Aldo Chioratto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aldo Chioratto
Nome completo Aldo Chioratto
Nascimento 5 de setembro de 1922
Campinas,São PauloSão Paulo
Morte 18 de setembro de 1932 (9 anos)
Campinas,São PauloSão Paulo
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Estudante e Escoteiro

Aldo Chioratto (Campinas, 5 de outubro de 1922 – Campinas, 18 de setembro de 1932) foi um escoteiro brasileiro morto durante um dos bombardeios causados pela até então Aviação Federal do Brasil, na Revolução Constitucionalista de 1932.[1][2]

História[editar | editar código-fonte]

Aldo Chioratto era escoteiro da Comissão Regional de Campinas e agregado à Cruzada Escoteira Pró-Constituição, foi incorporado nas tropas paulistas, como mensageiro requisitado pelo Coronel Mário Rangel. Morreu aos 9 anos na manhã de 18 de setembro de 1932, na cidade de Campinas, durante um dos bombardeios estratégicos comandado pelo major-aviador Eduardo Gomes, pelas Forças Armadas Brasileiras. Ele foi atingido por treze estilhaços de granada lançada por aviões adversários que bombardearam Campinas em 18 de setembro de 1932, ferindo-o mortalmente.[2]

Os restos mortais de Aldo repousam hoje no Mausoléu Constitucionalista, ao lado de outros tantos heróis dessa epopéia, como a única criança a receber tal homenagem.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «O heróico Escoteiro da Revolução Paulista de 1932» (PDF). Consultado em 31 de julho de 2012 
  2. a b Montenegro, Benedicto (1936). Cruzes Paulistas. São Paulo: Civilização brasileira. pp. 910–910 
  3. «Personalidades Revolução de 32». Sociedade de Veteranos de 32 - MMDC. 27 de julho de 2010. Consultado em 31 de julho de 2012 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre História do Brasil é um esboço relacionado ao Projeto História do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.