campeão foi o time do Flamengo, terminando em 1º lugar na primeira fase e vencendo Pinheiros e Joinville em 3 jogos e Brasília em 5 jogos, na primeira final da NBB (os playoffs tem no máximo 5 jogos), também elegendo o MVP Marcelinho Machado.

A segunda temporada do NBB, teve as baixas dos times de Limeira e Saldanha da Gama e a adição do Londrina, com isso a NBB teve sua primeira e única temporada com 14 equipes. O título acabou nas mãos do vice-campeão da temporada anterior, o Brasília, que repetiu as finais da temporada anterior e levou da mesma forma que o adversário anteriormente (3-2) para ser o campeão do NBB 2009-10, mas o prêmio de MVP da temporada regular acabou com o mesmo da temporada anterior, Marcelinho Machado.

Assim começou a dominância do time de Brasília, que viria a ganhar mais 2 títulos, dessa vez sobre os paulistas Franca e São José, também elegeu o MVP da temporada regular do NBB 2010-11, Guilherme Giovannoni, já o MVP do NBB 2011-12, acabou nas mãos do vice-campeão Murilo Becker. A temporada 2010-11 marcou a volta do time de Limeira à competição, e a saída de Londrina após apenas um ano, além da entrada de Uberlândia. Já a temporada de 2011-12 teve a saída do time de Assis para a entrada do Tijuca. Nas 2 competições o campeonato voltou a ter 15 competidores.

A partir do ano de 2011 também começou a ser realizada a Liga de Desenvolvimento de Basquete, vencido pelo Flamengo em 2011 e pelo Bauru em 2012, a terceira edição da liga começará no dia 24 de junho de 2013.

18 equipes e volta de times tradicionais[editar | editar código-fonte]

Foi anunciado que a temporada 2012-13 do NBB teria a participação de 18 equipes, sendo 2 as finalistas da Copa Brasil de Basquete, que acabou se tornando uma 2ª divisão da liga, os finalistas Palmeiras e Mogi das Cruzes ingressaram na liga, junto com o Basquete Cearense e a volta do Assis, agora sob o nome e cidade de Suzano. A temporada teve como campeão novamente o time do Flamengo, que conquistou seu segundo título, também levando o MVP da temporada, com o ala Marquinhos.

A popularização do NBB têm se tornado um estímulo para os clubes tradicionais retornarem ao basquete, ao exemplo do próprio Palmeiras. O Fluminense FC também criou novamente seu time de basquetebol a nivel profissional, indo até o Torneio de Promoção NBB 2013, mas perdendo as vagas para a edição 2013-14, para o Macaé Basquete e o Tijuca, sendo que o outro participante do quadrangular, o Suzano Basquete havia desistido de participar do campeonato e deixou o NBB.

Futuro da liga[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2012, foi eleito um novo presidente para o NBB, Cássio Roque. Em uma entrevista logo após a eleição, o novo presidente afirmou que os objetivos principais do NBB são o aumento da participação em cenário nacional, com melhoras na venda do basquete e a expansão geográfica dos clubes da liga, além da melhoria no calendário, que acaba coincidindo com o Campeonato Paulista de Basquete.[6] Após o Fluminense FC sua volta ao basquete, o presidente constatou a importância dos grandes clubes na evolução do esporte, citando o próprio Vasco da Gama.[7] Também citando a criação da Liga de Desenvolvimento (LDO) no ano anterior, além de um campeonato mais organizado e extenso, foi anunciada também a criação da Segunda Divisão, a partir da temporada 2014-15, onde será realizado um quadrangular entre seus 2 melhores times com os 2 piores da temporada da NBB, que decidirá quais duas equipes permanecem na competição, além do estímulo à melhora das arenas e ginásios das equipes, para oferecer mais conforto e serviços ao espectador, onde também foi comentada a possivel da criação de um Draft a longo prazo.[8]

Participantes[editar | editar código-fonte]

A primeira temporada do NBB aconteceu com 15 equipes, na segunda foram reduzidos a 14 e nas próximas duas temporadas foram novamente 15 equipes. A partir do NBB 2012-13 passaram a ter 18 equipes no NBB. Sendo o maior campeão o time de Brasília, com 3 títulos, logo após vem o Flamengo, com 2 títulos.

O estado com maior número de equipes é São Paulo, com 10 franquias. Atualmente, times de 7 estados participam do NBB. A região Sudeste do Brasil é sede para a maioria dos clubes da competição, com 15 times, e a Região Norte do Brasil é a unica que não possui times no NBB.

