Alexandre I de Epiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Alexandre I de Épiro)
Ir para: navegação, pesquisa
Alexandre I
Rei de Epiro
Reinado 350–331 a.C.
Rainha Cleópatra
Antecessor(a) Arribas
Sucessor(a) Eácides
 
Dinastia Eácida
Nascimento ca. 370 a.C.
Epiro
Morte 331 a.C. (39 anos)
Padósia
Filho(s) Neoptólemo
Cadmea
Pai Neoptólemo I

Alexandre I de Epiro (em grego antigo: Ἀλέξανδρος Α' της Ηπείρου, Epiro, ca. 370 a.C. — Padósia, 331 a.C.), também conhecido por Alexandre Molosso (em grego antigo: Ἀλέξανδρος ο Μολοσσός), foi um rei de Epiro (350–331 a.C.) da dinastia eácida.[1] Como filho de Neoptólemo I e irmão de Olímpia,[2] era tio de Alexandre, o Grande e de Pirro.

Família[editar | editar código-fonte]

Ele era filho de Neoptólemo I, filho de Alcetas I, filho de Thapyrus.[2] Após a morte de Alcetas I, seus filhos,[3] Neoptólemo I e Arribas,[2] concordaram em dividir o poder, reinando juntos.[3]

Olímpia, irmã de Alexandre I, foi criada por Arribas, que era casado com sua irmã Troas.[4][Nota 1] Foi Arribas que promoveu o casamento de Olímpia com Filipe II da Macedônia.[4]

Ascensão[editar | editar código-fonte]

Frequentou, quando criança, a corte de Filipe II da Macedônia, e, sendo um jovem muito belo, seduzido por promessas de receber o reino de Epiro, tornou-se o protegido de Filipe.[5] Quando Alexandre I fez vinte anos,[5] Filipe destronou e exilou seu tio Arribas,[4] e fez de Alexandre I rei de Epiro.[5]

Reinado[editar | editar código-fonte]

Quando Olímpia foi repudiada por seu marido, em 337 a.C., ela foi ao seu irmão, e esforçou-se por convencê-lo a lutar contra Filipe.[6] Alexandre, o Grande também se refugiou com Alexandre I, mas depois foi para a Ilíria.[6]

Filipe, contudo, recusou enfrentá-lo,[6] e firmou uma segunda aliança com Alexandre I, dando-lhe sua filha (sobrinha de Alexandre I) Cleópatra em casamento [7] (336 a.C.). No casamento, Filipe foi assassinado por Pausânias de Orestis.[7]

Em 334 a.C., Alexandre I, a pedido da colônia grega de Taras (na Magna Grécia), dirigiu-se para a Itália, a fim de auxiliá-los na batalha contra várias tribos itálicas, os lucanos e os brútios.[8] Marco Juniano Justino comenta que, como se tivessem feito um sorteio e dividido o mundo, Alexandre, o Grande teria ficado com a Ásia e a Pérsia, e Alexandre do Epiro com a Itália, África e Sicília.[8] O Oráculo de Delfos havia prevenido Alexandre, o Grande, contra a traição na Macedônia, e a Alexandre I para temer a cidade de Pandósia e o rio Aqueronte; assim, ele fez a campanha na Itália para ficar longe da cidade e do rio, localizados em Epiro, sem saber que havia uma cidade e um rio de mesmo nome na Itália.[8]

Inicialmente, Alexandre lutou contra a Apúlia, mas, por causa de um oráculo que dizia que eles seriam invencíveis, fez um acordo de paz com eles.[8] Depois de vitórias sobre os brútios e lucanos, Alexandre fez um tratado de paz com os romanos, metapontinos e pediculanos.[8] O sucesso ainda acompanhou o seu exército. Tomou a Heracleia dos lucanos, e as cidades de Terina e Siponto dos brútios.

Os brútios e lucanos arrumaram reforços, e renovaram a guerra.[8] Alexandre foi morto nas proximidades da cidade de Padósia e do rio Aqueronte, conforme o oráculo.[8]

Sucessão[editar | editar código-fonte]

Deixou um filho, Neoptólemo,[9] e, possivelmente, uma filha, Cadmea.[Nota 2][10]

Após a morte de Alexandre I entre os lucanos, Olímpia, com medo de Antípatro, retornou a Epiro; Eácides, filho de Arribas, manteve sua aliança com Olímpia e lutou contra os macedônios, cujo rei nominal era Filipe Arrideu.[3]

Seu filho, Neoptólemo II,[9] governou conjuntamente com Pirro,[11] porém foi assassinado por Pirro quando planejava envenená-lo.[12]

Notas e referências

Notas

  1. Segundo Juniano Justino, Arribas era primo-irmão de Olímpia; segundo Pausânias, Arribas era tio de Olímpia.
  2. Cadmea é citada como irmã de Neoptólemo.

Referências

  1. Mason, Charles Peter (1867). "Alexander". Dictionary of Greek and Roman Biography and Mythology 1. Ed. William Smith. Boston: Little, Brown and Company. 116. 
  2. a b c Pausânias (geógrafo), Descrição da Grécia, 1.11.1
  3. a b c Pausânias (geógrafo), Descrição da Grécia, 1.11.3
  4. a b c Juniano Justino, Epítome das Histórias de Pompeius Trogus, Livro 7, 6 [em linha]
  5. a b c Juniano Justino, Epítome das Histórias de Pompeius Trogus, Livro 8, 6 [em linha]
  6. a b c Juniano Justino, Epítome das Histórias de Pompeius Trogus, Livro 9, 7 [em linha]
  7. a b Juniano Justino, Epítome das Histórias de Pompeius Trogus, Livro 9, 6 [em linha]
  8. a b c d e f g Juniano Justino, Epítome das Histórias de Pompeius Trogus, Livro 12, 2 [em linha]
  9. a b Cabanes, L'Épire 545,12
  10. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Pirro, 5.5 [em linha]
  11. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Pirro, 5.1
  12. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Pirro, 5.4-6

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Alexandre I de Epiro
Nascimento: 370 a.C. Morte: 331 a.C.
Precedido por
Arribas
Rei de Epiro
350–331 a.C.
Sucedido por
Eácides

Referências