Belgrado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cidade de Belgrado (Belgrado)
Београд
Град Београд
Grad Beograd
Do topo para a esquerda: Este de Novi Beograd com a Genex Tower, a Catedral de São Sava com o monnumento Karađorđe em frente, Teatro Dramático da Jugoslávia com a Beograđanka á esquerda, e a Ponte Sava.
Do topo para a esquerda: Este de Novi Beograd com a Genex Tower, a Catedral de São Sava com o monnumento Karađorđe em frente, Teatro Dramático da Jugoslávia com a Beograđanka á esquerda, e a Ponte Sava.
Bandeira oficial de Cidade de Belgrado
Brasão oficial de Cidade de Belgrado
Bandeira Brasão
Apelido: "'O portal dos Balcãs;
Chave para a Europa Central'
"
Lema: "'Maju dan makmur
(Português: Progresso e prosperidade)
"
Localização de Belgrado na Sérvia.
Localização de Belgrado na Sérvia.
Coordenadas 44° 49' 14" N 20° 27' 44" E
País  Sérvia
Distrito Cidade de Belgrado
Fundação 263 a.C.
Prefeito Dragan Đilas
Área  
  Total 3222.68 km²
  Urbana 359.96 km²
População  
  Cidade (2006) 1,710,000
  Metro 2,500,000
   -Densidade metropolitana   488.42/km²
  [1]
Fuso horário
  Verão (DST)
HEC (UTC+1)
+1 (UTC+1)
Website: [http://www.beograd.rs www.beograd.rs]

Belgrado (Београд / Beograd em servo-croata Loudspeaker.svg?  ouça ) é a capital e maior cidade da Sérvia, e está localizada entre dois cursos d'água internacionais, na confluência dos rios Danúbio e Sava, no norte da Sérvia, onde a planície da Panônia se limita com a região da península balcânica. Com uma população de 1.710.000 habitantes (2007), Belgrado é a maior cidade no território da ex-Iugoslávia, a segunda maior cidade sobre o rio Danúbio,[2] bem como a quarta maior do Sudeste da Europa, após Istambul, Atenas e Bucareste.

Uma das cidades mais antigas da Europa, com uma história continuamente documentada por 7.000 anos,[3] [4] Belgrado foi o berço da cultura pré-histórica mais importante da Europa, a cultura Vinča.[5] Na Antigüidade, cidade foi alcançada pelos gregos, fundada e nomeada pelos celtas como Cidade Branca, nome que ainda ostenta,[6] depois colonizada pelos romanos e definitivamente ocupada por sérvios brancos a partir da década de 600.

Belgrado tem o status de unidade territorial autônoma dentro da Sérvia, com o seu próprio governo.[7] O seu território é dividido em 17 municípios, cada um com sua própria câmara municipal.[8] O distrito abrange 3,6% do território da Sérvia e 24% da população do país vive na cidade.[9] Belgrado é o principal centro econômico, político e cultural da Sérvia.

História[editar | editar código-fonte]

Estipula-se que os arredores de Belgrado sejam povoados há 7 mil anos, a partir das evidências arqueológicas obtidas em Vinča e outros sítios próximos. A região foi povoada por celtas no século III a.C. e recebeu o nome Singiduno sob ocupação romana[10] [11] . O registro mais antigo da palavra "Belgrado" data do ano 878 d.C. O local seria governado pelos sérvios apenas em 1284, sob Rei Estêvão Dragutino. Entre 1404 e 1427, a cidade viveu um surto de crescimento cultural e comercial, tornando-se a capital do Império da Sérvia sob o regime do Déspota Estevão Lazarević. Depois, seria sucessivamente ocupada, construída e destruída pelo Império Otomano e Império Austro-Húngaro. No decorrer de sua história longa e conturbada, a cidade foi conquistada por mais de 40 exércitos e foi reconstruída das cinzas 38 vezes. Foi capital da ex-Iugoslávia.

De Singiduno à conquista otomana[editar | editar código-fonte]

A cultura de Vinča, que dominou os Balcãs desde cerca de 5000 a.C., deixou evidências da sua presença no território de Belgrado e de áreas vizinhas.[12] A partir do século III a. C., Houve uma liquidação celta e mais tarde romana, com a fundação da civites de Singiduno, que mais tarde passou para as mãos do Império Bizantino.[12]

Singiduno sofreu sucessivas invasões dos hunos, sármatas, ostrogodos e ávaros antes da chegada dos eslavos em 630. O nome "Belgrado" foi mencionado pela primeira vez no ano de 878, pelo Primeiro Império Búlgaro. Nos quatro séculos que se seguiram, a posse da cidade foi disputada pelo Império Bizantino, pelo Reino da Hungria e pelo Primeiro Império Búlgaro.[13] Em 1284, foi integrada à entidade sérvia do Reino da Sírmia, sendo governada por Estêvão Dragutino (1276-1282), o primeiro rei sérvio de Belgrado, que a recebeu como um dote do seu padrasto, o rei da Hungria, Ladislau IV.[14]

Após a derrota na Batalha de Maritsa em 1371, e, em seguida, na Batalha do Kosovo em 1389, o Império Sérvio começou o seu declínio, com a conquista do território do sul pelos otomanos.[15] [16] No entanto, o norte foi capaz de manter a sua independência, sob a forma do Despotado da Sérvia, com capital em Belgrado.

