António Jorge Gonçalves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

António Jorge Gonçalves (nascido a 19 de Outubro de 1964, Lisboa, Portugal) é autor de banda desenhada, cartoonista, performer visual, ilustrador, cenógrafo e professor.

É autor de diversas Novelas Gráficas, e tem colaborado com diversos escritores – Nuno Artur Silva, Rui Zink, Ondjaki ou Mário de Carvalho – na criação de livros onde texto e imagem se relacionam de forma exploratória.

Criou o projecto Subway Life, desenhando pessoas sentadas nas carruagens do Metro em 10 cidades do mundo. Estes desenhos foram apresentados através de um website, de um livro editado pela Assírio & Alvim, e de uma exposição em circulção.

Faz semanalmente cartoon político para o Inimigo Público (suplemento do Público) desde 2003. Estes trabalhos foram também publicados no Le Monde e Courrier Internacional, e premiados no World Press Cartoon.

Fez cenografia e figurinos para diversas peças de teatro. Através do método de Desenho Digital em Tempo Real e da manipulação de objectos em Retroprojector de Transparências, tem criado espectáculos com músicos, actores e bailarinos. Escreveu e realizou o filme/espetáculo Lisboa quem és tu? para ser projetado nas muralhas do castelo de São Jorge, em Lisboa.

Recebeu em 2014 o Prémio Nacional de Ilustração (Portugal) pelo livro “uma escuridão bonita” (com Ondjaki, Caminho 2013)

Entre 2008 e 2015 lecionou "Espaços Performativos "no Mestrado em Artes Cénicas (FSCH, Lisboa). Em 2015 integrou o projecto pedagógico 10x10 da Fundação Calouste Gulbenkian como artista formador.

Livros[editar | editar código-fonte]

EUROVISIONI-VIAGGIO A FUMETTI TRA LE CITTA D’EUROPA (colectivo). Mondatori. 1989

ANA (argumento de Nuno Artur Silva) Ed. Asa. 1993.

LISBOA ÀS CORES. Câmara Municipal de Lisboa- Pelouro da Cultura. 1993.

À PROCURA DO FIM (argumento de Nuno Artur Silva). Encomenda de Lisboa Capital da Cultura 94. 1994.

A HISTÓRIA DO TESOURO PERDIDO (argumento de Nuno Artur Silva) Ed. Asa. 1994.

PLANO ESTRATÉGICO DE LISBOA (argumento de Nuno Artur Silva). Publicado pela CM de Lisboa- Departamento do Plano Estratégico. 1995.

A ARTE SUPREMA (argumento de Rui Zink) Ed. Asa. 1997.

O SENHOR ABÍLIO. Ed. Asa. 1999.

A TRIBO DOS SONHOS CRUZADOS (argumento de Nuno Artur Silva) Ed. Asa. 2003.

REI (argumento de Rui Zink) Ed. Asa. 2007.

VIH, O BICHO DA SIDA (com Rui Zink) Almedina/Abraço. 2008

SUBWAY LIFE. Assírio & Alvim. 2010

O GRUPO DO LEÃO (com Rui Zink). Museu do Chiado de Arte Contemporânea. 2010.

HERÓIS DO MAR (livro+cd). EMI/Diário de Notícias|Jornal de Notícias. 2011.

BARRIGA DA BALEIA, Pato Lógico, 2013

UMA ESCURIDÃO BONITA (com Ondjaki), Caminho 2014)

EU QUERO A MINHA CABEÇA, Pato Lógico, 2015

Cartoon[editar | editar código-fonte]

CARTOONS DO ANO 2007 (com António, Cid,  e Maia) Assírio & Alvim. 2008.

CARTOONS DO ANO 2008 (com António, Cid, Cristina e Maia) Assírio & Alvim. 2009.

NOM DE DIEUX! (colectivo) Pal a Pan. 2010

CARTOONS DO ANO 2009 (com António, Carrilho, Cid, Cristina e Maia) Assírio & Alvim. 2010.

CARTOONS DO ANO 2010 (com António, Carrilho, Cid, Cristina e Maia) Assírio & Alvim. 2011.

CARTOONS DO ANO 2011 (com António, Carrilho, Cid, Cristina, Monteiro, Maia e Viana) Documenta. 2012.

BEM DITA CRISE! Documenta. 2012

CARTOONS DO ANO 2013 (com António, Carrilho, Cid, Cristina, Monteiro e Maia) Documenta. 2014.

CARTOONS DO ANO 2014 (com António, Carrilho, Cid, Cristina, Monteiro e Maia) Documenta. 2015.

