Aponia (filosofia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Aponia (grego antigo: ἀπονία) é um conceito filosófico que significa a ausência de dor, e foi considerado pelos epicuristas ser o ápice do prazer corporal.

Tal como acontece com as outras escolas helenísticas da filosofia, os epicuristas acreditavam que o objetivo da vida humana é a felicidade. Esta era para ser encontrada na tranquilidade de espírito, que resulta da "aponia", a supressão da dor física, e da ataraxia [1] , a eliminação de distúrbios mentais.[2] Os epicuristas definem o prazer como ausência de dor (física e mental) e, portanto, o prazer pode apenas aumentar até o ponto em que a dor está ausente.[3] Além disso, o prazer não pode aumentar ainda mais, e de fato não se pode racionalmente buscam prazer corporal além do estado de aponia.[4]

Para Epicuro, a "aponia" era um dos prazeres estáticos (katastematic),[5] isto é, um prazer que se tem quando não há dor ou esta foi removida.[6] Para alcançar um estado tal, tem de se experimentar os prazeres cinéticos, isto é, o prazer que se tem quando a dor está sendo removida.

Referências

  1. Gottlieb Anthony; "The Dream of Reason"; pp. 285-301-325; Allen Lanes, The Penguin Press; (2000); ISBN:0-713-99143-7
  2. Epicurus, Ep. Men., 128
  3. Reale, Giovanni; "A History of Ancient Philosophy: The Systems of the Hellenistic Age"; p. 171; SUNY Press ;(1985)
  4. David J.Furley; "Routledge History of Philosophy, Volume II. From Aristotle to Augustine"; p.210; (1999)
  5. Diogenes Laërtius, x. 136
  6. Annas Julia; "The Morality of Happiness"; p.336; Oxford University Press; (1995)

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Aponia».


Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia / um filósofo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.