Tirana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tirana
Tiranë
—  Município  —
Bandeira de Tirana
Bandeira
Brasão de armas de Tirana
Brasão de armas
Tirana está localizado em: Albânia
Tirana
41° 19' 48" N 19° 49' 12" E
País  Albânia
Prefeitura Tirana
Distrito Tirana
Fundação 1614
Administração
 - Prefeito Lulzim Basha (PD)
Área
 - Total 41,80 km²
Altitude 110 m (361 pés)
População (censo 2001)[1]
 - Total 343 078
    • Densidade 8 207,6/km2 
 - Estimativa (2008[2] ) 618 431
Fuso horário CET (UTC+1)
 - Horário de verão CEST (UTC+2)
Código postal 1001–1028
Código de área (+355) 04
Placa de veículos TR
www.tirana.gov.al

Tirana (em albanês, Tirana, Tiranë ou Tirona, no dialeto local) é a capital e maior cidade da República da Albânia. Foi fundada em 1614 por Suleiman Paxá e tornou-se capital do país em 1920. Tirana é também a capital do distrito de Tirana e da prefeitura de Tirana. O município (em albanês: bashkia) de Tirana é delimitado a norte pela serra de Kamza, a leste pelo Monte Dajt, a oeste pela serra do Vaqarr e Yzberisht e ao sul pelas colinas de Krrabë e Sauk. Tirana possui altitude média de 110 metros acima do nível do mar.

Existem dois principais rios que correm pela cidade: a Lana e de Tirana. A cidade também contém um total de quatro lagos: o lago Tirana, o lago Kodër-Kamëz, lago Farka, e o lago Tufina. O ponto mais alto de Tirana mede 1.828 m. A cidade está no mesmo paralelo com Nápoles, Madrid, Istambul e sobre o mesmo meridiano com Budapeste e Cracóvia.

É atualmente o maior centro industrial e comercial do país e abriga a Universidade de Tirana, fundada em 1957. Aos poucos vem desenvolvendo a atividade turística, apesar dos recentes conflitos em países vizinhos, como a Bósnia e Herzegovina, a Macedônia e o Kosovo.

História[editar | editar código-fonte]

Antiguidade[editar | editar código-fonte]

A área ocupada atualmente pela cidade de Tirana foi povoada desde o Paleolítico[3] remontando ao período que vai de 10.000 a 30.000 anos atrás, como mostram as evidências de ferramentas encontradas próximo ao terreno de pedreiras próximo ao monte Dajt, bem como dentro da caverna de Pellumba. Na opinião de diversos arqueólogos, Tirana e seus subúrbios estariam repletos de lendas e topônimos ilírios, e os distritos da cidade seriam algumas das primeiras regiões da Albânia a terem sido habitadas.[4]

Diversos restos encontrados em fortalezas, igrejas, aldeias e durante construções urbanas dentro e nos arredores de Tirana forneceram evidências de atividade contínua ao longo de boa parte da história humana do local. A descoberta mais antiga na cidade em si foi um mosaico que data do século III d.C., junto com diversos outros objetos encontrados na Fonte de Shengjin, próximos a um templo medieval. Um castelo, possivelmente chamado de Tirkan ou Theranda, foi construído pelo imperador romano Justiniano em 520, e restaurado por Ahmed Paxá Toptani, no século XVIII.[4] A região não teve uma importância significativa nos períodos ilírio e clássico. Em 1510, Marin Barleti, um acadêmico e padre católico albanês, referiu-se a esta região, em sua biografia do heroi nacional Skanderbeg, Historia de vita et gestis Scanderbegi Epirotarum principis ("História da vida e feitos de Skanderbeg, príncipe dos epirotas"), como "uma pequena vila"[5]

Sob domínio otomano[editar | editar código-fonte]

O bazar de Tirana visto em um cartão postal de 1902.

Os primeiros documentos de terras registradas sob domínio dos otomanos em 1431-32 mostram que Tirana consistiu de 60 zonas habitadas, com cerca de 2.028 casas e 7.300 habitantes. O documento de 1583 diz que Tirana tinha 110, com 2.900 casas e 20.000 habitantes.

