Solimão Paxá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde maio de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde maio de 2015). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.

Solimão Paxá (c. 1316 - 1357) foi o filho mais velho de Orhan I (segundo bey do recém-estabelecido Império Otomano) e neto de Osmã, o fundador da Dinastia Otomana. Foi um dos principais generais de Orhan.

Acredita-se que sua mãe tenha sido Nilüfer Hutun (cujo nome de batismo seria Helena), filha de Holofira (ou Hóloforos) antigo senhor grego-bizantino de um distrito do vale do Sangário.

Salomão Paxá participou da conquista de Galípoli, que foi ocupada com relativa facilidade pelos Otomanos, devido à desordem social provocada em Constantinopla pela luta do imperador deposto João V Paleólogo contra seu usurpador João VI Cantacuzeno pelo trono romano, e também por causa de a península de Galípoli ter sido evacuada pela população grega após um grave terramoto. Além disso, o então ocupante do trono Bizantino, João VI Cantacuzeno, estava bem mais interessado no apoio do Sultão Orhan contra João V Paleólogo do que em defender Galípoli.

General de valor, e filho primogênito, Salomão Paxá teria herdado o Sultanato de seu pai Orhan; morreu, todavia, um ano após a conquista de Galípoli, acidentado por uma queda fatal quando praticava um esporte eqüestre, o que causou grande desgosto a Orhan. Por ordem do pai, foi sepultado num mausoléu numa praia na margem europeia do Dardanelos, isto é, na Península de Galípoli que Salomão conquistara para os Otomanos.