Batalha de Varsóvia (1939)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Batalha de Varsóvia
Invasão da Polônia (1939), Segunda Guerra Mundial
Warsaw 1939 Polish POWs.jpg
Soldados poloneses marcham para cativeiro, em 30 de setembro, após a capitulação.
Data 8 a 28 de Setembro de 1939
Local Varsóvia, Polônia
Desfecho Vitória da Alemanha
  • Ocupação alemã de Varsóvia até 1945.
Beligerantes
Flag of Germany (1935–1945).svg Alemanha Nazista Flag of Poland.svg Polônia
Comandantes
Flag of Germany (1935–1945).svg Johannes Blaskowitz Flag of Poland.svg Walerian Czuma
Forças
~175 000 homens ~124 000 homens
Baixas
~1 500 mortos ~7 000 mortos
140 000 prisioneiros

A batalha de Varsóvia de 1939 foi a maior batalha ocorrida durante a invasão da Polônia pela Alemanha Nazista, na Segunda Guerra Mundial. Ela envolveu, de um lado, as tropas da Alemanha Nazista (Wehrmacht) e, do outro, tropas do Exército Polonês e uma pequena milícia de civis voluntários de Varsóvia.[1]

Em 1 de setembro de 1939, a cidade começou a ser bombardeada pelos aviões da Luftwaffe, os principais alvos seriam edifícios governamentais na região central de varsóvia além das instalações militares, como os quartéis de infantaria e o aeroporto Okęcie e a fábrica de aeronaves.[carece de fontes?] Em 2018, documentos do exército alemão foram encontrados, com o que parece ser um plano detalhado para a destruição total de Varsóvia por bombardeamentos aéreos.[2]

O centro de Varsóvia queima, após ataque aéreo.

A luta em terra começou em 8 de setembro, quando os primeiros tanques alemães chegaram à área de Wola e aos subúrbios do sul e oeste da cidade Em 15 de setembro, os alemães propuseram aos poloneses para entregar a cidade em um período de 12 horas . Em 16 de setembro, um parlamentar alemão foi enviado, mas não foi aceito, o que significou recusar-se a render a cidade. . Em 17 de setembro, o comando alemão voltou-se para os poloneses com um pedido para permitir que a população civil fosse evacuada da cidade isso foi porém recusado.[carece de fontes?]O cerco à cidade durou até 28 de setembro, quando a guarnição polonesa do general Walerian Czuma capitulou. No dia seguinte, aproximadamente cem mil soldados poloneses deixaram a cidade ou foram aprisionados. Em 1 de Outubro, a Wehrmacht entrou em Varsóvia.[carece de fontes?]

A ocupação alemã durou até a libertação da cidade, pelos aliados, em 17 de janeiro de 1945.

Resistência e capitulação[editar | editar código-fonte]

Criança polaca sobrevivente, nas ruínas de Varsóvia

A invasão e tomada de Varsóvia parecia uma ação extremamente fácil. Afinal, a superioridade militar alemã ficara evidente em batalhas anteriores. Porém, uma resistência inesperada foi encontrada. Embora militarmente inferiores, os poloneses ofereceram uma dura resistência aos ataques da infantaria alemã. Todavia, apesar de ter resistido bravamente, Varsóvia caiu após 16 dias de intenso combate.[carece de fontes?]

Entre os poloneses cidadãos de varsóvia houve aproximadamente 18.000 mortos civis [1] e 16.000 feridos.. Após a capitulação, cerca de 5.000 oficiais e 97.000 soldados e sub-oficiais foram feitos prisioneiro[carece de fontes?]s. Como resultado dos bombardeios, 10% das edificações da cidade ficaram destruídas e 40% fortemente danificadas.[1] Não houve lista oficial das baixas alemãs, mas as estimativas são de 1.500 mortos e 5.000 feridos.[carece de fontes?]

Referências

  1. a b c Zaloga, S.J., 2002, Poland 1939, Oxford: Osprey Publishing Ltd., ISBN 9781841764085
  2. Day, Matthew (12 de abril de 2018). «Nazi plans for total destruction of Warsaw found on eBay». The Telegraph (em inglês). ISSN 0307-1235 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre a Batalha de Varsóvia
Ícone de esboço Este artigo sobre batalhas (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre História da Polônia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.