CARTOONS DO ANO 2015 (com António, Carrilho, Cid, Cristina, Monteiro, Maia e Rodrigo) Documenta. 2016.

Realização Plástica para Teatro[editar | editar código-fonte]

O QUE DIZ MOLERO (encenação de António Feio). Teatro Nacional D. Maria II, Lisboa (1994); Teatro Nacional S. João, Porto (1995 e 1999); Teatro Villaret, Lisboa (1999).

DUAS SEMANAS COM O PRESIDENTE (encenação de António Feio). Centro Cultural de Belém, Lisboa; Teatro Nacional S. João, Porto. 1996.

ARTE (encenação de António Feio). Teatro Nacional S. João, Porto; Teatro Villaret, Lisboa. 1998 e 2003.

O ÚLTIMO A RIR (encenação de Adriano Luz). Teatro Villaret, Lisboa. 2001.

TRIFÁSICO (de Paulo Matos) Teatro Villaret, Lisboa. 2002

O DONO DO NADA (encenação de Adriano Luz). Centro Cultural Olga Cadaval, Sintra, 2003; Teatro Maria Matos, Lisboa. 2006.

MANOBRAS DE DIVERSÃO (Produções Fictícias)/ Teatro São Luiz, Lisboa. 2004.

1755 – O GRANDE TERRAMOTO (encenação Fraga) Teatro da Trindade, Lisboa. 2006.

CLAMOR(leitura encenada por Carlos Pimenta) Teatro Carlos Alberto, Porto. 2006

ERVA VERMELHA(encenação Cristina Carvalhal) Teatro da Trindade, Lisboa. 2006.

COMO FAZER COISA COM PALAVRAS (com Ricardo Araújo Pereira) Teatro São Luiz, 2008

guião e realização do filme LISBOA, QUEM ÉS TU? espectáculo multimédia projectado nas paredes do castelo de S. Jorge, Lisboa. 2012.

BARRIGA DA BALEIA (com Ana Brandão) Teatro Maria Matos/Lisboa, Centro Cultural Vila-Flor/Guimarães, 2012. Teatro Virgínia/Torres Novas, Teatro Viriato/Viseu, Centro das Artes_Casa das Mudas/Madeira, Centro das Artes e do Espectáculo de Sever do Vouga, Cine-Teatro S. Pedro/Abrantes, Cine-Teatro de Estarreja, Teatro Municipal da Guarda, Auditório Municipal Augusto Cabrita/Barreiro, Museu da Cidade de Aveiro, Centro Cultural de Ílhavo, Cine-Teatro de Sobral de Monte Agraço, São Martinho do Porto, Alcobaça, Águeda, 2013. Museu Municipal/Vagos, Bibliotec José Saramago/Feijó, Auditório Municipal César Batalha/Oeiras, Teatro Municipal de Faro. 2014.

A MONTANHA (com Ana Brandão) Teatro Maria Matos/Lisboa. Espaço do tempo, Montemor-o-novo. Teatro Municipal da Guarda. 2014-2015

Desenho Digital em tempo real[editar | editar código-fonte]

2001

SONOGRAFIAS com músico Paulo Curado: Lugar Comum (Oeiras), Cordoaria Nacional (Lisboa)

2002

CABARET LX com Sylvie Canape: Instituto Franco-Português (Lisboa), Ler Devagar (Lisboa), UCP (Viseu)

2003

BULLLET com Armando Teixeira: Festival Número (Lisboa), Festival Cosmopólis (Lisboa), Festival Sonda (Caldas da Rainha), Faladura/Teca (Porto), Queima das Fitas (Coimbra), Lux (Lisboa), Frágil (Lisboa,) Point Ephemére (Paris) entre outros.

2004/2005

CONTINUOUS ME com Yola Pinto: ZDB (Lisboa), Festival Altitudes (Montemuro), Box Nova/CCB (Lisboa), Faro Capital da Cultura entre outros.

CONSPIRAÇÃO, evento teatral (Teatro Aberto/Lisboa, Teatro Viriato/Viseu, Clube Estefânea/Lisboa, Centro de Artes da Calheta/Madeira)

FESTIVAL AU PARC PASTEUR (Orleans, França)

Com FACTOR ACTIVO: Festival Imago (Fundão)

Recitais de poesia das PRODUÇÕES FICTÍCIAS (Lisboa, Loulé, Oeiras, Madeira)

CAMP FESTIVAL: Montemor-o-novo e Sttutgart

ESPAÇO PÚBLICO/ Faro Capital da Cultura

SUPER DELUXE, com música Ellen Fullman. Tóquio (Japão)

SONOGRAFIAS (com músico Paulo Curado): Centro de Arte Moderna – Gulbenkian.

