Accioly Neto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Accioly Neto
Informação geral
Nome completo José Accioly Cavalcante Neto
Nascimento 11 de julho de 1950
Local de nascimento Goiana, Pernambuco
Brasil
Morte 29 de outubro de 2000 (50 anos)
Local de morte Recife, Pernambuco
Gênero(s) MPB
Ocupação(ões) cantor, compositor
Período em atividade 1975-2000
Gravadora(s) Roncha Sonora, Somax, SomZoom
Afiliação(ões) Fagner, Elba Ramalho
Página oficial http://www.acciolyneto.com.br

José Accioly Cavalcante Neto, mais conhecido como Accioly Neto (Goiana PE, 11 de julho de 1950 - Recife, 29 de outubro de 2000) foi um cantor e compositor de música popular brasileira.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira artística em 1975 como vocalista dos grupos Bulldog e Big Som, no Rio de Janeiro.[2] Ao longo de sua carreira participou de diversos festivais de música e lotou casas de espetáculo principalmente no Nordeste cantando grandes sucessos nacionais de sua composição interpretados por cantores de renome, como Fagner[3], Flávio José, Elba Ramalho, Fábio Junior, Roberta Miranda, Nando Cordel e outros.[2][4]

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

Em 1981, casou-se com Tereza[5], produtora musical, e teve uma filha, Talitha. Em 1991, voltando de Maceió para Recife, sofreu um grave acidente na estrada, que lhe deixou sequelas, enfrentando um período de forte depressão. Ainda assim, continuou compondo. Seu primeiro CD "Lembrança de um Beijo" lançado em 1995 teve a música homônima interpretada magistralmente por Fagner e por outros grandes cantores.

Morte[editar | editar código-fonte]

Accioly faleceu precocemente em 29 de outubro de 2000 aos 50 anos de idade em decorrência de um aneurisma cerebral. O CD "Meu Forró", lançado após a sua morte, traz sucessos como "Espumas ao Vento", que, em 2003, fez parte da trilha sonora do filme Lisbela e o Prisioneiro, dirigido por Guel Arraes.[6][7]

Referências

  1. «Biografia no Cravo Albin». dicionariompb.com.br/. Consultado em 6 de outubro de 2012 
  2. a b Accioly Neto na Enciclopédia Nordeste
  3. TEMPO, O. (21 de maio de 2018). «Compositor participa de tributo a Accioly Neto e lamenta a política atual». Magazine. Consultado em 10 de fevereiro de 2022 
  4. Continente, Revista. «Accioly Neto: natureza sonhadora». Revista Continente. Consultado em 10 de fevereiro de 2022 
  5. Barbosa, Author Antonio Carlos Da Fonseca. «Tereza viúva de Accioly Neto». Ritmo Melodia - A Revista que canta o Brasil. Consultado em 10 de fevereiro de 2022 
  6. «De Accioly Neto para ele e por ele mesmo». www.folhape.com.br. Consultado em 10 de fevereiro de 2022 
  7. Pernambuco, Diario de; Pernambuco, Diario de (21 de novembro de 2019). [https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/viver/2019/11/acciolu-neto-falecido-ha-19-anos-ganha-album-de-tributo-com-30-artis.html «Accioly Neto, falecido h� 19 anos, ganha �lbum de tributo com 30 artistas»]. Diario de Pernambuco. Consultado em 10 de fevereiro de 2022  replacement character character in |titulo= at position 25 (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.