Süleiman Paşa Mulleti (ou Sulejman Pashë Bargjini), um governante local, estabeleceu a cidade otomana em 1614 com uma mesquita, um centro comercial e um hammam (sauna turca). A cidade estava localizada ao longo de rotas de caravana e cresceu rapidamente em importância até o início do século XIX. Durante este período, a mesquita, no centro de Tirana, a Et'hem Bey Mesquita concebida pelo Bey de Petrela Molla, começou a ser construída. Empregava os melhores artesãos do país e foi concluída em 1821 pelo Molla do filho, que também foi Sulejman Paşa's, o grande sobrinho. Em 1800, os primeiros recém-chegados chegaram à liquidação, o chamado ortodoksit. Eles foram Vlachs das aldeias de Korçë Pogradec e que se fixaram em torno da área do lago artificial de Tirana de hoje.[6] Mais tarde, eles começaram a ser conhecido como o llacifac e foram os primeiros cristãos a chegar após a fundação da cidade. Em 1807, Tirana tornou o centro da Sub-Prefeitura de Kruje-Tirana.

Após 1816, Tirana ficou sob o controle da família de Toptani Kruje. Em 1865, Tirana tornou uma Sub-Prefeitura da recém-criada Vilayet de Shkodër e Sanjak de Durrës. A língua albanesa começou a ser ensinada nas escolas da Tirana em 1889. O clube patriótica "Bashkimi" foi fundada em 1908, enquanto em 26 de Novembro de 1912, a bandeira nacional foi levantada de acordo com Ismail Qemali. Durante a guerra dos Balcãs, a cidade foi temporariamente ocupada pelo exército sérvio, e em 1914-15, tomou parte na revolta das aldeias de chumbo em Haxhi Qamili.

Nos termos do regime comunista[editar | editar código-fonte]

Após a chegada ao poder dos comunistas, a cidade experimentou um período significativo de desenvolvimento em todos os aspectos. Em matéria de urbanização, a cidade viu a criação de apartamentos complexos no estilo socialista e fábricas. Na década de 1960, a identidade histórica da cidade enfrentou um momento crítico como a praça central que foi redesenhada. Como resultado, um número de edifícios de importância cultural e histórica foram demolidos para dar lugar à formação do atual Skanderbeg Square. Hoje, no lugar do "Hotel Tirana International", o edifício foi usado para ser criada a catedral Ortodoxa Autocephalus, a maior do país. Perto da área do atual Teatro do Palácio da Cultura passou a ser o Old Bazaar (Pazari i Vjetër). O Museu Histórico Nacional foi construída sobre a fundação do antigo prédio da Prefeitura de Tirana, que foi detonado na década de 1960. A primeira estrutura que foi utilizada para abrigar o Parlamento da Albânia, no período de King's Zog, foi transformado em um teatro para crianças e foi nomeado o Dolls Teatro (Teatri i Kukullave).

No aspecto político, a cidade foi visitada por uma série de importantes figuras políticas. Em 1959, o presidente soviético Nikita Khruschev visitou Tirana, e enquanto esteve na capital e aproveitou a oportunidade para lançar a primeira pedra sobre as bases do novo Palácio da Cultura. Em 1964, o premier da República Popular da China, Zhou Enlai encontrou-se com Enver Hoxha em sua chegada. Em 1984, a cidade foi visitada pelo primeiro-ministro alemão da Baviera Franz Josef Strauss. Tirana serviu como o local em que a cerimônia da morte do Primeiro Secretário do Partido do Trabalho albanês teve lugar, em 1985. Quatro anos mais tarde, em 1989, Oskar Fischer, Ministro dos Assuntos Estrangeiros da República Democrática Alemã visitou Tirana.

O período de transição[editar | editar código-fonte]

Nova ponte de pedestre em Tirana.

O período pós-comunista é descrito como tendo sido um dos piores em termos de desenvolvimento urbano da cidade. Tirana experimentou um desenvolvimento caótico com o elevado aumento edifícios que começaram a ser construídas sem planejamento, e estruturas ilegais aumentaram em áreas públicas. Novos bairros informais começaram a formar ao redor da cidade como migrantes internos recolhidos de todo o país.

O renascimento[editar | editar código-fonte]

Rio Lana após o renascimento.

