República da Lituânia Central

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
República da Lituânia Central
Vidurio Lietuvos Respublika
Republika Litwy Środkowej

Estado autoproclamado

Flag of Lithuania (1918-1940).svg
 
Flag of Poland.svg
1920 – 1922 Flag of Poland.svg
Localização de Lituânia Central
Território da República da Lituânia Central (a verde).
Continente Europa
País Lituânia
Capital Vilna (Wilno, Vilnius)
Língua oficial lituano e polaco
Religião Catolicismo
Governo República
Presidente
 • 1920-1922 Lucjan Żeligowski
Período histórico Período entreguerras
 • 1920 Fundação
 • 1922 Dissolução

A República da Lituânia Central ou Lituânia Central (em lituano: Vidurio Lietuvos Respublika, em polaco: Republika Litwy Środkowej, em bielorrusso: Рэспубліка Сярэдняе Літвы / Respublika Siaredniaje Litvy), na forma reduzida (em lituano: Vidurio Lietuva or Vidurinė Lietuva, em polaco: Litwa Środkowa, em bielorrusso: Сярэдняя Літва / Siaredniaja Litva), foi uma entidade política cuja independência não foi reconhecida internacionalmente e que durou poucos meses, entre 1920 e 1922.

Foi criada em 1920 a seguir à rebelião de Żeligowski de soldados da 1a Divisão de Infantaria Lituano-Bielorrussa do Exército da Polónia, com apoio da Força Aérea da Polónia, da cavalaria e da artilharia[1] Com território envolvente à capital do Grão-Ducado da Lituânia, Vilna (em lituano: Vilnius, em polaco: Wilno), durante 18 meses a entidade serviu como estado-tampão entre a Polónia, da qual dependia, e a Lituânia, que reclamava para si o território.[2] Depois de uma série de atrasos, uma eleição muito disputada ocorreu em 8 de Janeiro de 1922, e o território foi anexado à Polónia.

As fronteiras polaco-lituanas no período entre-guerras, embora reconhecidas pela Conferência de Embaixadores dos Aliados da Primeira Guerra Mundial[3] [4] e pela Liga das Nações,[5] não foram reconhecidas pela República da Lituânia.[6] Em 1931 um tribunal internacional em Haia determinou que o cerco polaco e o consequente controlo da cidade eram violações do direito internacional.[5]

O seu chefe-de-estado foi Lucjan Żeligowski.

Referências

  1. Čepėnas, Pranas (1986). Naujųjų laikų Lietuvos istorija, vol. II (Chicago: Dr. Griniaus fondas). ISBN 5-899570121. 
  2. Rauch, Georg von (1974). «The Early Stages of Independence». In: Gerald Onn. The Baltic States: Years of Independence - Estonia, Latvia, Lithuania, 1917-40 C. Hurst & Co [S.l.] pp. 100–102. ISBN 0-903983-00-1. 
  3. Phipps, Eric; Romano Avezzana, Raymond Poincaré, Maurycy Zamoyski, M. Matsuda (1923). Decision taken by the conference of ambassadors regarding the eastern frontiers of Poland (pdf) Liga das Nações [S.l.] Consultado em 2008-03-11. 
  4. League of Nations, Treaty Series 15 League of Nations [S.l.] 1923. pp. 261–265. 
  5. a b Miniotaitė, Gražina (1999). «The Security Policy of Lithuania and the 'Integration Dilemma'» (pdf) NATO Academic Forum [S.l.]: 21. Consultado em 2008-03-14. 
  6. The Vilna problem (London: Lithuanian Information Bureau). 1922. p. 24-25. 
Ícone de esboço Este artigo sobre Estado extinto, integrado ao Projeto Estados Extintos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.