AngoSat-1

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
AngoSat-1
AngoSat-1
Lançamento 26 de dezembro de 2017 (3 anos)
Veículo Zenit-3F/Fregat-SB
Operador AngoSat
Vida útil 15 anos
Fabricante RSC Energia
Cobertura África e Europa
Órbita Geoestacionária
Peso 1647,406 kg
Designação COSPAR 2017-086A

O AngoSat-1 foi um satélite de comunicação geoestacionário angolano construído pela empresa russa RSC Energia que seria operado pela AngoSat. O satélite foi baseado na plataforma USP Bus e sua expetativa de vida útil era de quinze anos.[1][2]

História[editar | editar código-fonte]

O AngoSat-1 foi o primeiro satélite de comunicações de Angola. O contrato foi assinado pelas partes russas e angolanas no ano de 2009. Nos anos seguintes, ambas as partes realizaram um trabalho em conjunto para organizar o financiamento do projeto, que tornou possível proceder à sua aplicação prática. O trabalho sobre o satélite começou no final de 2012.[1]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

O satélite foi lançado com sucesso ao espaço no dia 26 de dezembro de 2017, às 19:00 UTC, por meio de um veículo Zenit-3F/Fregat-SB, a partir do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão.[1][3] Houve uma perda primária de contacto tão logo que o satélite entrou em órbita,[4] as comunicações foram recuperadas e logo perdidas novamente até ao presente.[5]

Capacidade e cobertura[editar | editar código-fonte]

O AngoSat-1 era equipado com dezasseis transponders de banda C e seis transponders de banda Ku para fornecer serviços de telecomunicações para Angola. A abrangência de cobertura do sinal de receção na banda C deste, poderia afetar toda África e parte da Europa.[2]

AngoSat-2[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: AngoSat-2

Ao constatar que o AngoSat-1, apesar de estar em órbita, não apresenta os parâmetros para os quais foi construído, o ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Angola revelou que o contrato assinado com a Rússia previa que nessas situações, deveria ser construído um outro satélite, neste caso o AngoSat-2, sem custos para a parte angolana. Em abril de 2018, o consórcio russo responsável pela construção e lançamento do primeiro satélite angolano, anunciou que a construção do AngoSat-2 começaria no dia seguinte, com seu lançamento previsto para 2020.[6]

Referências

  1. a b c «AngoSat 1» (em inglês). Gunter's Space Page. Consultado em 19 de novembro de 2016 
  2. a b «Angosat - Satélite de Comunicações Angolano». Lusocuanza. Consultado em 19 de novembro de 2016. Arquivado do original em 30 de dezembro de 2013 
  3. «Zenit rocket lofts AngoSat-1» (em inglês). NASASpaceFlight.com. Consultado em 27 de dezembro de 2017 
  4. «Angosat-1 está em órbita, mas incomunicável». RFI. 27 de dezembro de 2017 
  5. AO24, Redacção. «Governo angolano garante que foi retomado contacto com satélite em órbita - AO24 | Notícias que movem Angola» 
  6. «Construção do satélite AngoSat-2 arranca terça-feira com lançamento em 2020». A BOLA. Consultado em 18 de junho de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre satélite de comunicação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.