Tirana viu uma mudança radical que o novo milênio trouxe a cada etapa. A partir do ano de 2000, o município de Tirana realizou uma campanha maciça de devolver o espaço público para o público em geral. A campanha chamada "Retorno de Identidade", incluída a transformação do rio Lana, Rinia Park e outros ao seu estado pré-1990. A infra-estrutura global tem aumentado, uma vez que considerável número de estradas foram reconstruídas. Espaços comuns entre prédios foram construídas por uma subsequente campanha para trazer de volta os espaços verdes e um grande número de construções ilegais foram demolidas. É observado que alguns espaços verdes existentes são utilizados para a construção de arranha-céus e centros multi-funcionais. Prédios estão sendo construídos em razão das antigas residências.

O prefeito de Tirana, Edi Rama, levou uma iniciativa para pintar as fachadas dos edifícios de Tirana em cores vivas, porém interiores desses edifícios ainda são classificados em ruínas.[7] [8]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Expansão de Tirana entre 1990 e 2005.

Em setembro de 2008, a população urbana da cidade foi oficialmente estimada em 616.396.[9]

Em 1703, Tirana havia cerca de 4.000 habitantes e até 1820 triplicou o número de 12.000. O primeiro censo, realizado em 1923 (alguns anos depois a cidade se tornou capital da Albânia), mostraram uma população total de 10.845. Durante a década de 1950, Tirana experimentou um rápido crescimento industrial e a população aumentou para cerca de 137.000 em 1960.

Após o final do regime comunista, em 1991, Tirana experimentou seu mais rápido crescimento da população quando a população das zonas rurais se mudaram para a capital em busca de uma vida melhor. Em 1990, Tirana tinha 250.000 habitantes, mas o afluxo de grande escala, desde então, a partir de outras partes do país aumentando a população de bem mais de 800.000.

Abaixo está um relato pormenorizado do desenvolvimento da população de Tirana, ao longo dos anos:

Ano Área
(km²)
População
(dentro de limites da cidade, nesse momento)
Notas
1431-32 7,300 Primeiro registo cadastral sob Império Otomano
1583 20,000 Senso da região de Tirana
1703 4,000
1820 12,000
1901 15,000
1923 10,845 Primeiro recenseamento da população
1930 8.0 25,079
1937 5.0 35,000
1945 59,900 Plano Regulador de Estatísticas
1950 10.6
1955 108,200 Plano Regulador de Estatísticas de 1957
1970 31.0 180,000 Da revista acadêmica, Studime Historike
1985 15.4 200,000
1989 277,567 Censo Nacional do Concelho de Tirana de 1989
2001 610,000 Censo Nacional do Concelho de Tirana de 2001
2008 41.8 726.54 Instituto de Estado Civil de Tirana
O dado se refere aos números publicados no site oficial do Município de Tirana e do INSTAT.[10] [11]
Vista panorâmica de Tirana, visto da montanha Dajti.

Clima[editar | editar código-fonte]

Tirana geralmente tem um clima mediterrâneo. A temperatura média varia de um mínimo de 2 °C em janeiro para uma alta de 31 °C em julho e agosto, que também são os meses secos, cada um com cerca de 3 centímetros de precipitação, em média. Os meses mais úmidos são novembro, dezembro e média de cerca de 19 cm.

Nuvola apps kweather.svg Médias meteorológicas para Tirana Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez
Alta recorde °C (°F) 19
(66)
22
(72)
26
(79)
28
(82)
33
(91)
37
(99)
38
(100)
40
(104)
35
(95)
31
(88)
25
(77)
22
(72)
Média alta °C (°F) 12
(54)
12
(54)
15
(59)
18
(64)
23
(73)
28
(82)
31
(88)
31
(88)
27
(81)
23
(73)
17
(63)
14
(57)
Média baixa °C (°F) 2
(36)
2
(36)
5
(41)
8
(46)
12
(54)
16
(61)
17
(63)
17
(63)
14
(57)
10
(50)
8
(46)
5
(41)
Baixa recorde °C (°F) -8
(18)
-8
(18)
-4
(25)
-1
(30)
3
(37)
6
(43)
11
(52)
10
(50)
5
(41)
1
(34)
-3
(27)
-7
(19)
Precipitação mm (polegadas) 135
(5.31)
152
(5.98)
128
(5.04)
117
(4.61)
122
(4.8)
86
(3.39)
32
(1.26)
32
(1.26)
60
(2.36)
105
(4.13)
211
(8.31)
173
(6.81)
Fonte: BBC Weather Centre [12]

Cultura[editar | editar código-fonte]

"Taivani" um dos mais modernos e frequentados restaurantes de Tirana.
Castelo de Petrela, em Tirana.

