Éder Sader

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Éder Sader
Dados pessoais
Nascimento 7 de agosto de 1941
Morte 21 de maio de 1988 (46 anos)

Eder Simão Sader (São Paulo, 7 de agosto de 1941 — São Paulo, 21 de maio de 1988) foi um sociólogo brasileiro.

Foi perseguido pela ditadura militar (Golpe de 1964) ao que exilou-se no Chile entre 1971 e 1973 e em seguida na França no período de 1974 a 1979.

Eder Simão Sader foi militante político e docente na USP. Quando estudante de Ciências Sociais na Faculdade de Filosofia da Universidade de São Paulo, foi um dos fundadores da Organização Revolucionária Marxista Política Operária (POLOP), junto com Ruy Mauro Marini, Vânia Bambirra, Theotônio dos Santos, Michel Löwy e outros. Com a ditadura militar em 1964, tornou-se militante do MIR chileno até 1973, quando novamente buscou refúgio político na França após o golpe de Pinochet. Na França lecionou na Universidade de Paris VIII. Ao regressar ao Brasil, tornou-se docente de Sociologia na USP e foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores.

Na capital de São Paulo uma escola pública e duas praças (Vila Madalena e USP) receberam o nome do cientista social.

Obras
  • Um Rumor de Botas, 1982;
  • Mao Tse-tung, 1982;
  • Che Guevara: Política, 1985;
  • Marxismo e Teoria da revolução proletária, 1986;
  • Quando Novos Personagens Entraram em Cena, 1988


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.