Batalha de Sedan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Batalha de Sedan
Guerra franco-prussiana
Karte zur Schlacht bei Sedan (01.09.1870).jpg
O mapa da batalha.
Data 1 de setembro de 1870
Local Sedan, França
Desfecho Vitória alemã
  • Colapso do Segundo Império Francês e abdicação de Napoleão III
Beligerantes
Flag of the German Empire.svg Confederação da Alemanha do Norte Flag of Bavaria (striped).svg Baviera Flag of France (1794–1815, 1830–1958).svg Império Francês
Comandantes
Flag of the German Empire.svg Guilherme I
Flag of the German Empire.svg Helmuth von Moltke
Flag of Bavaria (striped).svg Ludwig von der Tann-Rathsamhausen
Flag of France (1794–1815, 1830–1958).svg Napoleão III  Rendição (militar)
Flag of France (1794–1815, 1830–1958).svg Patrice Mac-Mahon
Flag of France (1794–1815, 1830–1958).svg Auguste-Alexandre Ducrot
Forças
200 000 combatentes
774 canhões
130 000 combatentes
564 canhões
Baixas
1 310 mortos
6 443 feridos
2 107 desaparecidos
3 220 mortos
14 811 feridos
104 000 capturados

A Batalha de Sedan foi um conflito travado em 1 de setembro de 1870, próximo à cidade francesa de Sedan, durante a Guerra franco-prussiana.[1][2]

Um exército chefiado por Napoleão III e pelo marechal Patrice Mac-Mahon tentou libertar o general François Achille Bazaine, em Metz, mas acabou cercado por Helmuth von Moltke em 31 de agosto, na batalha de Sedan, que decidiu o conflito.

Em 1 de setembro, os franceses tentaram inutilmente romper o cerco e, em 2 de setembro, Napoleão, Mac-Mahon e 83.000 soldados renderam-se aos alemães. Resultou na captura do imperador Napoleão III, juntamente com o seu exército, e praticamente decidiu o conflito em favor do Reino da Prússia e seus aliados. Napoleão III, desacreditado aos olhos dos franceses, teve que abdicar.

A resistência francesa prosseguiu sob um novo governo de defesa nacional, que assumiu o poder em Paris em 4 de setembro, depois de dissolver a Assembleia Legislativa, proclamar a deposição do imperador e estabelecer a república.

Otto von Bismarck, chanceler da Prússia, recusou-se a assinar a paz e, em 19 de setembro, começou o cerco a Paris. No dia 19, os alemães começaram a sitiar Paris. O novo governo dispôs-se a negociar com Bismarck, mas suspendeu as conversações quando soube que os alemães exigiam a Alsácia e a Lorena. O principal líder do novo governo, Léon Gambetta, fugiu de Paris num balão, estabelecendo um governo provisório na cidade de Tours para reorganizar o exército no interior. A partir daí seriam organizadas 36 divisões militares, todas destinadas ao fracasso.

A vitória em Sedan estimulou o nacionalismo no sul da Alemanha e os estados germânicos ao sul do rio Meno (Hesse, Baden, Baviera e Württemberg) entraram na confederação.

Nesta batalha, o exército prussiano demonstrou, de forma cabal, a sua superioridade em liderança, tática, logística e em treinamento.Também esta batalha marcou o fim do Segundo Império Francês e o início da Terceira República Francesa.

Galeria de imagens[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. The Nest in the Altar or Reminiscences of the Franco-Prussian War of 1870, capítulo 2, Londres (1999), ISBN 1-85307-123-4
  2. Docteur Henri Conneau (Milan,1803-La Porta,1877) Ami le Plus Fidèle, Confident le Plus Intime de l'Empereur Napoléon III Bernard, Hervé., Biarritz 2008 (em francês)
Ícone de esboço Este artigo sobre História Militar é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.



O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Batalha de Sedan