2006

Festival SUBTROPICS/Miami com músicos G. Matamoros e G. Robair (USA)

Festival TRAMA/Fundação Serralves: Estação metro Casa da Música, Porto

CLAMOR (encenação Carlos Pimenta)/Teca, Porto

Ciclo O SOM AMARELO/Granular Museu do Chiado, Lisboa

ESPAÇO PÚBLICO / Monchique, Tavira, Almodôvar, Olhão, V. R. Sto António

Festival EME / Igreja de Santiago, Palmela.

2007

Concerto AMÉLIA MUGE. Culturgest, Lisboa.

EGO SKIN (com bailarinos Amélia Bentes e Ludger Lamers). Centro Cultural Belém, Lisboa; Teatro Viriato, Viseu; Teatro Aveirense, Aveiro.

Com MICRO AUDIO WAVES. Lux, Lisboa. MusicBox, Lisboa. Plano B, Porto.

NOITE DOS MUSEUS / Museu de Arqueologia, Lisboa.

ESPAÇO PÚBLICO / Vila do Conde, Aljezur, Tavira, Matosinhos

ILLUMINATED CORRIDOR / San Francisco, EUA.

HILLSIDE CLUB/ Berkeley, EUA.

espectáculo À NOITE O SOL / Festival Mistura – Teatro São Luiz, Lisboa.

2008

Concerto Desenhado (com Mário Laginha). Teatro São Luiz, Lisboa.

ESPAÇO PÚBLICO / Moita, Alcácer do Sal.

Concerto AMÉLIA MUGE. Sesimbra.

Expo Saragoça (com  Rafael Toral)

Espectáculo (espaço público) FUNCHAL 500 ANOS, Funchal.

2009

Espaço público: Elvas, Paços de Ferreira, Faro.

“Festival de los Abrazos”, Santiago de Compostela (Spain).

“Sons Ardentes”: Albufeira (com Orquestra Sinfónica do Algarve)

“O mistério da coisas” : apresentação de Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012.

“Inês Negra”, Melgaço: espectáculo de Comédias do Minho com encenação de Gonçalo Amorim.

2010

“Mapacorpo” de Amélia Bentes (com as bailarinas  Amélia Bentes e Leonor Keil e o músico Vitor Rua). Centro Cultural de Belém, Lisboa. Teatro Garcia de Resende, Évora.

Em Espaço Público/ Moita (Portugal) com DJ Marcos Bartilotti.

“Sonografias” (com músicos Paulo Curado e Fernando Mota). Monstra Festival. Lisboa.

“Histórias do Castelo”. Espectáculo Intermédia  com música de Bernardo Sassetti no Castelo de s. Jorge, Lisboa.

“Clube da Palavra ao Vivo” (com Manuel João Vieira, COPO e Pacman) Teatro São Luiz. Lisboa

Festival Lisboa Mistura (com Galandum Galundaina). Teatro São Luiz. Lisboa

2011

“Antígono” ópera com encenação de Carlos Pimenta pela orquestra Divino Sospiro. Centro Cultural de Belém. Lisboa.

“Clube da Palavra ao Vivo” (com Chullage, Mitó, Ivan Lins e Silva o sentinela) Teatro São Luiz. Lisboa

“Mapacorpo” de Amélia Bentes (com as bailarinas  Amélia Bentes e Leonor Keil e o músico Vitor Rua). Centro Cultural Vila Flor, Guimarães.

“Um galeão e uma torrada encontram-se na rua das estrelas, pela primeira vez”, Quintas da Leitura, Teatro Campo Alegre, Porto.

Festival CITEMOR (com Pedro Lopes), Montemor-o-Velho.

ETEROPÓLIS, festival CCB_FORA_DE_SI. CCB, Lisboa

CONCERTO DESENHADO (com Mário Laginha) Noite Europeia dos Investigadores_Pavilhão da Ciência, Lisboa.

2012

A INVENÇÃO DO DIA CLARO (com Flak) Festival Silêncio / Musicbox, Lisboa

“Clube da Palavra ao Vivo” Teatro São Luiz. Lisboa

2013

“GRANDE CONCERTO EXPRESSO 40 anos, Centro Cultural de Belém/Lisboa

“GENTE DIZ ALMADA” Teatro Municipal São Luiz

“JOINING MITCHELL”, Centro Cultural de Belém/Lisboa

2014

“CONCERTO 10º ANIVERSÁRIO DIVNO SOSPIRO” (com orquestra Divno Sospiro) CCB, Lisboa

“EU SOU A SOMBRA QUE ME SEGUE A MIM (com Ana Brandão) Teatro Maria Matos

“SOBRE O MAR” (com Ondjaki e Marcelo Magdaleno) Miami Beach e Centro Cultural Português, Luanda (Angola), FLIP, Paraty (Brasil), Fundação José Saramago, Lisboa.

