Antônio Tomás Quartim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Barão de Quartim)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde setembro de 2018). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Antônio Tomás Quartim
Nascimento 2 de novembro de 1854
Cantagalo

Antônio Tomás Quartim (Antônio (português brasileiro) ou António (português europeu); Quartim[1][2] ou Quartin[3][4]), primeiro e único Barão de Quartim comC (Cantagalo, 2 de novembro de 1854Rio de Janeiro, 26 de agosto de 1923), foi um político e negociante luso-brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho de Maria Vidal e de Antônio Tomás Quartim.

Foi vereador na antiga Câmara Municipal da Corte, membro do Conselho Administrativo da Caixa de Amortização, presidente da Caixa Econômica e Monte de Socorro e, anteriormente, ainda na administração de Joaquim Duarte Murtinho, Foi presidente interino do Banco do Brasil em setembro de 1900.[5]

Era proprietário do edifício sito à Rua Alexandre Herculano, n.º 25, em Lisboa, o qual foi projetado por Miguel Ventura Terra e recebeu o prêmio Valmor e Municipal de Arquitetura.

Agraciado como Oficial da Imperial Ordem da Rosa, comendador da Ordem Militar de Cristo de Portugal, Grã-Cruz da Ordem de São Gregório Magno, de Roma, Oficial da Imperial e Real Ordem de Santo Estanislau, da Rússia, Comendador da Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém.

Foi casado com Maria Antônia Soares, nascida em 20 de julho de 1862 e falecida em 6 de dezembro de 1901, filha do Comendador José Pereira Soares e de Antônia Amélia Soares. Tiveram filhos:

  • Maria Antonieta Quartim da Silva Costa, esposa do Dr. Otávio da Silva Costa;
  • Violeta Soares Quartim;
  • Alice Quartim Leitão da Cunha, casada com o Dr. Sílvio Leitão da Cunha, bacharel em Direito, neto do Barão de Mamoré;
  • Armando Soares Quartim.

Faleceu aos 68 anos, após uma longa enfermidade, no Hotel dos Estrangeiros, no Rio de Janeiro. Seu corpo foi sepultado no Cemitério do Catumbi.[6]

Precedido por
João José do Rosário
Presidente do Banco do Brasil
1900
Sucedido por
Otto Pettersen

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.