WebQuest

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
KECC in Parwan.jpg

WebQuest (do inglês, pesquisa, jornada na Web) é uma metodologia de pesquisa orientada para a utilização da internet na educação, onde quase todos os recursos utilizados para a pesquisa são provenientes da própria web[1] compreendendo assim uma série de atividades didáticas de aprendizagem que se aproveitam da imensa riqueza de informações do mundo virtual para gerar novos conhecimentos. Trata-se de uma proposta feita em 1995 pelo professor Bernie Dodge, da Universidade de San Diego, com a participação do seu colaborador Tom March.

Elaboração[editar | editar código-fonte]

Geralmente a webquest é elaborada por um professor com questões para serem solucionadas pelos alunos de ensino fundamental, médio ou superior. Ela sempre parte de um tema onde se delinearão as tarefas, que envolve consultar fontes de informação como livros, vídeos e mesmo pessoas a entrevistar, entretanto, são mais comuns sites ou páginas na internet. Essas fontes são, em geral, selecionadas pelo professor[2] .

Características[editar | editar código-fonte]

As webquests possuem uma base teórica construtivista, pois os próprios alunos vão construindo seu conhecimento. Através do cumprimento das tarefas eles vão transformando as informações, compreendendo-as e armazenando-as. Suas estratégias de aprendizagem ajudam os estudantes a desenvolver habilidades de cooperação para com o grupo e a entender que aprendemos mais e melhor com os outros do que sozinhos. Seu principal objetivo é desenvolver as habilidades cognitivas dos alunos.

Para desenvolver uma webquest é necessário criar um site que pode ser construído com um editor de HTML, serviço de blog ou até mesmo com um editor de texto que possa ser salvo como página da web. Os passos para a criação da webquest são os seguintes:

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Introdução

Nela você deverá apresentar as informações básicas da pesquisa aos alunos, orientando-os sobre o que vão encontrar na atividade proposta. Além disso, tem como objetivo despertar o interesse deles para realizar o trabalho, motivando-os para começar;

Tarefa

Descrever o que os alunos deverão elaborar durante o projeto, propondo um percurso a ser percorrido até o final dele, sem, entretanto, dá-los um produto pronto/acabado;

Processo

Fornecer descrições das etapas que os alunos deverão seguir para a realização do trabalho, incluindo orientações sobre como subdividir as tarefas;

Recursos

Disponibiliza aos alunos uma lista de referências bibliográficas a serem consultadas para a realização das tarefas.

Conclusão

Corresponde à finalização da tarefa proposta. Nela o professor deve apresentar um resumo que levará o aluno à reflexão da atividade com o objetivo de reconhecer o que foi aprendido.

Avaliação

Um tópico bastante comum na webquest é o intitulado de avaliação. Nesse tópico, o professor irá explicar os critérios que serão utilizados para avaliar o desempenho do aluno para com o seu trabalho. Após a elaboração desses tópicos, basta que o criador da webquest poste-a na internet. Como dito anteriormente, para fazer isso, será preciso hospedar a webquest num servidor.

Objetivos Educacionais[editar | editar código-fonte]

Pedagogicamente falando, a utilização da webquest pode ajudar o educador a alcançar objetivos educacionais importantes, tais como:

a) modernizar o jeito de se fazer educação, já que as webquests fazem o uso da internet, o que é uma maneira de praticar uma educação sintonizada com nosso tempo;
b) garantir o acesso a informações autênticas e atualizadas, pois os professores têm também o objetivo de selecionar as fontes de pesquisas para se obter informações confiáveis;
c) promover aprendizagem cooperativa;
d) desenvolver as aptidões cognitivas, pois a webquest oferece oportunidades para o desenvolvimento das habilidades do conhecer;
e) incentivar a criatividade.
f) transformar as informações existentes ao invés de apenas reproduzi-las, tendo em vista a necessidade de solucionar as questões e metas propostas pela webquest

WebQuests na Educação Brasileira[editar | editar código-fonte]

No Brasil há diversas experiências sobre o trabalho com WebQuests publicadas no site da Escola do Futuro, Colégio SAA, Colégio Dante Alighieri, Mackenzie, SENAC, EscolaBR e Colégio Marista de Maceió. Além disso, há uma competição nacional, o Desafio Nacional Acadêmico, baseada nesta metodologia.

Ver também[editar | editar código-fonte]

titulo da poesia

  1. WebQuest.org Department of Educational Technology, San Diego State University. (2008). Visitado em 2013-09-11.
  2. WebQuests Explanation Concept to Classroom Workshop: Webquests Educational Broadcasting Corporation (2004). Visitado em 11 de Setembro de 2013.

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

  • Dodge, B. (1995a). "Some thoughts about Webquests". retrieved November 16, 2007 from About WebQuests em webquest.sdsu.edu.
  • Dodge, B. (1995b). "WebQuests: A technique for Internet-based learning". Distance Educator, 1(2), 10–13.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Erro de citação: existem marcas <ref> para um grupo chamado "pesquisa de poesia", mas nenhuma marca <references group="pesquisa de poesia"/> correspondente foi encontrada (ou uma marca de fechamento </ref> está faltando)