Equipe Cidade Estado Em 2012-13 Ginásio Capacidade Títulos
Basquete Cearense Fortaleza Ceará CE Ginásio Paulo Sarasate 17 000 0 (não possui)
Bauru Bauru São Paulo SP Ginásio Panela de Pressão 3 000 0 (não possui)
Brasília Brasília Distrito Federal (Brasil) DF Ginásio Nilson Nelson 18 000 3 (2009-10, 2010-11, 2011-12)
Espírito Santo Vila Velha Espírito Santo (estado) ES 16º Ginásio Tartarugão 3 500 0 (não possui)
Flamengo Rio de Janeiro Rio de Janeiro RJ HSBC Arena 18 000 3 (2009, 2012-13, 2013-14)
Franca Franca São Paulo SP Ginásio Pedrocão 8 500 0 (não possui)
Goiânia Goiânia Goiás GO (Convidado pela LNB) Goiânia Arena 11 333 0 (não possui)
Liga Sorocabana Sorocaba São Paulo SP 12º Ginásio Gualberto Moreira 2 000 0 (não possui)
Limeira Limeira São Paulo SP 11º Ginásio Vô Lucato 1 800 0 (não possui)
Macaé Macaé Rio de Janeiro RJ (Torneio de Acesso ao NBB) Ginásio Juquinha 2 000 0 (não possui)
Minas Belo Horizonte Minas Gerais MG 10º Arena Vivo 4 000 0 (não possui)
Mogi das Cruzes Mogi das Cruzes São Paulo SP 15º Ginásio Professor Hugo Ramos 5 000 0 (não possui)
Palmeiras São Paulo São Paulo SP 13º Ginásio Palestra Itália 1 500 0 (não possui)
Paulistano São Paulo São Paulo SP Ginásio Antônio Prado Junior 1 500 0 (não possui)
Pinheiros São Paulo São Paulo SP Poliesportivo Henrique Villaboim 824 0 (não possui)
São José São José dos Campos São Paulo SP Ginásio Lineu de Moura 2 620 0 (não possui)
Uberlândia Uberlândia Minas Gerais MG Ginásio Sabiazinho 8 000 0 (não possui)

Temporada[editar | editar código-fonte]

Temporada Regular[editar | editar código-fonte]

A temporada regular da NBB geralmente começa em meados de Novembro, fora em sua temporada inaugural, que começou em Janeiro e vai até meados de Abril, com uma pausa para o Jogo das Estrelas em Fevereiro ou Março. O Jogo das Estrelas começou junto com a NBB e é realizado desde a primeira temporada da mesma (em 2009), onde são realizadas competições de Enterradas, Bolas de 3 e o próprio jogo com as estrelas da temporada desde 2009, sendo adcionado um torneio de habilidades em 2011.

A temporada regular funciona em um sistema onde todos os times se enfrentam 2 vezes (um jogo em casa, um fora), onde os 4 principais times se classificam para a Quartas-de-final automaticamente, e os próximos 8 na classificação (5º ao 12º colocados) decidem as outras 4 vagas. Os 3 primeiros colocados também se classificam para a Liga das Américas e 4º e 5º colocados vão para a Liga Sul-Americana.

Playoffs[editar | editar código-fonte]

Os playoffs começam logo após o fim da temporada regular, com as partidas entre os times que ficaram entre 5º e 12º na tabela, onde o melhor colocado enfrenta o pior e assim por diante, buscando as 4 vagas restantes para a Fase Final, em confrontos de 5 jogos.

A fase final dos playoffs é decida entre os 4 primeiros colocados e os vencedores dos playoffs classificatórios, onde, entre os classificados, os confrontos são definidos pela colocação na temporada regular. Os times fazem confrontos de Quartas-de-final e Semi-final, para ir à Final da NBB.

A Grande Final decide o campeão da temporada da NBB, até 2011 era decidida em 5 jogos, mas por questões financeiras e para fins de transmissão em rede aberta, a Final passou a ser decidida em apenas um jogo, com uma transmissão da Rede Globo.

Edições[editar | editar código-fonte]

Ano Campeão Placar(es) Vice 3º lugar 4º lugar
2008-09
Detalhes
Rio de Janeiro
Flamengo
3 – 2 Distrito Federal (Brasil)
Brasília
Minas Gerais
Minas
Santa Catarina
Joinville
2009-10
Detalhes
Distrito Federal (Brasil)
Brasília
3 – 2 Rio de Janeiro
Flamengo
Minas Gerais
Minas
São Paulo
Franca
2010-11
Detalhes
Distrito Federal (Brasil)
Brasília
3 – 1 São Paulo
Franca
São Paulo
Pinheiros
Rio de Janeiro
Flamengo
2011-12
Detalhes
Distrito Federal (Brasil)
Brasília
1 – 0 São Paulo
São José
São Paulo
Pinheiros
Rio de Janeiro
Flamengo
2012-13
Detalhes
Rio de Janeiro
Flamengo
1 – 0 Minas Gerais
Uberlândia
São Paulo
Bauru
São Paulo
São José
2013-14
Detalhes
Rio de Janeiro
Flamengo
1 – 0 São Paulo
Paulistano
São Paulo
São José
São Paulo
Mogi das Cruzes
2014-15
Detalhes

