Aslı Erdoğan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Aslı Erdoğan
Nascimento 8 de março de 1967 (54 anos)
Istambul
Cidadania Turquia
Alma mater
  • Universidade Boğaziçi
  • Robert College
Ocupação escritora, ativista de direitos humanos, física, colunista
Prêmios
  • Kurt Tucholsky Prize (2016)
  • Prêmio Bruno Kreisky (2017)
  • Erich-Maria-Remarque Peace Prize (2017)
  • Prémio Simone de Beauvoir (2018)
  • Theodor Heuss Preis (2017)
  • honorary doctor of the University of Picardie Jules Verne
  • Preis für die Freiheit und Zukunft der Medien (2017)
Página oficial
http://aslierdogan.com

Aslı Erdogan (Istambul, 8 de março de 1967) é uma escritora e ativista dos direitos humanos turca, física de formação. Iniciou a sua carreira literária em 1994 e combinou a escrita com a publicação de artigos de opinião em diversos jornais. Presentemente é colunista do Özgür Gündem e antes escreveu par ao diário Radikal. Publicou mais de 200 artigos no âmbito nacional e internacional, além de novelas, poemas, contos, prosa poética, ensaios sobre viagens e artigos políticos que foram traduzidos em vários idiomas.[1][2]

Tem sido perseguida em várias ocasiões e submetida a diversas campanhas de linchamento na Turquia pelos seus escritos, e esteve exilada durante vários anos. Em 16 de agosto de 2016 foi detida em sua casa e passou 4 meses e meio em prisão preventiva acusada de terrorismo.[3]

Em 2018 recebeu o Prémio Simone de Beauvoir pelos direitos humanos e liberdade das mulheres.[3]

Referências

  1. «Soft Skull: The City In Crimson Cloak by Asli Erdogan, Translated by Amy Spangler». 17 de outubro de 2009. Consultado em 1 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 17 de outubro de 2009 
  2. www.eurozine.com. «We left a deep invisible mark behind us - Asli Erdogan». Consultado em 1 de outubro de 2016 
  3. a b mujereshoy.com. «Asli Erdogan, prisionera en Turquía» (em espanhol). Consultado em 31 de março de 2018