Atlas do Tell

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde janeiro de 2012)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Mapa das cordilheiras montanhosas do Norte de África
Localização
Coordenadas 36° N 1° E
Localização Norte de África
País(es)  Marrocos,  Argélia
 Tunísia
Características
Altitude máxima 2 308 m
Cumes mais altos Monte Lalla-Khadîdja
Comprimento 1500
O Monte Lalla-Khadîdja, o cume mais alto do Atlas do Tell

O Atlas do Tell (em árabe: الاطلس التلي; em cabila: Di atlas udraren) é um cadeia montanhosa com mais de 1 500 km de comprimento que faz parte da da cordilheira do Atlas, no Norte de África. Estende-se paralelamente à costa mediterrânica desde Marrocos até à Tunísia, concentrando-se sobretudo na Argélia.

Juntamente com o Atlas saariano a sul, constitui a cadeia mais setentrional de duas cadeias paralelas que se aproximam uma da outra a leste, permanecendo bastante distintas entre elas na Argélia oridental e juntam-se na Argélia ocidental. Na sua extremidade ocidental, junta-se às cadeias do Rif e do Médio Atlas. Entre estas duas gigantescas barreiras naturais, intercalam-se vastas planícies e planaltos férteis, ricos em flora e fauna, nomeadamente a planície de Setif e os vales de Rio Chelif e Hodna. A cadeia forma uma barreira natural entre o deserto do Saara e o Mediterrâneo.

O seu ponto mais alto é o Monte Lalla-Khadîdja, que se eleva a 2 308 m de altitude no maciço de Djurdjura, na Argélia.

Clima e características naturais[editar | editar código-fonte]

O clima é do tipo mediterrânico, com verões quentes e secos e invernos temperados, chuvosos e com neve nas altitudes mais altas. Em consequência disso, as vertentes norte estão florestada com o endémico abeto da Argélia (Abies numidica), cedro do Atlas (Cedrus atlantica), pinheiros e sobreiros. No verão, o siroco, um vento quente e seco que sopra do Saara em direção a norte provoca dias poeirentos e secos ao longo das montanhas e da costa norte africana.

Apesar do clima árido, encontram-se algumas explorações cerealíferas de cevada e trigo na região do Atlas do Tell. A garganta de Chiffa é um dos pouco locais onde subsiste o macaco-de-gibraltar (Macaca sylvanus), uma espécie ameaçada de primata.

Notas e fontes[editar | editar código-fonte]

  • Hance, William Adams (1975). The Geography of Modern Africa (em inglês) 2ª ed. [S.l.]: Columbia University Press. 657 páginas. ISBN 0231038690  |idioma2= e |idioma= redundantes (ajuda)
  • Hogan, C. Michael; Strõmberg, Nicklas (ed). Barbary Macaque: Macaca sylvanus (em inglês). [S.l.]: Globaltwitcher.com 


Ícone de esboço Este artigo sobre geografia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.