A cidade prosperou durante o governo dos "déspotas", como Estêvão Lazarević, filho do Príncipe Lázaro Hrebeljanović, governante sérvio que perdeu a vida na Batalha do Kosovo. As suas antigas muralhas, castelos, igrejas e portos foram refortificados, o que ajudou a resistir à pressão das forças otomanas durante quase 70 anos. Nessa altura, com uma população entre 40 e os 50 mil habitantes, Belgrado tornou-se uma cidade de refúgio para pessoas em fuga do domínio dos otomanos nos Balcãs. Durante o reinado de Jorge da Ráscia, quando a maior parte do território do despotado ficou sob jugo otomano, Belgrado pediu ajuda ao Reino da Hungria.[14] O ataque das forças otomanas, para as quais Belgrado constituía um obstáculo no caminho para a Europa Central, ocorreu em 1456 e culminou na batalha do Cerco de Belgrado (1456), na qual o exército sérvio, sob o comando de João Corvino venceu.[17]

Império Otomano[editar | editar código-fonte]

Belgrado no século XVI
Belgrado no século XVI
Cerco de Belgrado em 1717 pelas tropas austríacas durante a  Guerra turco-austríaca (1716-1718)
Cerco de Belgrado em 1717 pelas tropas austríacas durante a Guerra turco-austríaca (1716-1718)
A principal rua de Belgrado, Knez Mihailova, no início do século XX
A principal rua de Belgrado, Knez Mihailova, no início do século XX

Liderados por Solimão, o Magnífico, os otomanos conseguiram entrar em Belgrado, a 28 de Agosto de 1521. A cidade foi saqueada e queimada, permitindo avanço em direção à Europa Ocidental e ameaçando o Sacro Império Romano, o que resultou no primeiro Cerco de Viena. Belgrado tornou-se a capital do Sandjak, a circunscrição administrativa do Império Otomano para a Sérvia, e por mais de 150 anos gozou de um período de calmaria que permitiu o florescimento do comércio, particularmente com as cidades-estado de Ragusa (atual Dubrovnik) e Veneza, bem como com a Grécia e a Áustria. Com muitos artesãos de diferentes grupos étnicos, como os armênios, os turcos e os ciganos, e renovada com uma nova aparência elogiada pela arquitetura oriental, Belgrado tornou-se um ponto de conexão das rotas comerciais entre o oriente e o ocidente atingiu o seu pico no século XVII. Nessa época, Belgrado contava já com uma população de 100.000 pessoas.[18] No final do século XVI, surgiram os primeiros sinais de recrudescimento de tensões na região, como o episódio da Insurreição do Banato em 1594, a maior revolta dos sérvios frente à ocupação otomana. A repressão das autoridades otomanas, após a neutralização dos rebeldes, se voltou contra a população cristã e os seus símbolos, queimando igrejas e as relíquias de São Sava em Vrátchar, onde mais tarde foi edificado um grande templo ortodoxo, o Templo de São Sava, em sua memória.[19]

No final do século XVII, Belgrado foi atingida pela peste, que varreu a Europa e as rebeliões da janízaros, que contribuiu para a estagnação da cidade. O lugar se tornou palco das sucessivas campanhas militares entre os austríacos e os otomanos, que foi temporariamente ocupada pelas tropas habsburgas entre 1688 e 1690, e depois entre 1717 e 1739, e pelas forças dos Habsburgo-Lorena entre 1789-1791, até voltar ao controle otomano.[18] Durante este período, a cidade foi parcialmente despovoada, como resultado dos movimentos das populações deslocadas desde a migração de sérvios, através do qual centenas de milhares de pessoas, liderados pelos seus patriarcas religiosos, refugiaram-se nas terras da Voivodina e na moderna Eslavônia, no então Sacro Império Romano, em 1690 e de 1737 a 1739[20] A Primeira Insurreição Sérvia permitiu o controlo da cidade pelos sérvios entre 1806 e 1813, quando foi retomada pelos otomanos.[21]

Em 1817, Belgrado passou a ser a capital do Principado da Sérvia, organismo autônomo criado sob suserania do Império Otomano. Mas, pouco tempo depois, a corte se transferiu para Kragujevac, entre 1818 e 1841.[22]

Independência da Sérvia[editar | editar código-fonte]

