Óleo isolante

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para Óleo isolante, veja Óleo (desambiguação).

Os óleos isolantes, também conhecidos como óleos de transformador, são fluidos, estáveis a alta temperatura, dotado de elevadas características isolantes. São empregados em certos tipos de transformadores elétricos, reatores de potência, capacitores de alta tensão, chaves e comutadores e outros equipamentos elétricos. Suas principais funções são garantir o isolamento elétrico, extingüir descargas elétricas parciais e arcos elétricos e servir como meio de troca térmica para a refrigeração do equipamento."Todo transformador utiliza um fluido com a função de isolante elétrico e também para refrigerar o transformador. Tradicionalmente, esses fluidos isolantes são à base de óleo mineral, o que pode representar riscos consideráveis à saúde, meio ambiente e, principalmente, de incêndio."[1]

O tipo de fluido mais largamente empregado em equipamentos elétricos é o óleo mineral de elevado grau de refino, derivado do petróleo. Também existem óleos isolantes de origem vegetal, fabricados a partir de soja, girassol e outras matérias-primas, e fluidos sintéticos. Durante algum tempo foram empregados compostos organoclorados, os PCBs, porém os mesmos foram banidos no Brasil e na maior parte do mundo devido à sua baixa biodegradabilidade, potencial agressivo ao ambiente e por serem carcinogênicos.

No Brasil, a Petrobras é a única produtora de óleos isolantes minerais. Óleos de origem naftênica são fabricados pela empresa na Refinaria de Lubrificantes do Nordeste (LUBNOR), em Fortaleza, Ceará, a partir do petróleo "Fazenda Alegre - FAZA" produzido no norte do estado do Espírito Santo. Antes de iniciar a produção de isolante na LUBNOR, a Petrobras manteve durante anos uma outra linha de óleos isolantes produzida na REDUC, em Duque de Caxias, Rio de Janeiro. Atualmente, esta linha está descontinuada. Fluidos isolantes à base de óleo vegetal ou éster sintético[2] estão sendo cada vez mais utilizados, uma vez que representam uma solução mais segura em relação à riscos de incêndios, e representado um menor custo total. Óleos de origem vegetal possuem um menor passivo ambiental, comparado ao óleo mineral, oriundos de fontes renováveis,reduzindo a emissão total de carbono e simplificando procedimentos em caso de vazamentos.

O desenvolvimento dos óleos isolantes brasileiros é realizado nos laboratórios do CENPES, no Rio de Janeiro.

  1. «Cargill Brasil: Industrial - Especialidades Industriais - Fluido Dielétrico». www.cargill.com.br. Consultado em 2016-08-01. 
  2. «Cargill Brasil: Industrial - Especialidades Industriais - Fluido Dielétrico». www.cargill.com.br. Consultado em 2016-08-01.