Barrica (pintor)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Barrica
Nome nativo Guilherme Clidenor de Moura Capibaribe
Nascimento 10 de março de 1908
Crato
Morte 8 de abril de 1993 (85 anos)
Fortaleza
Sepultamento Cemitério São João Batista
Cidadania Brasil
Ocupação pintor, ceramista, ilustrador, restaurador
Prêmios Sereia de Ouro

Guilherme Clidenor de Moura Capibaribe (Crato, 10 de março de 1908Fortaleza, 8 de abril de 1993), conhecido como Barrica, foi pintor, ceramista, restaurador e desenhista brasileiro.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido na cidade do Crato, celeiro de outros respeitados artistas como o pintor Vicente Leite e o escultor Sérvulo Esmeraldo, o autodidata Barrica segue para Fortaleza a partir dos anos 1920. Em 1941, compõe o grupo que fundou o Centro Cultural de Belas Artes - CCBA, transformado na Sociedade Cearense de Artes Plásticas - SCAP em 1944, junto com Antonio Bandeira (1922 - 1967), Aldemir Martins (1922 - 2006), Jean-Pierre Chabloz (1910 - 1984) e Estrigas (1919), entre outros. Em 1959, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde reside até o fim da década de 1980, período onde realizou exposições em galerias de São Paulo, Brasília, Salvador e Fortaleza, entre outras.[3][4]

Barrica demonstra refinado talento com as cores, instrumento a acentuar a perspectiva e a riqueza nas suas obras impressionistas. O amarelo-ouro tornou-se uma de suas marcas registradas nos cenários de casarios com as silhuetas das pessoas caminhando de costas que verdadeiramente invadem as construções ao fundo. Barrica é acometido de problema ocular, passando as manchas das pinturas à circulares nas suas obras, charme que se harmonizou com perfeição as deformações do real requintadas dos motivos que escolhia. A riqueza artística da fase das décadas de 50 e 60 coloca o artista entre os grandes impressionistas do Brasil, sendo verbete no "Dicionário das Artes Plásticas no Brasil", de Roberto Pontual, e no "Dicionário Crítico da Pintura no Brasil", de José Roberto Teixeira Leite, dentre outros".[5][6][7]

Homenagens[editar | editar código-fonte]

  • Uma rua em Fortaleza foi nomeada em homenagem ao pintor.[8]

Referências

  1. «Barrica - Guilherme Clidenor de Moura Capibaribe - Biografia do Artista - Catálogo das Artes». Catálogo das Artes. Consultado em 20 de agosto de 2018 
  2. Cultural, Instituto Itaú. «Barrica | Enciclopédia Itaú Cultural». Enciclopédia Itaú Cultural 
  3. «Minimuseu Firmeza | Barrica». minimuseufirmeza.org. Consultado em 20 de agosto de 2018 
  4. «[ISO] - Panorama das Artes - um retrato da Galeria Panorama - Vós». Vós. 2 de dezembro de 2015 
  5. «Um Barrica na Parede» 
  6. «Ceará, terra da arte - Caderno 3 - Diário do Nordeste». Diário do Nordeste. Consultado em 20 de agosto de 2018 
  7. www.baladain.com.br. «Balada In | Pompeu Vasconcelos | Blog». www.baladain.com.br. Consultado em 20 de agosto de 2018 
  8. «Busca CEP Rua Guilherme Clidenor de Moura Capibaribe no Ceará - CE». www.achecep.com.br. Consultado em 20 de agosto de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) pintor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.