Após a retirada das últimas guarnições militares otomanas, em 1867, o Príncipe Miguel Obrenović mudou novamente a capital de Kragujevac para Belgrado. No ano de 1878, foi proclamando o Reino da Sérvia, garantindo a independência em última instância, o que favoreceu um rápido desenvolvimento do município, de vocação regressaram às suas rotas comerciais que atravessam as Balcãs.[21] [23] Apesar da lentidão da industrialização do país, lançou-se a abertura de uma via férrea, para Niš, a segunda maior cidade do reino, e uma economia agrícola, o que fez a cidade que contava com apenas 69.100 habitantes em 1900, aumentar para 80.000 em 1905, e ultrapassando novamente os 100.000, às vésperas da eclosão da Primeira Guerra Mundial.[24] [25] [26]

Naquela época, a cidade sofreu uma notável vitalidade cultural com a presença dos Irmãos Lumière, que realizaram na cidade em junho de 1896, o primeiro filme a mostrar os Balcãs. No mesmo ano, Johann Strauss, Jr. realizou um concerto na cidade.

Primeira Guerra Mundial e período entre-guerras[editar | editar código-fonte]

Durante a Primeira Guerra Mundial, a 29 de julho de 1914, Belgrado foi bombardeada a partir de barcaças ou monitores e foi ocupada a 30 de novembro pelo exército austro-húngaro, comandado por Oskar Potiorek. No entanto, a 15 de dezembro do mesmo ano, as tropas do marechal Radomir Putnik retomaram o controle da cidade até que ela foi novamente ocupada pelos austríacos a 9 de outubro de 1915, desta vez com apoio do exército alemão do campo marechal Agosto von Mackensen. Muitas estruturas e edifícios da cidade estavam danificados ao final da batalha iniciada no dia 6 de outubro. A cidade permaneceu sob controlo austro-húngaro até quase ao final do conflito, quando sérvios e as tropas francesas sob o comando do marechal Louis d'Franchet Espérey e do príncipe Alexandre entraram na cidade a 5 de novembro de 1918.

Durante as décadas de 1920 e 1930, Belgrado sofreu um rápido desenvolvimento e modernização enquanto capital do Reino da Iugoslávia, crescendo para 239.000 habitantes em 1931, incluindo o Zemun, até então parte do território austro-húngaro, e 320.000 em 1940, com uma taxa média de crescimento de 4,08% ao ano, entre 1921 e 1948.[26]

Aeroporto de Belgrado começou a operar em 1927, e, em 1929, a primeira estação de rádio iniciou as transmissões.

Segunda Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Ponte férrea de Belgrado.

A 25 de março de 1941, o governo do regente príncipe Paulo, assinou o Pacto Tripartite (sérvio: Trojni pakt), a adesão ao Eixo na Segunda Guerra Mundial, em uma tentativa de manter o país fora do conflito. No entanto, a iniciativa foi respondida apenas por uma percentagem significativa da população que a 27 de Março manifestou-se nas ruas com o slogan "Antes a guerra que o pacto". O descontentamento tornou-se uma "mossa" nas forças lideradas pelo general Dušan Simović, comandante da Força Aérea, e que organizou um golpe de estado e foi proclamado rei, o Príncipe Pedro, então com 17 anos, mas esta era a idade legal (suficiente) para ser declarado monarca. Este facto levou à intervenção directa do Terceiro Reich cuja Luftwaffe, bombardeou a 6 de abril de 1941 a cidade de Belgrado, matando milhares de pessoas (um número estimado de 5.000 a 17.500 habitantes).[27] ). A Biblioteca Nacional foi destruída juntamente com 300.000 livros e manuscritos da Idade Média, mais de 1.300 deles datados do século XII e XVIII.[27] A Iugoslávia foi invadida pela Wehrmacht e os seus aliados italianos, húngaros e búlgaros, e os seus territórios foram incorporados no estado fantoche ocidental nazista do Estado Independente da Croácia.

Durante o verão e o outono de 1941, em retaliação pela guerrilha em ataques sérvios, os alemães, nas ordens do governador militar, o general Franz Böhme, aplicou a regra de tiro de 100 cidadãos sérvios e judeus para cada alemão morto. Após o estabelecimento do governo "fantoche" do general Milan Nedić, Belgrado foi a sede do governo durante a guerra.

A cidade foi bombardeada pela segunda vez a 16 e 17 de abril de 1944, pelos Aliados, matando cerca 1.600 pessoas. Tanto este, como o bombardeamento alemão de 1941, ocorreram no dia da Páscoa da Igreja Ortodoxa Sérvia.

Finalmente, a 20 de outubro de 1944, as forças dos partizans (comunistas) e o Exército Vermelho soviético, conseguiram expulsar os alemães que ocuparam uma parte da cidade. Na sequência do fim da guerra, a 29 de Novembro de 1945, o marechal Josip Broz Tito proclamada a República Socialista Federativa da Jugoslávia, em Belgrado. O coronel Draža Mihailović foi julgado e executado em Belgrado, em 1946.

