António dos Santos Furtado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
António dos Santos Furtado
Nascimento 18 de Setembro de 1897
Marmelete, Monchique
Morte 1991 (94 anos)
Nacionalidade Portugal Portugal
Alma mater Instituto Superior Técnico
Ocupação Engenheiro

António dos Santos Furtado (Marmelete, Monchique, 18 de Setembro de 1897 - 1991) foi um engenheiro e maximafilista português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Aldeia de Marmelete.

Nascimento e educação[editar | editar código-fonte]

António dos Santos Furtado nasceu na aldeia de Marmelete, no concelho de Monchique, em 18 de Setembro de 1897.[1] Era filho de um lavrador abastado, e tinha um irmão, Francisco.[1]

Concluiu o ensino liceal em Faro, e depois foi para Lisboa, onde se licenciou em engenharia civil no Instituto Superior Técnico.[1]

Carreira profissional e coleccionismo[editar | editar código-fonte]

Tornou-se sócio da firma Algarve Exportador, que fabricava conservas de peixe, tendo sido colocado em Bordéus, para digirir a exportação dos produtos daquela empresa.[1] Na década de 1930, regressou a Lisboa, onde criou a sociedade Aliança Exportadora, no mesmo ramo da Algarve Exportador.[1] Também trabalhou na Casa do Algarve em Lisboa, tendo feito parte dos corpos sociais, e foi eleito de forma sucessiva, entre 1967 e 1984, para o Conselho Superior Regional naquele organismo, representando o concelho de Monchique.[1]

O seu interesse pela filatelia iniciou-se ainda durante o liceu, onde trocava postais e selos com coleccionistas de outros países.[1] Durante os seus estudos em Lisboa, foi o delegado da Fédération International de Collectionneurs Échangistes.[2]

Posteriormente foi um dos pioneiros da maximafilia, tendo-se assumido como uma das maiores autoridades nesta actividade a nível mundial.[1] Escreveu vários artigos dispersos sobre maximafilia, e foi o principal responsável pela criação da Associação Portuguesa de Maximafilia, organismo que entrou em declínio após a morte de António dos Santos Furtado.[1] Também organizou um exposição e uma palestra de maximafilia, no âmbito das comemorações dos cinquenta anos da Casa do Algarve.[1]

Falecimento[editar | editar código-fonte]

António dos Santos Furtado faleceu em 1991.[1]

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Em 2009, o escritor José Rosa Sampaio editou a brochura comemorativa Eng. António dos Santos Furtado (1897-1991) Pioneiro da Maximafilia Filatélica. Colecionador de Lugares e de Sonhos.[1]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l MARREIROS, 2015:48-49
  2. «Quem Sabe?». O Mensageiro do Algarve. Ano 2 (5). Abril de 2014. p. 2-4. Consultado em 8 de Novembro de 2018 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • MARREIROS, Glória (2015). Algarvios pelo coração, algarvios por nascimento. Lisboa: Edições Colibri. 432 páginas. ISBN 978-989-689-519-8 


Ícone de esboço Este artigo sobre engenheiro(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.