Batalha de Leyte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Batalha de Leyte
Guerra do Pacífico
Douglas MacArthur lands Leyte1.jpg
Gen. Douglas MacArthur e seu Estado-maior desembarcando na praia de Palo, em Leyte, 20 de outubro de 1944.
Data 17 de outubro – 26 de dezembro de 1944
Local Leyte, Filipinas
Desfecho Vitória dos Aliados
Beligerantes
 Estados Unidos
Filipinas
 Austrália
Flag of Japan (1870–1999).svg Império do Japão
Philippines Flag Original.svg Segunda República das Filipinas
Comandantes
Estados Unidos Douglas MacArthur
Estados Unidos Walter Krueger
Estados Unidos Franklin C. Sibert
Estados Unidos John R. Hodge
Filipinas Ruperto C. Kangleon
Flag of Japan (1870–1999).svg Tomoyuki Yamashita
Flag of Japan (1870–1999).svg Sosaku Suzuki 
Flag of Japan (1870–1999).svg Shiro Makino
Forças
Estados Unidos 200 000 soldados
Filipinas 3 000 guerrilheiros
Flag of Japan (1870–1999).svg 85 000 soldados
Baixas
3 504 mortos
12 000 feridos
49 000 mortos
Corpos de soldados japoneses mortos em combate.

A Batalha de Leyte foi uma batalha ocorrida durante a Segunda Guerra Mundial que resultou na conquista da ilha de Leyte nas Filipinas pelo Exército Americano e seu aliado, os guerrilheiros Filipino, sob comando do General Douglas MacArthur, que lutaram contra o Exército imperial japonês sob comando do General Tomoyuki Yamashita de 17 de outubro até 31 de dezembro de 1944.[1] A batalha foi o primeiro grande combate da campanha para retomar as Filipinas de 1944–45 e encerrar três anos de ocupação japonesa do arquipélago. Esta também foi a primeira batalha em que os japoneses utilizaram pilotos kamikaze.[2]

Consequências[editar | editar código-fonte]

A campanha para Leyte provou ser a primeira e mais decisiva operação na reconquista americana das Filipinas. As perdas japonesas na campanha foram pesadas, com o exército perdendo quatro divisões e várias unidades de combate separadas, enquanto a marinha perdeu 26 grandes navios de guerra e 46 grandes transportes e centenas de navios mercantes. A luta também reduziu a capacidade aérea japonesa nas Filipinas em mais de 50%. Cerca de 250 000 soldados ainda permaneceram em Luzon, mas a perda de apoio aéreo e naval em Leyte estreitou tanto as opções do general Yamashita que ele agora teve que lutar contra uma defensiva passiva de Luzon, a maior e mais importante ilha das Filipinas. Com efeito, uma vez perdida a batalha decisiva de Leyte, os japoneses perderam a esperança de manter as Filipinas, concedendo aos Aliados um bastião crítico do qual o Japão poderia ser facilmente isolado de recursos externos e do qual os ataques finais aos japoneses ilhas de origem poderiam ser lançadas.[3]

Referências

  1. Drea, Edward J. (1998). «Leyte: Unanswered Questions». In the Service of the Emperor: Essays on the Imperial Japanese Army. Nebraska: University of Nebraska Press. ISBN 0-8032-1708-0 
  2. History of United States Naval Operations in World War II. Vol. 13: The Liberation of the Philippines—Luzon, Mindanao, the Visayas, 1944-1945 by Samuel Eliot Morison (2002) University of Illinois Press, ISBN 0-252-07064-X
  3. «Leyte». history.army.mil. Consultado em 21 de outubro de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Batalha de Leyte
Ícone de esboço Este artigo sobre Segunda Guerra Mundial é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.