Durante a II Guerra Mundial, Belgrado perdeu cerca de 50.000 habitantes, e sofreu uma destruição e danos materiais incalculáveis.[23]

Belgrado, capital da Iugoslávia de Tito[editar | editar código-fonte]

Na era pós guerra, Belgrado, mais uma vez, recuperou as suas taxas de crescimento e como capital da nova Jugoslávia, beneficiou com o desenvolvimento, como um centro industrial do país.[23] Em 1958, o primeiro canal de televisão estatal iniciou as suas emissões. Em 1961, realizou-se o Congresso dos Países Não-Alinhados, com Tito como o presidente.

Em 1968, realizaram-se grandes manifestações estudantis contra Tito, o que resultou em vários confrontos entre estudantes e policiais.

Em 1972, Belgrado foi o epicentro do último grande surto de varíola na Europa, o que poderia ser controlado através da quarentena e da vacinação maciça da população[28]

Belgrado: 1991-1999[editar | editar código-fonte]

Monumento Pobednik (O Victor), um dos símbolos de Belgrado.

A 9 de março de 1991 tiveram lugar, as manifestações maciças contra o regime de Slobodan Milošević, sob a liderança de Vuk Draskovic. [29] Duas pessoas morreram, 203 ficaram feridas e 108 foram presas.[30] Segundo estimativas de vários meios de comunicação, as manifestações foram marcadas pela presença de entre 100.000 e 150.000 pessoas. O regime levou os tanques para as ruas para restabelecer a ordem naquele dia.[31] [32]

Após a suposta fraude nas eleições municipais, realizaram-se manifestações diárias entre novembro de 1996 e fevereiro de 1997, contra o regime de Slobodan Milošević.[33] Estas manifestações deram os seus frutos - Zoran Djindjic tornou-se prefeito de Belgrado, o primeiro prefeito em 50 anos que não pertencia á Liga dos Comunistas da Jugoslávia, ou a sua sucursal, o Partido Socialista da Sérvia.[34]

A 24 de março de 1999, mais uma vez na sua perturbada história, Belgrado foi alvo de bombardeios, desta vez pelas forças aéreas da OTAN, tendo como pretexto a Guerra do Kosovo em 1999. Edifícios de Administração e instalações sofreram danos significativos assim como os Ministérios da Administração Interna, o Estado-Maior da Nação, a destruição da Rádio-Televisão da Sérvia (que matou 16 técnicos), vários hospitais, o Hotel Jugoslavija, a Torre Ušće, a torre de televisão de Avala, e o edifício da embaixada chinesa (todos estes ficaram seriamente danificados, assim como muitos outros edifícios da cidade de Belgrado). [35]

Belgrado desde 2000[editar | editar código-fonte]

Depois de outra tentativa de fraude eleitoral por parte de Slobodan Milošević nas eleições de 2000, teve lugar em Belgrado as maiores manifestações em termos de presenças na história moderna da Sérvia [36] que levou à derrocada final de Slobodan Milošević, no histórico dia do 5 de Outubro de 2000.[37] [38]

Denominações[editar | editar código-fonte]

Refletindo a história da cidade, como um herói dos litígios, entre os poderes que dominou a região e as aspirações de independência da Sérvia, a cidade tem sido conhecida por diferentes nomes:

Nome Notas
Singidūn(on) Chamada assim pela tribo celta dos escordiscos; dūn(on) significa 'alojamento, recinto'; 279 aC
Singiduno Os romanos conquistaram a cidade e romanizaram o nome.
Beograd, Београд Nome eslavo, mencionado pela primera vez em 878, como Beligrad na carta do Papa João VIII, a Boris da Bulgaria, que significa "Cidade branca / fortaleza branca".
Alba Graeca Tradução latina
Alba Bulgarica Nome latino abaixo do búlgaro
Fehérvár Tradução húngara
Weißenburg y Griechisch Weißenburg Tradução alemã
Castelbianco Tradução italiana
Nandoralba Na Hungria mediaval até o século XIV
Nándorfehérvár Na Hungria medieval
Landorfehérvár Na Hungria medieval
Veligradon Nome bizantino
Veligradi, Βελιγράδι Nome grego
Dar Ul Jihad Nome otomano, que significa Morada da Guerra
Belgrat Nome turco
بلغراد Nome árabe

Geografia[editar | editar código-fonte]

Vista de satélite de Belgrado.

Geografia física[editar | editar código-fonte]

Situada na confluência do rio Sava com o rio Danúbio, sobre a planície da Panônia na península Balcânica, Belgrado localiza-se nas seguintes coordenadas: 44°49'14" norte 20°27'44" leste, com uma altura média sobre o nível do mar de 116,75 metros.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima de Belgrado é do tipo continental temperado com uma média anual de temperaturas de 12,5 °C. O mês mais quente é o mês de julho, com uma média de 23 °C. As precipitações anuais ocorrem, em média, durante 139 dias do ano, e são de aproximadamente 700 mm. A média das horas de Sol anuais é de 2 111,9 horas, sendo os meses de julho e agosto, os de maior ensolação, com uma média de dez horas, embora dezembro e janeiro sejam os meses menos ensolarados, com uma média de 2 a 2,3 horas. A umidade relativa do ar média anual é de 68%.[39]

