Segunda República Polonesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Segunda República Polaca ou Segunda República Polonesa é um termo não oficial para designar a República da Polónia entre a Primeira Guerra Mundial e a Segunda Guerra Mundial. As fronteiras do estado foram fixadas em 1921, e tinha uma área de 388 600 km² (então o sexto maior país da Europa), e 27,2 milhões de habitantes no censo do mesmo ano. Em 1939, antes do início da Segunda Guerra Mundial, tinha uma população estimada de 35,1 milhões de habitantes. Um terço da população eram minorias (10% judeus, 17% ucranianos e bielorrussos, 5% alemães, e 1% lituanos, russos e checos.)

A Segunda República Polaca existiu entre 1918 e 1939. A República tinha fronteiras com a Alemanha, a Checoslováquia, a Roménia, a Letónia, a Lituânia e a União Soviética.

A Segunda República é frequentemente associada a tempos de grandes dificuldades e de problemas mas também de triunfos na História da Polónia. Tendo de lidar com as difíceis condições sociais e económicas no país após a destruição da I Guerra Mundial, e com a invasão soviética na Guerra Polaco-Soviética, e ainda com os vizinhos hostis da Alemanha Nazi, a República conseguiu não só manter-se como ainda expandir-se. À falta de um império ultramarino, a Polónia conseguiu mesmo assim um desenvolvimento e prosperidade comparáveis aos dos estados da Europa Ocidental. As cidades de Varsóvia, Cracóvia, Poznań, Wilno e Lviv tornaram-se importantes cidades europeias, cultural e economicamente, com universidades de prestígio. Em 1939 a República tinha-se tornado numa potência regional política e económica.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Segunda República Polaca, 1939

Ao terminar a Primeira Guerra Mundial, a França e o Reino Unido decidiram restabelecer o estado polaco, desaparecido desde o século XVIII. Decidiu-se entregar-lhe terras do Império Alemão e terras que a Rússia tinha perdido no Tratado de Brest-Litovsk, assim como territórios do desmembrado Império Austro-Húngaro. Depois de anexar a região da Galícia oriental da República Nacional da Ucrânia Ocidental, conseguiu expandir-se mais para leste na guerra Polaco-Soviética à custa da extinta República Popular da Ucrânia. Desta maneira, em 1921, a Polónia tinha uma extensão de 388 634 km², convertendo-se no sexto maior país da Europa, contando com 27,2 milhões de habitantes nesse ano.

Não obstante, o país não era uma entidade homogénea, já que contava com uma quantidade apreciável de minorias, sendo as mais importantes os eslavos não-polacos (18%), os judeus (10%) e os alemães (5%).

Rodeada de inimigos, esta república procurou sempre apoio do Reino Unido e realizou acordos de não-agressão com os seus vizinhos mais ameaçadores: a União Soviética (1932) e a Alemanha Nazi (1934). No final, todos estes tratados seriam desprezados, já que nenhum dos vizinhos os respeitou.

De facto, a chegada de Adolf Hitler ao poder na Alemanha condenaria a Polónia, pois estando insatisfeito com o corredor polaco que a Polónia tinha recebido pelo Tratado de Versalhes às custas da Alemanha, Hitler decidiu invadi-la em setembro de 1939, apoiado militarmente pela União Soviética e pela República Eslovaca. Os aliados franceses e britânicos da Polónia não se incomodaram em enviar-lhe ajuda militar, pois não estavam preparados para a guerra. O outro aliado importante da Polónia era a Checoslováquia, mas tinha sido desmembrada meses antes por causa dos Acordos de Munique. Deste modo, a Segunda República Polaca desapareceu ao não poder reagir o seu exército perante as inovadoras tácticas militares alemãs.

Línguas da Polónia, 1937

Setembro de 1939 e suas conseqüências[editar | editar código-fonte]

Em 17 de setembro de 1939, após a invasão alemã da Polônia e o Pacto Molotov-Ribbentrop, as forças soviéticas invadiram o leste da Polônia. Como o Exército da Polônia estava mais concentrado na parte oeste do país, em luta contra os alemães, os soviéticos encontraram pouca resistência e suas tropas avançaram rapidamente em direção ao oeste, ocupando facilmente a área da voivodia.

A União Soviética ocupou a área em 1939 e em 1941 foi a vez da ocupação pela Alemanha. Depois da Segunda Guerra Mundial, a região foi anexada pela União Soviética e dividida entre as Repúblicas Socialistas Soviéticas da Lituânia e da Bielorrússia.[2]

Ícone de esboço Este artigo sobre Estado extinto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Rzeczpospolita 1939 Polish divisions.png Ribbentrop-Molotov.svg Soviet invasion on Poland 1939.jpg
Distribuição das divisões Polacas
a 1 de setembro de 1939. A
maioria das forças polacas estavam
concentrados na fronteira alemã.
A fronteira soviética tinha sido
praticamente despojada de unidades.
Divisão da Europa, previstos
e real de acordo com o
Pacto Molotov-Ribbentrop,
com posteriores adaptações.
Soldados soviéticos
na Polônia em 1939.

Referências

  1. The End, revista TIME, 2 Out 1939
  2. «As Democracias Populares da Europa Oriental». www.marxists.org. Consultado em 11 de julho de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre Estado extinto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.