As principais instituições culturais e artísticas de Tirana são o Teatro Nacional, o Teatro de Ópera e Balé, a Galeria Nacional de Arte (Galeria Kombëtare e Arteve) e do Conjunto de Música e Dança Folclórica. Outro evento cultural inclui espectáculos de compositores de renome mundial realizado pela Orquestra Sinfônica da Rádio e Televisão albanesa. A cidade tem sido um palco para a Tirana Biennale e Tirana Jazz Festival.

Em Tirana existem diversos sítios históricos e culturais:

  • Castelo / Fortaleza de Tirana (Kalaja e Tiranës), o núcleo histórico da capital
  • Kroi de Shëngjin (Kisha e Kroit te Shëngjinit)
  • Castelo de Prezë/ Fortaleza (Kalaja e Prezës)
  • Castelo Petrela/ Fortaleza (Kalaja e Petrelës)
  • Mesquita de Tirana Et'hem Bej (Xhamia e Tiranës)
  • O Centro de Tirana,
  • Ponte de Tabaks (Ura e Tabakëve),
  • Túmulo de Kapllan Paşa's (Varri i Kapllan Pashës)
  • Torre do relógio (Kulla e Sahatit)

Tirana tem 8 bibliotecas públicas, sendo uma delas a Biblioteca Nacional da Albânia (Biblioteka Kombëtare), 5 casas-museus e 56 monumentos culturais.[13]

Educação[editar | editar código-fonte]

"Os albaneses" - um mosaico sobre a fachada do Museu Histórico Nacional

Tirana é sede de várias universidades, entre elas a Universidade de Tirana, Universidade Politécnica de Tirana, a Universidade Agricultural e a Academia de Educação Física e Esportes, instituições nacionais e internacionais, bem como NGO.

Tirana viu a criação de um vasto número de instituições acadêmicas privadas. Incluem Universidade de Nova York-Tirana, Luarasi Universidade, Zoja e Keshilit te Mire, Academia de Cinema e Multimédia "Marubi", e muitos outros.

Outras instituições incluem público acadêmico da Academia das Artes, da Academia de Ciências, Academia Militar e do Instituto do Ministério do Interior. Foi prometido pelo governo de financiar mais dinheiro na Educação e a abertura de mais escolas e que de cada criança na Albânia terá 1 computador.

Esporte[editar | editar código-fonte]

Tirana é o principal centro de desporto na Albânia. O Tirana Futebol Clube é o maior clube da Albânia. Tirana tem dois estádios, Qemal Stafa com uma capacidade de 20.000 pessoas, este é a principal e maior estádio na Albânia. O segundo estádio é Selman Stermasi, que pode abrigar 11.000 pessoas. A infra-estrutura esportiva de Tirana está desenvolvendo rapidamente devido ao Município e MTKRS investimentos.

Mídia[editar | editar código-fonte]

Tirana é o principal centro de mídia Albânia. A cidade é o lar para a sede da Rádio e Televisão Albanês (RTSH), da Albânia, emissora pública nacional e radiodifusores comerciais como o Top Channel e TV Klan. Várias estações de rádio operam na capital, sendo a mais notável Rádio Tirana, seguido pelos comerciais de rádio e Top Albânia e Plus 2 Rádio. Tirana é o lar para a publicação de um grande número de diários: Shqip, Zeri i Popullit, Shekulli, Gazeta Koha Jone Shqiptare, este sendo o mais famoso.

Saúde[editar | editar código-fonte]

O maior hospital de Tirana é chamado Hospital Madre Teresa (Qëndra Spitalore Universitare Nene Tereza), que está associado com a Faculdade de Medicina da Universidade de Tirana. O Hospital é um estabelecimento que oferece 1456 cama abrangente no atendimento ao paciente terciário mais de 12.000 doentes por ano. O hospital está neste momento a sofrer grandes alterações na infra-estrutura e equipamentos.

