Altivasum flindersi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaAltivasum flindersi
Desenho da concha de A. flindersi.
Desenho da concha de A. flindersi.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Mollusca
Classe: Gastropoda
Subclasse: Caenogastropoda
Ordem: Neogastropoda
Superfamília: Turbinelloidea
Família: Turbinellidae
Subfamília: Vasinae
Género: Altivasum
Hedley, 1914[1]
Espécie: A. flindersi
Nome binomial
Altivasum flindersi
Verco, 1914[2]
Distribuição geográfica
A. flindersi ocorre nos territórios do sul e oeste da Austrália.
A. flindersi ocorre nos territórios do sul e oeste da Austrália.
Sinónimos
Vasum flindersi (Verco, 1914)
Altivasum typicum Hedley, 1916[2]

Altivasum flindersi (denominada, em inglês, Flinder's vase)[3][4] é uma espécie de molusco gastrópode marinho do sudeste do oceano Índico, pertencente à família Turbinellidae[2] (outrora na família Vasidae)[5], originalmente classificada por J. C. Verco, em 1914; com sua descrição publicada no Transactions and Proceedings of the Royal Society of South Australia (página 484).[2] Sua denominação de espécie é em homenagem a Matthew Flinders, o famoso explorador que descobriu grande parte da Austrália.[6] Esta é a espécie-tipo do gênero Altivasum Hedley, 1914.[1]

Descrição da concha e hábitos[editar | editar código-fonte]

Altivasum flindersi possui uma concha de laranja-avermelhada a branca, ou salmão, com pouco mais de 15 centímetros de comprimento, quando desenvolvida; com espiral alta. Sua superfície é bastante esculpida, com projeções proeminentes, ou não. Abertura pequena, em relação à dimensão da concha. Columela dotada de pregas visíveis, porém pouco aprofundadas, esta e a abertura brancas. Opérculo curvo e córneo.[3][4][6][7][8][9]

É encontrada em águas de recifes, fora da costa.[4] Os animais da família Turbinellidae são predadores.[10]

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

Altivasum flindersi é uma espécie endêmica da Austrália, indo desde a Austrália Ocidental até a Austrália Meridional.[11]

Descrição original[editar | editar código-fonte]

A descrição original desta espécie a cita, também, como Latirus aurantiacus[12] (um homônimo júnior de Latirus aurantiacus Montfort, 1810)[2] e cita seu tipo nomenclatural, coletado na Austrália Meridional, sudeste do oceano Índico, em lugar denominado Backstairs Passage, um estreito.[12][13]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Altivasum Hedley, 1914» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  2. a b c d e «Altivasum flindersi Verco, 1914» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  3. a b ABBOTT, R. Tucker; DANCE, S. Peter (1982). Compendium of Seashells. A color Guide to More than 4.200 of the World's Marine Shells (em inglês). New York: E. P. Dutton. p. 210. 412 páginas. ISBN 0-525-93269-0 
  4. a b c DANCE, S. Peter (2002). Smithsonian Handbooks: Shells. The Photographic Recognition Guide to Seashells of the World (em inglês) 2ª ed. London, England: Dorling Kindersley. p. 167. 256 páginas. ISBN 0-7894-8987-2 
  5. OLIVER, A. P. H.; NICHOLLS, James (1975). The Country Life Guide to Shells of the World (em inglês). England: The Hamlyn Publishing Group. p. 216. 320 páginas. ISBN 0-600-34397-9 
  6. a b Callomon, Paul. «Flinders's Vase, Altivasum flindersi» (em inglês). Google Arts & Culture. 1 páginas. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  7. WYE, Kenneth R. (1989). The Mitchell Beazley Pocket Guide to Shells of the World (em inglês). London: Mitchell Beazley Publishers. p. 116. 192 páginas. ISBN 0-85533-738-9 
  8. «Vasum (Altivasum) flindersi» (em inglês). Hardy's Internet Guide to Marine Gastropods. 1 páginas. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  9. «Altivasum flindersi Verco, 1914» (em inglês). Jacksonville Shell Club. 1 páginas. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  10. LINDNER, Gert (1983). Moluscos y Caracoles de los Mares del Mundo (em espanhol). Barcelona, Espanha: Omega. p. 80. 256 páginas. ISBN 84-282-0308-3 
  11. «Altivasum flindersi (Verco, 1914)» (em inglês). Atlas of Living Australia. 1 páginas. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  12. a b «Transactions and proceedings and report of the Royal Society of South Australia» (em inglês). Atlas of Living Australia. 1 páginas. Consultado em 11 de janeiro de 2019 
  13. Fonte: Wikipédia em inglês.