Tribo Skate

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
TRIBO SKATE
Editor Cesar Gyrão, Fabio Britto Araújo
Frequência Mensal
Editora SNV Ltda
Circulação Paga: 40.000 exemplares
Categoria Skate, Cultura, Música
País  Brasil
Idioma Português
Primeira edição 1 de setembro de 1991 (22 anos)
www.triboskate.com.br

Tribo Skate[1] é uma revista de skate mensal brasileira publicada pela Editora SNV Ltda. Sua primeira edição foi publicada em setembro de 1991.

Ano a ano, o skate brasileiro reconquista seu espaço no Brasil e no exterior. Os skatistas dominam a cena internacional acumulando títulos, negociando patrocínios milionários e, em contrapartida gerando demanda para as marcas gringas instalarem-se definitivamente no país do futebol por meio de subsidiárias e licenciamento. O mercado ficou profissional, o skate tornou-se profissional. Mas é um mercado que vende conceito agregado ao produto, tem caráter e estilo o que atrai muito simpatizante e novos adeptos. O skate passa a ser um dos maiores esportes do Brasil com mais de 3 milhões de praticantes. Marcas de roupas, tênis, acessórios, equipamentos e demais tendências que englobam o conceito street atualmente são vistas até nas passarelas da alta-costura.

A revista Tribo Skate acompanhou toda esta trajetória, do marco zero ao sucesso que o segmento vem atingindo nos anos 2000. E transmite aos leitores conceito, arte, música e toda a diversidade que esta cultura engloba. Costuma-se dizer que é Skate na Veia!

A revista também é distribuída em outros países, como Portugal, Argentina e Chile que seguem a edição principal, sendo na língua portuguesa.

Sua trajetória e o mercado do skate[editar | editar código-fonte]

Anos 1980[editar | editar código-fonte]

Na década de 1980, a revista Overall[2] , publicada pela Editora Trip, era a principal publicação do momento e grande responsável pela divulgação do skate no país. Em 1990, todas as revistas e programas de TV haviam se extinguido com a grande crise econômica Plano Collor, e perderam-se todas as expectativas, ficando o skate brasileiro à deriva.

Anos 1990[editar | editar código-fonte]

Em 1991, nasce a revista Tribo Skate[3] , publicada inicialmente por outra editora e depois pela independente Editora SNV e fundada pelos editores assistentes da extinta Overall. A partir deste período, o skate brasileiro ganha a fonte de informação, divulgação e esperança de prosperidade para o segmento.

Anos 2000[editar | editar código-fonte]

No ano 2005, na edição de número 112, sai primeira capa com uma skatista feminina, a Patiane Freitas.[4] Na edição comemorativa aos 13 anos, 120, é publicada a segunda capa com mulheres com Karen Jones[5] que anda na modalidade vertical.

Público[editar | editar código-fonte]

O leitor da revista é um público skatista e por notícias e matérias sobre skate. Porém, na redação, a revista recebe o feedback de pessoas de todos os sexos e idades. No dia-a-dia, a produção é focada para público skatista, mas aborta também todas as culturas, artes, entretenimentos e muitos mais relacionadas ao skate.

A Publicação[editar | editar código-fonte]

  • Formato 22,70 x 28 cm
  • Impressão 04 cores
  • Processo de gravação de chapas CTP
  • Acabamento lombada quadrada
  • Capa em papel couchê 170g com aplicação de verniz UV
  • Miolo em papel couchê 80g
  • Periodicidade mensal
  • Tiragem 40.000
  • Distribuição Fernando Chinaglia

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal de Skate.

Referências

  1. Editorial Tribo Skate #01 (1991) Skate é Cultura, Giancarlo Machado, 2008
  2. Overall, a primeira revista de skate dos anos 80. Revista Trip, Linha do tempo, 1984
  3. Revista Tribo ano 1 nº 01 Skate Curiosidade, Yndyo, 2008
  4. Patiane Freitas Sk8.com.br, 2007, Recordes, Histórias, invenções e personalidades
  5. Karen Jones Skate para Meninas, Retrospectiva 2005

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma revista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.