Técnico de farmácia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Técnico de farmácia é uma profissão onde o profissional recebe, tria, armazena e dispensa medicamentos. No ramo industrial ou laboratorial, auxilia o preparo de produtos e atua no controle de equipamentos e materiais. Ainda pode trabalhar em farmácias homeopáticas, hospitalares e manipulação. O técnico em farmácia comunitária atua sob observação do farmacêutico.[1]

Técnico de farmácia em Portugal[editar | editar código-fonte]

A profissão de técnico de farmácia em Portugal é uma profissão regulada. Os técnicos de farmácia são profissionais de saúde habilitados com uma formação de nível superior (licenciatura) integrada no ensino superior politécnico, sendo a licenciatura ministrada em várias escolas superiores distribuídas pelo país e que pertencem ao Sector Público (6 Escolas) e Sector Privado (5 Escolas), ou ao abrigo do artigo 4º nº 2 e 3 do Decreto-Lei 320/99 são igualmente técnicos de farmácia os antigos titulares de carteira profissional de ajudante técnico de farmácia.

A sua formação de licenciatura compreende 4 anos com estágio incluído e abrange uma vasta área de disciplinas desde a anatomia, fisiologia, Químicas em geral, histologia, estatística, farmacologia, farmacoterapia, tecnologia asséptica, tecnologia farmacêutica e galénica assim como a farmacoquímica, toxicologia e gestão entre outras.

Desde Setembro de 2005 os técnicos de farmácia em Portugal podem ser responsáveis técnicos por postos de venda de medicamentos não sujeitos a receita médica.

Técnico de farmácia no Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil os técnico em farmácia estão regulamentados desde a lei nº5.991/1973. Em 2013 a presidente Dilma vetou qualquer alteração desta regulamentação[2] .

Atribuições[editar | editar código-fonte]

O técnico de farmácia encontra-se habilitado a intervir nas diferentes etapas do circuito do medicamento, desde a produção, aquisição e distribuição de medicamentos, passando pela gestão, controlo de qualidade e marketing, actuando autonomamente conforme a legislação que regulamenta a profissão.[3]

Participa igualmente em acções de informação/formação junto do utente, de outros técnicos de saúde e da comunidade em geral.

Os profissionais exercem a sua actividade profissional no circuito do medicamento, concretamente em estabelecimentos de saúde, como farmácias comunitárias e hospitalares.

Outras instituições de produção/comercialização de medicamentos e de prestação de cuidados de saúde podem também acolher técnicos para o desempenho das suas funções.

Legislação profissional de Portugal[editar | editar código-fonte]

  • Decreto Lei 261/93 de 24 de Julho
  • Decreto Lei 320/99 de 11 de Agosto
  • Decreto Lei 564/99 de 21 de Dezembro

Legislação do sector de Portugal[editar | editar código-fonte]

  • Decreto Lei 134/2005
  • Portaria 827/2005
  • Decreto Lei 176/2006
  • Decreto Lei 307/2007

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Senac. Técnico em Farmácia. Página visitada em 02/08/2010.
  2. DILMA VETA ARTIGO 19 DA LEI 12.865/2013 PFarma.org
  3. Decreto Lei 564/99 de 21 de Dezembro

Ligações externas[editar | editar código-fonte]