Dados climatológicos para Belgrado
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima registada (°C) 20,7 23,9 28,8 32,2 34,9 37,4 43,6 40,0 37,5 30,7 28,4 22,6 43,6
Temperatura máxima média (°C) 4,6 7,0 12,4 18,0 23,5 26,2 28,6 28,7 23,9 18,4 11,2 5,8 17,4
Temperatura média (°C) 1,4 3,1 7,6 12,9 18,1 21,0 23,0 22,7 18,0 12,9 7,1 2,7 12,5
Temperatura mínima média (°C) -1,1 -0,1 3,7 8,3 13,0 15,8 17,5 17,6 13,5 9,0 4,2 0,2 8,5
Temperatura mínima registada (°C) -26,2 -15,4 -12,4 -3,4 2,5 6,5 9,4 6,7 4,7 -4,5 -7,8 -13,4 -26,2
Precipitação (mm) 46,9 40,0 49,3 56,1 58,0 101,2 63,0 58,3 55,3 50,2 55,1 57,4 690,9
Dias com chuva 13 12 11 13 13 13 10 9 10 10 12 14 139
Humidade relativa (%) 78 71 63 61 61 63 61 61 67 71 75 79 68
Horas de sol 72,2 101,7 153,2 188,1 242,2 260,9 290,8 274,0 204,3 163,1 97,0 64,5 2 111,9
Fonte: Serviço Hidrometeorológico da República da Sérvia (1981–2010).[39]

Geografia humana[editar | editar código-fonte]

A cidade velha, junto ao castelo medieval do Kalemegdan, fica na margem direita do rio Sava e do Danúbio. Conforme a cidade crescia, expandia-se em direcção à margem esquerda do Sava, atingindo os então municípios separados de Nova Belgrado e Zemun. Desde meados do século XX, Belgrado cresceu tanto que acabou incorporando estes dois últimos.

A área urbana da cidade abrange 359,96 quilômetros quadrados, e abrange uma área metropolitana a de 3222,68 quilômetros quadrados, que é dividida em 17 municípios, dos quais dez são urbanos e sete periféricos. Esta área representa 3,6% do território da República.

A área metropolitana alberga uma população de 1.281.801 habitantes[1] [40] que representa 21% da população sérvia,[9] [41] sendo por isso, também a quarta cidade mais povoada do sudeste da Europa, depois de Istambul, Atenas e Bucareste.

Belgrado faz fronteira com a província autónoma de Vojvodina (distrito de Srem, Bánato central e do sul), a leste com o distrito de Podunavlje, a sudeste com o distrito de Šumadija, a sudoeste com o distrito de Kolubara e a oeste com o distrito de Mačva.

Belgrado, como muitas cidades, é considerada a travessia entre as linhas de comunicação entre a Europa do leste e oeste.[42]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

A cidade é dividia em 17 municipalidades, dez urbanas e sete suburbanas. Enquanto cada uma tem seu próprio conselho local, as municipalidades suburbanas têm os poderes municipais ligeiramente expandidos, principalmente quanto a construções, planejamento da cidade e serviços públicos.[8]

A maioria das municipalidades estão situadas na zona sul dos rios Danúbio e Sava, na região de Šumadija. Três municipalidades (Zemun, Novi Beograd e Surčin) se localizam na margem norte do Sava, na região de Syrmia e a municipalidade de Palilula, transpondo o Danúbio, fica tanto na região de Šumadija quanto em Banat.

Mapa do municípios de Belgrado.
Nome Área (km²) População (1991) População (2002) Urbano/Suburbano
Barajevo 213 20,846 24,641 Suburbano
Čukarica 156 150,257 168,508 Urbano
Grocka 289 65,735 75,466 Suburbano
Lazarevac 384 57,848 58,511 Suburbano
Mladenovac 339 54,517 52,490 Suburbano
Nova Belgrado ("Novi Beograd") 41 218,633 217,773 Urbano
Obrenovac 411 67,654 70,975 Suburbano
Palilula 451 150,208 155,902 Urbano
Rakovica 31 96,300 99,000 Urbano
Colina do Sava 14 45,961 42,505 Urbano
Sopot 271 19,977 20,390 Suburbano
Cidade Velha de Belgrado 5 68,552 55,543 Urbano
Surčin 285 Part of Zemun
municipality until 2004.
55,000 (est.) Suburbano
Voždovac 148 156,373 151,768 Urbano
Vračar 3 67,438 58,386 Urbano
Zemun 154 176,158 136,645 Urbano
Zvezdara 32 135,694 132,621 Urbano
TOTAL 3227 1,552,151 1,576,124
Fonte: Gabinete de Estatísticas da Republica Sérvia[9]

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Bandeira[editar | editar código-fonte]

A bandeira de Belgrado é o escudo de Belgrado sem o brasão, ocupando toda a superficie da bandeira que tem a forma de um quadrado.