Economia[editar | editar código-fonte]

Tirana é o principal centro industrial e comercial da Albânia. Ela tem experimentado um crescimento rápido e criou muitas novas indústrias desde a década 1920. As principais indústrias incluem produtos agrícolas e máquinas, têxteis, produtos farmacêuticos e de produtos metálicos.

Tirana começou a desenvolver-se no início do século XVI, quando foi estabelecido um bazar e os seus artesãos fabricavam seda e tecidos de algodão, couro, cerâmica e ferro, prata, ouro e artefatos. Situada em uma planície fértil, a área de Tirana exportada 2.600 barris de azeite e 14.000 pacotes de tabaco a Veneza de 1769. Em 1901, havia 140.000 oliveiras, 400 lagares de azeite, e 700 lojas. A torre Tid de 85 metros está sendo construída na cidade. Ela irá redefinir arquitetura na Albânia.

Praça de Skanderbeg, centro comercial.

Transporte[editar | editar código-fonte]

O transporte municipal, nacional e internacional têm desenvolvido ao longo dos últimos anos e a procura tem aumentado. Até anos recentes, ligações terrestres através da Grécia e Montenegro têm tido vários problemas com a burocracia ou segurança.

O transporte local é de ônibus ou táxi. Os serviços de ônibus e micro-ônibus são executados, de acordo com a demanda, para a costa norte e sul da Albânia e de locais diferentes, em Tirana. Os serviços de ônibus internacionais ligam para a Grécia, através Korçë táxis e, em seguida, à fronteira, para o Kosovo, e para a República da Macedônia.

Existem serviços regulares de passageiros e de Durrës Pogradec, através Elbasan. A estação ferroviária está a norte de Skanderbeg Square, no Boulevard Zogu I. Não existem serviços internacionais de passageiros, embora exista apenas uma carga ferroviária através Shkodër até Montenegro (embora isto seja atualmente desafetadas).

O Aeroporto Internacional de Tirana Nënë Tereza (Madre Teresa em albanês), também conhecido como Aeroporto Rinas foi reconstruída em 2007. Está localizado a 25 quilómetros a noroeste da cidade, ao largo da estrada para o Durrës. As companhias aéreas utilizam o Rinas incluindo Albanian Airlines, executando voos para Atenas, Nova Iorque, Rimini, Bari, Gênova, Roma, Bolonha, Munique, Frankfurt, Istambul, Viena entre outros lugares. É é um dos maiores aeroportos na região.

Cidades irmãs[editar | editar código-fonte]

Tirana está geminada com:[14]

Referências

  1. Communes of Albania Statoids. Visitado em 29-7-2011.
  2. Estatística de Tirana no site oficial
  3. De acordo com Muzafer Korkuti, arqueólogo e estudioso albanês: "Tirane si qëndër e Historisë dhe Trashëgimisë Kulturore"
  4. a b Heppner, Harald. Hauptstädte in Südosteuropa: Geschichte, Funktion, nationale Symbolkraft. [S.l.]: Wien u.a. Böhlau, 1994. 133, 135 pp. ISBN 9783205982555.
  5. Ver Jasa, Skënder. Tirana ne shekuj: Terona, Theranda, Tirkan, Tirannea, Tirana : monografi, disa artikuj e materiale arkivore kushtuar historisë së Tiranës. Victoria, 1997.
  6. "Tiranasit" e ardhur rishtaz Gazeta Shqiptare. Visitado em 2008-08-17.
  7. A bright and colourful new style of urban design emerges in Albania Resource for Urban Design Information. Visitado em 2008-08-16.
  8. Pusca, Anca. (2008). "The aesthetics of change: Exploring post-Communist spaces". Global Society 22 (3): 369–386. DOI:10.1080/13600820802090512.
  9. Statistika 2008 - 9 mujori Municipality of Tirana. www.tirana.gov.al. Retrieved on 2009-01-04.
  10. Estatísticas populacionais do Município de Tirana
  11. Projeções populacionais do INSTAT
  12. Average Conditions - Tirana (em english) Research Machines plc 2006. Visitado em September 1 2008.
  13. Statistikat 2007 Municipality of Tirana. www.tirana.gov.al. Retrieved on 2008-07-20
  14. Twinning Cities: International Relations (PDF) Municipality of Tirana www.tirana.gov.al. Visitado em 2009-06-23.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Tirana
Wikivoyage
O Wikivoyage possui o guia en:Tirana

Referências