Títulos[editar | editar código-fonte]

Por equipe[editar | editar código-fonte]

Clube Títulos Vices 3º lugar 4º lugar
Rio de Janeiro Flamengo 3 (2008-09, 2012-13 e 2013-14 ) 1 (2009-10) 0 2 (2010-11 e 2011-12)
Distrito Federal (Brasil) Brasília 3 (2009-10, 2010-11 e 2011-12) 1 (2008-09) 0 0
São Paulo São José 0 1 (2011-12) 1 (2013-14) 1 (2012-13)
São Paulo Franca 0 1 (2010-11) 0 1 (2009-10)
São Paulo Paulistano 0 1 (2013-14) 0 0
Minas Gerais Uberlândia 0 1 (2012-13) 0 0
São Paulo Pinheiros 0 0 2 (2010-11 e 2011-12) 0
Minas Gerais Minas 0 0 2 (2008-09 e 2009-10) 0
São Paulo Bauru 0 0 1 (2012-13) 0
São Paulo Mogi das Cruzes 0 0 0 1 (2013-14)
Santa Catarina Joinville 0 0 0 1 (2008-09)

Por federação[editar | editar código-fonte]

Estado Títulos Vices 3º lugar 4º lugar
 Rio de Janeiro 3 1 0 2
 Distrito Federal 3 1 0 0
 São Paulo 0 3 4 3
 Minas Gerais 0 1 2 0
 Santa Catarina 0 0 0 1

Prêmios Individuais[editar | editar código-fonte]

Premiações[editar | editar código-fonte]

Seleção do NBB[editar | editar código-fonte]

# Ano Armador Ala-armador Ala Ala-pivô Pivô
1 2008-09 Estados UnidosBrasil Larry Taylor
(Bauru)
Brasil Alex Garcia
(Brasília)
Brasil Marcelinho Machado
(Flamengo)
Brasil Murilo Becker
(Minas)
Brasil Rafael "Baby" Araújo
(Flamengo)
2 2009-10 Brasil Fúlvio de Assis
(São José)
Brasil Alex Garcia
(Brasília)
Brasil Marcelinho Machado
(Flamengo)
Brasil Guilherme Giovannoni
(Brasília)
Brasil Murilo Becker
(Minas)
3 2010-11 Estados UnidosBrasil Larry Taylor
(Bauru)
Brasil Alex Garcia
(Brasília)
Brasil Marquinhos
(Pinheiros)
Brasil Guilherme Giovannoni
(Brasília)
Brasil Murilo Becker
(São José)
4 2011-12 Brasil Fúlvio de Assis
(São José)
Brasil Alex Garcia
(Brasília)
Brasil Marquinhos
(Pinheiros)
Brasil Guilherme Giovannoni
(Brasília)
Brasil Murilo Becker
(São José)
5 2012-13 Brasil Fúlvio de Assis
(São José)
Brasil Marquinhos
(Flamengo)
Estados Unidos Robert Day
(Uberlândia)
Brasil Rafael Mineiro
(Pinheiros)
Brasil Caio Torres
(Flamengo)
6 2013-14 Argentina Laprovittola
(Flamengo)
Brasil Marquinhos
(Flamengo)
Estados Unidos David Jackson
(Limeira)
Brasil Jefferson
(São José)
Brasil Paulão
(Franca)

Histórico das equipes[editar | editar código-fonte]

Equipe 2008-09 2009-10 2010-11 2011-12 2012-13 2013-14 Participações
São Paulo Araraquara 12º 10º 11º 14º 4
São Paulo Assis 11º 15º 3
Ceará Basquete Cearense 11º 2
São Paulo Bauru 6
Rio Grande do Sul Bira 15º 1
Distrito Federal (Brasil) Brasília 6
Espírito Santo (estado) Espírito Santo 10º 12º 14º 15º 16º 17º 6
Rio de Janeiro Flamengo 6
São Paulo Franca 6
Goiás Goiânia 16º 1
Santa Catarina Joinville 14º 5
São Paulo Liga Sorocabana 11º 12º 14º 3
São Paulo Limeira 10º 11º 5
Paraná Londrina 13º 1
Rio de Janeiro Macaé 13º 1
Minas Gerais Minas 10º 13º 10º 15º 6
São Paulo Mogi das Cruzes 15º 2
São Paulo Palmeiras 13º 12º 2
São Paulo Paulistano 11º 12º 6
São Paulo Pinheiros 6
Espírito Santo (estado) Saldanha da Gama 14º 14º 13º 3
São Paulo São José 13º 6
São Paulo Suzano 18º 1
Rio de Janeiro Tijuca 12º 17º 2
Minas Gerais Uberlândia 10º 4

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]