2015

“A SÉRIO” (com Nuno Artut Silva e Dead Combo),Teatro São Luiz. Lisboa.

“ISTO NÃO É UM RECITAL DE POESIA” (com Nuno Artur Silva, Sérgio Godinho, Mitó e Noiserv) Teatro São Luiz. Lisboa.

“ESTÓRIAS DESENHADAS” (com Ondjaki) espaço público, Luanda

“DENTRO DO ESCURO” (com Ondjaki) Centro Cultural Português, Luanda

“4 MÃOS” (com Filipe Raposo) CCB, Festival BIG BANG (Lisboa)

“O TELHADO DO MUNDO” (com Filipe Raposo e Ondjaki), Folio-Festival Literário de Óbidos, São Luiz Teatro Municipal (Lisboa)

2016

“4 MÃOS” (com Filipe Raposo) Festival BIG BANG/Hamburgo

“CARTA BRANCA” (com Filipe Raposo e Beau McLellan) Festival Som Riscado/Loulé

“É A TUA CARA” (com Filipe Raposo) Dia da Criatividade/Pequeno Grande C, Fundação Calouste Gulbenkian

“4 MÃOS” (com Filipe Raposo) Fundação Calouste Gulbenkian

"FILIPE SEEMS + 5ª E 7ª BEETHOVEN" (com Orquestra Metropolitana de Lisboa) Santuário do Senhor da Pedra (Óbidos)

Principais exposições[editar | editar código-fonte]

1987.

Bienal dos Jovens Artistas da Europa Mediterrânica ( Barcelona).

1988.

Bienal de Vila Nova de Cerveira/Design.

1989.

Eurovisionni – Viaggio a Fumetti tra le Citta d’Europa (Milão).

1994.

Filipe Seems – Festival Internacional de BD da Amadora.

1998.

Festival Internacional de Banda Desenhada de Angoulême (França).

1999.

Festival Internacional de Banda Desenhada de Seoul (Coreia do Sul).

2003.

CITYSCAPES. Casa Fernando Pessoa. Lisboa.

“Subway Life”. Arts Festival/ Perth (Australia)

2010.

“Cent pour cent” (colectiva) la cité internationale de la bande dessinée et de l’image. Angoulême (França)

“Res Publica” (colectiva) Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa.

2011

“Tinta nos nervos” (colectiva). Museu Coleção Berardo. Lisboa.

“Subway Life”. LeV-Literatura em Viagem, Matosinhos.

“Subway Life”. Casa Museu Teixeira Lopes. Vila Nova de Gaia.

2012

“Subway Life”. Festival das Artes/ Museu Municipal Coimbra.

“Riso” (colectiva) Fundação EDP / Museu da Electricidade.

2013

“Bem dita crise”. Casa da Cultura (Setúbal).

2014

“Merci la crise”. Club de Presse, Montpellier (França)

“Subway Life”. Teatro Municipal da Guarda.

“Desenhos de Cordel” Metropolitano de Lisboa (Saldanha/São sebastião/Alameda)

2016

"é na cidade que existe / que existe a cidade que não existe" instalação desenhada Capela de São Martinho, FOLIO - Festival Literário de Óbidos

Prémios e distinções[editar | editar código-fonte]

Prémio Melhor Álbum Português no Festival Internacional de BD/ Amadora 1993 com “Ana”

Prémio Melhor Álbum Português no Festival de BD/ Amadora 1994 com “A História do Tesouro Perdido”

Prémio Melhores Figurinos 1994 da Associação dos Críticos de Teatro e Menção Especial do ACARTE com “O Que Diz Molero”

Prémio Melhor Álbum Português no Festival Internacional de BD/ Amadora 1997 com “A Arte Suprema”

Categoria de Arte do Flash Film Festival 2003 com o website de “Subway Life”

Menção honrosa do World Press Cartoon 2006

2º Prémio Cartoon Editorial World Press Cartoon 2008

Prémio Melhor Desenho no Festival Internacional de BD/ Amadora 2008 com “Rei”

Menção honrosa do World Press Cartoon 2010

Menção honrosa do World Press Cartoon 2012

Prémio Nacional de Ilustração 2014 com “Uma Escuridão Bonita”

Referências externas[editar | editar código-fonte]

http://www.antoniojorgegoncalves.com/

http://www.subway-life.com/

https://www.flickr.com/photos/137512223@N08/with/28270545934/

Referências