Brasão[editar | editar código-fonte]

O escudo de Belgrado foi mencionado pela primeira vez em 1403, nos tempos do filho do príncipe Lázaro (Estêvão Lazarević), quando Belgrado se tornou a capital do reino. Em Belgrado existem três escudos oficiais: o pequeno, o médio e o grande.

Escudo pequeno[editar | editar código-fonte]

O escudo pequeno tem a forma de um brasão de armas. De cor azul, com muralhas brancas e uma torre, o chão de cor vermelha e duas faixas brancas ondulado, representando os rios Danúbio e Sava.

Escudo médio[editar | editar código-fonte]

O escudo médio de Belgrado é igual ao pequeno, mas com uma coroa de ouro e uma tiara decorada com pedras preciosas.

Escudo grande[editar | editar código-fonte]

O escudo grande representa uma grande águia branca com a língua e as patas de cor ouro . Uma pata segura a prata com o punho da espada dourada e as maçãs e a outra, o ramo de oliveira. No peito da águia está o escudo pequeno de Belgrado, em cima da águia, a coroa de tiara com pedras preciosas. Abaixo da águia há um ramo de carvalho com o primeiro brasão conhecido da cidade no meio. Em ambos os lados do escudo são as medalhas que a cidade recebeu durante a sua história - para a direita, a medalha da Estrela de Jorge Negro com espadas, Medalha de 4º Grau e da Legião de Honra Francesa, de 5º Grau, e à esquerda, o Herói Nacional, a Medalha Cruz de Guerra e da Tchecoslováquia.

Flag of Belgrade.png Small Coat of Arms Belgrade.svg Coat of Arms Belgrade.png
Bandeira, escudo pequeno e escudo grande

Cultura[editar | editar código-fonte]

Beogradska Arena.

Belgrado abriga anualmente, em média, 9 mil eventos culturais, entre peças teatrais, exposições, concertos, performances, e outros espetáculos. A cidade conta com 40 museus, 61 galerias e espaços de exposição, 17 teatros e 29 cinemas, entre outras dezenas de bibliotecas, associações e entidades culturais. Em Belgrado estão localizadas instituições federais, como a Universidade de Belgrado, Academia Sérvia de Artes e Ciências, a Biblioteca Nacional da Sérvia, Museu Nacional, e a Universidade de Artes. A Cidade de Belgrado é mantenedora de 34 instituições culturais (dez teatros, oito instituições de preservação de patrimônio, quatro bibliotecas, 12 centros culturais e galerias) e apóia a realização de projetos e atividades de mais de cem diferentes estabelecimentos.

A Beogradska Arena é a segunda maior arena do mundo em capacidade e em área construída. É a única grande arena multiuso do país , e em 2008 recebeu o Festival Eurovisão da Canção.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Depois da abertura econômica iniciada em 2000 (ver História da Sérvia), Belgrado voltou a receber um número progressivamente maior de turistas. Tornou-se conhecida nos países vizinhos como uma cidade de vida noturna diversificada e barata. Jovens de países próximos (especialmente das ex-repúblicas da Iugoslávia) viajam centenas de quilômetros para desfrutar os cafés a céu aberto, as casas noturnas nas balsas do rio Sava, a gastronomia das kafanas, a música popular, e a desenvolvida cena underground. Alguns das regiões e monumentos históricos que despertam mais atenção são a Skadarlija, o Kalemegdan (ou Fortaleza de Belgrado), Templo de São Sava, a Catedral de São Marcos, Terazije, a Rua do Príncipe Miguel, a Praça Nikola Pašić, entre outros.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Belgrado conta com 112 linhas de ônibus, 12 linhas de bondes e 8 linhas de ônibus elétricos. Passagens podem ser adquiridas diretamente com os motoristas (48 RSD = 0,5 EUR) ou em quiosques (28 RSD = 0,25 EUR). O controle de passagens é feito esporadicamente pelos funcionários das respectivas companhias operadoras. Belgrado concentra um nó ferroviário que permite conexões com as principais capitais da Europa. O Aeroporto Internacional Nikola Tesla voltou receber um número progressivamente maior de voos depois da retirada, em 2000, das sanções econômicas impostas à antiga Iugoslávia pela ONU.

Estradas de grande porte oferecem acesso a Novi Sad (norte), Niš (sul), e Zagreb (oeste, na Croácia). Belgrado possui quatro pontes sobre os rios Sava e Danúbio, sendo as mais importantes a Ponte Branko e a Gazela, que conectam o centro da cidade a Nova Belgrado.

O Porto de Belgrado encontra-se na costa do rio Danúbio. A via fluvial é usada predominantemente para o transporte de mercadorias.

