Alfredo Langguth

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alfredo Langguth
Langguth em 2013
Nascimento Alfredo Ricardo Langguth Bonino
18 de maio de 1941 (79 anos)
Uruguai Montevidéu, Uruguai
Nacionalidade Brasil Brasileira
Alma mater Universidad de la República, Goethe Universität Frankfurt am Main
Prêmios Honra ao Mérito, Sociedade Brasileira de Mastozoologia (2010), Honorary Member, American Society of Mammalogists (2008), Medalha Sapientia Aedificat, UFPB (2005), Diploma de Honra ao Mérito, Sociedade Brasileira de Zoologia (1990), Medalha Honra ao Mérito, Sociedade Brasileira de Zoologia (1984)
Orientador(es) Dietrich Starck
Instituições Universidade Federal da Paraíba
Campo(s) Mastozoologia
Tese 1968: Die südamerikanischen Canidae unter besonderer Berücksichtigung des Mähnenwolfes Chrysocyon brachyurus Illiger (Morphologische, systematische und phylogenetische Untersuchungen)

Alfredo Langguth (Montevidéu, 18 de maio de 1941) é professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e é um dos mais importantes zoólogos brasileiros. Langguth fez grandes contribuições para a mastozoologia, especialmente em relação à sistemática de roedores, marsupiais, primatas e carnívoros, além de ter exercido grande influência na formação de muitos mastozoólogos brasileiros.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Após completar o doutorado na Universidade de Frankfurt, Alemanha em 1968, Langguth retornou ao Uruguai e trabalhou como pesquisador e professor na Universidad de la República. Fez Pós-Doutorado no American Museum of Natural History, EUA, com bolsa da John Simon Guggenheim Memorial Foundation de 1971 a 1972. Em 1979, deixou o Uruguai e se estabeleceu na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa, Brasil. Esteve no Rio de Janeiro entre 1989 e 1994 como curador da coleção de mamíferos do Museu Nacional e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, mas acabou retornando para a UFPB, onde se aposentou. Atualmente é Professor Visitante Nacional Sênior na UFPB, atuando tanto no campus de João Pessoa, quanto em Rio Tinto. Langguth publicou cerca de 100 textos científicos, entre artigos, livros e capítulos, além de ter orientado mais de 25 alunos de mestrado e doutorado ao longo de sua carreira. Foi consultor da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), assessor do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Pesquisador Associado do American Museum of Natural History.[1]

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Langguth tem uma espécie de gliptodonte (Pseudolophophorus langguthi Farina, 1981)[2], uma subespécie de rato (Deltamys kempi langguthi)[3] e uma espécie de rato (Cerradomys langguthi)[4] nomeados em sua homenagem.

Publicações selecionadas[editar | editar código-fonte]

  • Langguth, A. Recognition of mate and speciation in Marmoset genus Callithrix (Primates, Cebidae, Callithriquinae). Revista Nordestina de Biologia, v. 19, p. 59-73, 2008.
  • Oliveira, F. F.; Langguth, A. Pequenos mamíferos (Didelphimorphia e Rodentia) de Paraíba e Pernambuco, Brasil. Revista Nordestina de Biologia, João Pessoa, v. 18, n.2, p. 19-86, 2004.
  • Bonvicino, C. R.; Langguth, A.; Lindbergh, S. M.; Paula, A.C. An elevational gradient study of small mammals at Caparaó National Park, Southeastern Brazil.. Mammalia, v. 61, n.4, p. 547-560, 1997.
  • Bonvicino, C. R.; Langguth, A.; Mittermeier, R. A. A study of pelage color and geographic distribution in Alouatta belzebul (Primates: Cebidae). Rev. Nordestina Biol., v. 6, n.2, p. 139-148, 1989.
  • Langguth, A. Die südamerikanischen Canidae unter besonderer Berücksichtigung des Mähnenwolfes Chrysocyon Brachyurus Ill.. Z. WISS. ZOOLOGIE, Leipzig, v. 179, n.1\2, p. 1-188, 1969.

Referências

  1. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Currículo Lattes: Alfredo Ricardo Langguth Bonino. http://lattes.cnpq.br/8377731683743209. Visitado em 7 de março de 2013.
  2. Fariña, R. 1981. Anatomía comparada de los tubos caudales de Plohophorini (Mammalia, Glyptodontidae), del Montehermosense del Uruguay. 2º Congresso Latino-Americano de Paleontologia (Porto Alegre, 1981), Anais 2: 779-793
  3. González, E.M., & E. Massoia. 1995. Revalidación del género Deltamys Thomas, 1917, con la descripción de una nueva subespecie de Uruguay y Sur del Brasil (Mammalia, Rodentia: Cricetidae). Comunicaciones Zoológicas del Museo de Historia Natural de Montevideo 12(182):1–8.
  4. Percequillo, A.R., E. Hingst-Zaher, and C.R. Bonvicino. 2008. Systematic review of genus Cerradomys Weksler, Percequillo and Voss, 2006 (Rodentia: Cricetidae: Sigmodontinae: Oryzomyini), with description of two new species from Eastern Brazil. American Museum Novitates 3622: 1–46.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]