Alóctone

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Alóctone é um termo composto originário do grego: allos (outros) + khton (terra). Significa aquilo que não tem suas origens no lugar onde existe.[1]

Em lingüística, por exemplo, um idioma que não emergiu ou não é natural de um certo país mas que surgiu como resultado de um histórico de imigração pode ser e freqüentemente é classificado como um idioma alóctone, ou seja, uma língua de imigração ou de herança familiar ou de legado cultural. Por exemplo, o português, o (idioma nacional do Brasil); e também o Hunsrückisch e o Talian, ambas (línguas minoritárias) do Brasil meridional resultantes da imigração e colonização da região.

Por outro lado, um idioma classificado como indígena, nativo, ou aborígene, isto é, originário na terra, como por exemplo a língua caingangue, ou a língua guarani, faladas no sul do Brasil, invariavelmente são classificadas como falares autóctones do país.

No entanto, o termo alóctone não é utilizado somente em lingüística mas também em geologia,[2], meio ambiente [3] ecologia,[4] etc.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Priberam, dicionário (Portugal)
  2. «Glossário Geológico Ilustrado (Brasil)». Consultado em 16 de janeiro de 2008. Arquivado do original em 6 de março de 2009 
  3. «Rede Ambiente, dicionário (Brasil)». Consultado em 16 de janeiro de 2008. Arquivado do original em 20 de janeiro de 2009 
  4. «Jardineiro.net, dicionário (Brasil)». Consultado em 16 de janeiro de 2008. Arquivado do original em 30 de novembro de 2007