Política e governo[editar | editar código-fonte]

Belgrado tem um status territorial separado dentro da República da Sérvia, cujo ordenamento se encontra regulamentado pela Constituição.[7]

O sistema de governo se divide em três corpos:

  • A Assembleia da Cidade de Belgrado, com sede no Palácio Antigo, é formada por 90 conselheiros (vereadores) que são eleitos por sufrágio a cada quatro anos. Reúnem-se ao menos uma vez por trimestre e sua principal função é a de administrar a Carta da cidade, aconselhar sobre sua interpretação, aprovar os pressupostos e decidir sobre os planos de urbanismo que afetam as principais infra-estruturas da área metropolitana.
  • A Prefeitura da Cidade de Belgrado tem a função de representação da cidade e de atuação executiva em seu nome. O prefeito, que é escolhido ao mesmo tempo que a Assembleía sem necessidade de ser um de seus membros, é assistido por um vice-prefeito e é também o presidente do Conselho da Cidade.
  • O Conselho da Cidade, que tem por função a implementação das decisões tomadas pela Prefeitura e pela Assembleia assim como a gestão administrativa e o desenho do pressuposto, é dirigido por uma representação de nove membros, eleitos pela Assembleia por proposta do prefeito, além do próprio prefeito.

O prefeito de Belgrado é, desde 2004, Nenad Bogdanović, membro do Partido Democrático. Ele substituiu Zoran Đinđić, prefeito de Belgrado em 1996, que foi o primeiro a ser eleito de maneira democrática na história recente do país.

Os municípios periféricos dispõem de maiores competências principalmente nas áreas de urbanismo e de gestão de impostos.[8]

Esportes[editar | editar código-fonte]

Os principais clubes de futebol de Belgrado são o Estrela Vermelha e o Partizan.

Cooperação internacional[editar | editar código-fonte]

Estas são as cidades irmãs de Belgrado (oficiais):[43] [44] [45]

País Cidade Local / Distrito / Região / Estado Data
Reino Unido Reino Unido Coventry West Midlands 1957
Estados Unidos Estados Unidos Chicago Illinois 2005
Paquistão Paquistão Lahore Punjab 2007
Israel Israel Tel Aviv Distrito de Tel Aviv 1990
Áustria Áustria Viena Viena 2003

Algumas das cidades municipais estão também ligadas a outras cidades mais pequenas ou distritos de outras cidades grandes, mas para mais detalhes, ver os respectivos artigos principais.

Outras cidades com quem tem acordos de cooperação e de amizade:

País Cidade Local / Distrito / Região / Estado Data Forma
Grécia Grécia Atenas Ática 1966 Acordo em Amizade e Cooperação
Bósnia e Herzegovina Bósnia e Herzegovina Banja Luka República Sérvia 2005 Acordo em Amizade
República Popular da China China Pequim 1980 Acordo em Amizade
Alemanha Alemanha Berlim Berlim 1978 Acordo em Amizade e Cooperação
Alemanha Alemanha Düsseldorf Renânia do Norte-Vestfália 2004 Acordo em Cooperação
Cuba Cuba Havana[46] Havana 2007 Acordo em Fratenização
Ucrânia Ucrânia Kiev Kiev 2002 Acordo em Cooperação
Espanha Espanha Madri Comunidade de Madri 2001 Acordo em Cooperação
Itália Itália Milão Lombardia 2000 Memorando de Acordo, Programa de Cidade para Cidade
Rússia Rússia Moscovo Distrito Federal Central 2002 Programa de Cooperação
Itália Itália Roma Lácio 1971 Acordo em Amizade e Cooperação

Letras a negrito indicam as cidades formais da ex-Jugoslávia:

Outras amizades (em reserva):

A cidade de Belgrado recebeu várias honrras nacionais e internacionais, incluindo da França, a Legião de Honra em 1920, da Tchecoslováquia, o War Cross, da Sérvia, a Estrela de Jorge Negro com espadas e da Republica Social Federalista da Iugoslávia, a Ordem do Herói Nacional (proclamada a 2 de outubro de 1974, no aniversário do nazismo, durante a ocupação durante a II Guerra Mundial).[47] Em 2006, a revista Financial Times' e o Foreign Direct Investment concederam a Belgrado o título de Cidade do Futuro do Sudeste Europeu.[48] [49]

Pessoas de Belgrado[editar | editar código-fonte]

Abaixo há uma pequena lista de alguns dos mais importantes moradores de Belgrado:

