All Hell Breaks Loose (álbum de Black Star Riders)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, e ainda pode necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
All Hell Breaks Loose
Álbum de estúdio de Black Star Riders
Lançamento 21 de maio de 2013 (Japão)

27 de maio de 2013 (Reino Unido)
28 de maio de 2013 (EUA)

Gravação 8 a 20 de janeiro de 2013
Los Angeles, Califórnia
Gênero(s) Hard rock
Duração 45:54
Idioma(s) Inglês
Formato(s) CD
Gravadora(s) Nuclear Blast
Produção Kevin Shirley
Cronologia de Black Star Riders
The Killer Instinct
(2015)

All Hell Breaks Loose é o álbum de estréia da banda de hard rock Black Star Riders, lançado em maio de 2013. Black Star Riders começou a partir da versão itinerante do Thin Lizzy, montada pelo guitarrista Scott Gorham após a morte do líder do Thin Lizzy, Phil Lynott.

Bastidores[editar | editar código-fonte]

Black Star Riders foi formada em dezembro de 2012, quando os membros da mais recente formação do Thin Lizzy decidiram gravar um novo material, mas decidiram não lançá-lo sob o nome Thin Lizzy. Em maio de 2010, Gorham anunciou a encarnação mais recente do grupo, que já havia feito turnê esporadicamente com várias formações desde 1996, depois da morte de Lynott em 1986. Como a banda saiu em turnê ao longo de 2011 e 2012, compuseram material novo para o possível lançamento como um álbum de estúdio do Thin Lizzy, [1] e demos foram gravadas em junho de 2012. [2]

Em outubro de 2012, foi anunciado que o novo material não deveria ser registrado sob o nome Thin Lizzy, e que um novo nome da banda seria usado para as músicas novas. De acordo com Gorham, este seria "um desrespeito para Phil Lynott e o legado que ele criou", embora ele confirmou que o novo material apresentaria o clássico som do Thin Lizzy. Mais tarde, ele confirmou que a decisão foi tomada por ele e pelo baterista do Thin Lizzy Brian Downey, com o apoio dos outros membros da banda, e que Caroline (viúva de Lynott e proprietária do nome Thin Lizzy) também havia ficado desconfortável sobre novas gravações de estúdio do Thin Lizzy. O vocalista Ricky Warwick reconheceu que uma parte dos fãs do Thin Lizzy também foram contra a ideia de gravações em estúdio sem Lynott. [3]

Gravação[editar | editar código-fonte]

Com uma formação composta de Gorham, Warwick, e os outros membros de turnê do Thin Lizzy Damon Johnson (guitarra) e Marco Mendoza (baixo) e o experiente baterista Jimmy DeGrasso, Black Star Riders gravou o seu álbum de estreia em janeiro de 2013 com o produtor Kevin Shirley. Quinze músicas foram gravadas, composta principalmente por Johnson, com Warwick fazendo as letras, também com a contribuição de Gorham, Mendoza e o tecladista do Thin Lizzy Darren Wharton. Doze faixas formam o álbum, incluindo uma faixa bônus para uma edição especial do CD. Esta edição especial em CD também inclui um DVD de mostrando o processo de produção do álbum. [4]  A gravação foi concluída em 20 de janeiro, e a fotografia para o material promocional do álbum também foi concluído na época, com o fotógrafo musical americano Robert John. Shirley fez a mixagem do álbum em fevereiro de 2013.

Warwick confirmou que o processo de gravação foi muito simples, com muito poucos overdubs (principalmente de harmonia, guitarra e vocal de apoio), o uso mínimo de Pro Tools e sem uso de Auto-Tune. Os vocais principais foram gravados com a banda usando um método "ao vivo no estúdio". [5]

A respeito do título do álbum, Warwick revelou: "Eu estava assistindo a um documentário sobre bombardeiros da Segunda Guerra Mundial e vi o nome pintado na lateral de uma aeronave. O nome ressoou em mim e isso parece encapsular o tumulto que nós, como uma sociedade, estamos atualmente experienciando. Os últimos anos foram uma loucura, e agora com o lançamento do álbum, isso soou como um título de álbum durão que resumiu tudo o que o Black Star Riders é." A arte da capa contém uma pintura de uma garota pin-up por Gil Elvgren. [6]

"Bound For Glory"[editar | editar código-fonte]

O primeiro single foi "Bound For Glory", que foi ao ar pela primeira vez em 21 de março, no programa diurno de Ken Bruce na BBC Radio 2 no Reino Unido. O single foi lançado em 24 de março, com Gorham afirmando: "Quando chegou a hora de escolher uma das músicas como single, ficamos numa situação realmente difícil. Há tantas faixas realmente ótimas aqui e todos tinham seus favoritos. No final, todos concordamos que "Bound for Glory" é a escolha perfeita e representa tudo o que Black Star Riders é. Warwick acrescentou que Gorham inicialmente não estava interessado na música, já que ele pensava que soava muito como Thin Lizzy, e que não tinha sido gravada um demo com toda a banda. Durante a gravação, Gorham e Johnson vieram com a linha harmoniosa de guitarras que contém na canção. Ele também explicou que o personagem "Johnny Wong" na canção foi nomeado assim após Gorham e Mendoza visitarem o proprietário de um restaurante chinês em Plymouth. A garota chamada "Mary" no segundo verso foi baseada em uma ex-namorada de Warwick (na verdade chamada "Mandy"), que tinha um cartaz de Phil Lynott em sua parede. Warwick inicialmente pretendia a linha "Elvis in the backroom and Jesus on the wall" para mencionar Lynott, mas Gorham pediu-lhe para mudá-lo.

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "All Hell Breaks Loose"  Ricky Warwick, Damon Johnson, Scott Gorham, Marco Mendoza, Darren Wharton 4:15
2. "Bound For Glory"  Warwick, Johnson 4:08
3. "Kingdom Of The Lost"  Warwick, Johnson 4:43
4. "Bloodshot"  Gorham, Warwick, Johnson 4:02
5. "Kissin' The Ground"  Warwick, Johnson, Marti Frederiksen 3:06
6. "Hey Judas"  Warwick, Johnson, Gorham 4:11
7. "Hoodoo Voodoo"  Warwick, Johnson 4:15
8. "Valley Of The Stones"  Warwick, Johnson, Gorham 4:15
9. "Someday Salvation"  Warwick, Johnson 3:05
10. "Before The War"  Warwick, Johnson 3:39
11. "Blues Ain't So Bad"  Gorham, Warwick, Johnson, Mendoza, Wharton 6:15
Duração total:
45:54

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 3.5 de 5 estrelas. [7]
New Noise Magazine 4.5 de 5 estrelas. [8]

O álbum recebeu críticas positivas em sua maioria, com o crítico do Allmusic Thom Jurek elogiou com "clássico ataque hard rock" e "com a marca registrada das guitarras gêmeas" do Thin Lizzy. Ele citou isso como um álbum recheado de "naturalidade com creatividade, peso, e inspiração". O crítico do New Noise Magazine Brandon Ringo notou que a mudança de nome se adequou à banda, que "(é) muito bom, não importa como chamam, isso é um fantástico disco de rock n’ roll".

Scott Gorham ganhou o Riff Lord Award na cerimônia do Metal Hammer Golden Gods Awards de 2013 pelo seu trabalho no álbum. [9]

Referências[editar | editar código-fonte]