Referências

  1. a b Statistical Office of the Republic of Serbia. Национална или етничка припадност - подаци по насељима (em Serbian). Procena stanovnistva 2006 ed. Belgrade: Statistical Office of the Republic of Serbia, 2007 estimate. p. 14. Página visitada em 2006-10-29.
  2. [1]
  3. Discover Belgrade
  4. Belgrade, capital city
  5. Prehistoric women had passion for fashion | World | Reuters
  6. [2]
  7. a b Assembly of the City of Belgrade. Official website. Página visitada em 2007-07-10.
  8. a b c Urban Municipalities. Official website. Página visitada em 2007-07-10.
  9. a b c 2005 Municipal indicators of Republic of Serbia. Statistical Office of the Republic of Serbia. Página visitada em 2007-05-17.
  10. Discover Belgrade. Cidade de Belgrado. Página visitada em 21 de maio de 2012.
  11. Tasic N, Srejovic D, Stojanovic B. Vinca, Centre of the Neolithic culture of the Danubian region. [S.l.: s.n.]. Página visitada em 21 de maio de 2012.
  12. a b [3] Web oficial da cidade de Belgrado - Historia (Antiga)
  13. Web oficial da cidade de Belgrado - Historia (Bizancio)
  14. a b Web oficial da cidade de Belgrado - Historia (Belgrado medieval)
  15. Encyclopaedia Britannica:Batalla de Maritza
  16. Encyclopaedia Britannica Batalla de Kosovo
  17. Tom R. Kovach: Ottoman-Hungarian Wars: Siege of Belgrade in 1456. Military History magazine
  18. a b História (Turcos e Austríacos). Página oficial da Cidade de Belgrado
  19. Amfilohije Radović:Duhovni smisao hrama Svetog Save na Vračaru (Online libro), Janus, Belgrado, 1989 (em sérvio): data: 2007-07-05
  20. Dejan Medaković:Oči u oči:Tajne poruke svetog Save. Svetosavka crkva i velika seoba Srba 1690. BIGZ (online reprint by Serbian Unity Congress library)Belgrade, 1990. ISBN 978-86-13-00903-0. Data de acesso:2007-05-17
  21. a b Historia (Libertação de Belgrado)Página oficial da Cidade de Belgrado
  22. title Historia de Kragujevac. Página oficial da Cidade de Kragujevac. Data de acesso:2007-05-17
  23. a b c Historia (La Capital de Serbia y Yugoslavia)Página oficial de la Ciudad de Belgrado
  24. Jan Lahmeyer (2003-02-03). The Yugoslav Federation: Historical demographical data of the urban centers. www.populstat.info.
  25. Belgrade and Smederevo. Catholic Encyclopedia. Página visitada em 2007-05-19.
  26. a b Индустрија и урбани развој Београда - Драган Петровић (Индустрија, 2001, vol. 21, No. 1-4, pp. 87-94)
  27. a b Karl Savic:Belgrade 41: Hitler’s Attack. Fecha acceso:19 de mayo de 2007
  28. Bioterrorism: Civil Liberties Under Quarantine. NPR (2001-10-23). Página visitada em 2007-05-19.
  29. Prvi udarac Miloševićevom režimu. Danas. 2006-03-09; en serbio
  30. Srbija na mitinzima (1990-1999).Vreme.1999-08-21; en serbio
  31. 9. марта Милошевић није могао пасти.B92
  32. James L. Graff.Yugoslavia: Mass bedlam in Belgrade. TIME.1991-03-25
  33. Historia (Desintegración años 1988-2000)Página oficial de la Ciudad de Belgrado
  34. Jane Perlez. New Mayor of Belgrade: A Serbian Chameleon.The New York Times.1997-02-23. Fecha acceso:2007-05-17
  35. Bombardeo de OTAN. Página Oficial de la Ciudad de Belgrado. Fecha acceso:2007-05-17
  36. Polícia estimativa: 80.000, mais de 1 milhão, de acordo com Misha Glenny
  37. Антонић, Слободан."Србија после Милошевића"Нова српска политичка мисао.2001-03-15. en serbio
  38. Glenny, M. Can Serbia's new leaders overcome the legacy of Slobodan Milosevic? The New Yorker.2000-10-30
  39. a b Monthly and annual_Med_°Cs, maximum and minimum values of meteorological elements for the period 1981 - 2010-Belgrade (em inglês). Serviço Hidrometeorológico da República da Sérvia. Página visitada em 8 de setembro de 2012.
  40. Segundo o censo de 2002.
  41. Sem a província de Kosovo.
  42. Localização geográfica. Web oficial da Cidade de Belgrado
  43. International Cooperation. Official website. Página visitada em 2007-07-10.
  44. Beograd: Međunarodni odnosi. Stalna konferencija gradova i opština Srbije. Página visitada em 2007-06-18..
  45. Council okays peace committees: Lahore and Chicago to be declared twin cities.. The Post (2007-01-28). Página visitada em 2007-05-16.
  46. INVITATION FOR FRATERNIZATION OF HAVANA AND BELGRADE. Serbian Ministry of Foreign Affairs. Página visitada em 2007-11-04..
  47. Received Decorations. Official website. Página visitada em 2007-05-16.
  48. European Cities of the Future 2006/07. fDi magazine (2006-02-06). Página visitada em 2007-07-10.
  49. Aleksandar Miloradović (2006-09-01). Belgrade - City of the Future in Southern Europe (PDF). TheRegion, magazine of SEE Europe. Página visitada em 2007-07-10.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Belgrado
Página oficial
Educação
Eventos
Instituições e centros culturais
Mídia
Museus
Teatros
Informações turísticas