Battir

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pix.gif Palestina: terra das oliveiras e vinhedos - paisagem cultural do Sul de Jerusalém, Battir *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Batir.JPG
Battir
País  Palestina
Tipo Cultural
Critérios iv, v
Referência 1492
Região** Ásia e Oceania
Coordenadas 31° 43' 11" N 35° 7' 50" E
Histórico de inscrição
Inscrição 2014  (38ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

Battir (em árabe: بتير) é um povoado palestino localizado na Cisjordânia, na Província de Belém, a 5 quilômetros a sudoeste de Jerusalém Possui uma população de aproximadamente 4.000 habitantes e encontra-se sobre as vias férreas que comunicam Telavive e Jerusalém. Hoje em dia encontra-se sob a administração da Autoridade Nacional Palestina.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Battir encontra-se em uma colina de Wadi el-Jundi. Encontra-se a 720m acima do nível do mar, tendo verões muito temperados e invernos moderados, com nevascas ocasionais.

História[editar | editar código-fonte]

Antiguidade[editar | editar código-fonte]

Battir é considerado o lugar em que possivelmente, no Século II, teve lugar a Revolta de Barcoquebas, contra o Império Romano já que próximo ao povoado há ruínas conhecidas com o nome de Khirbet al-Yahudi ("ruinas 'judias'"). Também diz-se que neste lugar está enterrado o sábio Tanaim Eleazar of Modi'im.

Idade Contemporânea[editar | editar código-fonte]

Fellahin em Battir indo ao mercado em 1913.

O desenvolvimento de Battir esteve vinculado a sua localização próxima à ferrovia que chegava a Jerusalém, já que a população tinha mais oportunidades, bem como era parada de outros viajantes em busca de água. Depois da Guerra árabe-israelense de 1948, a Linha Verde caiu sobre a ferrovia e Battir ficou a poucos metros da fronteira entre a Jordânia e Israel. Durante a Guerra dos Seis Dias Battir passou e ficar sob controle israelense junto com o resto da Cisjordânia, mesmo depois do acordo provisório a respeito a Cisjordânia e a Faixa de Gaza fechado em 1995 passou a ser administrada pela Autoridade Nacional Palestina. Existe uma certa preocupação porque a construção da barreira israelense da Cisjordânia possa exercer um impacto negativo no meio-ambiente da região, sobretudo devido à proximidade de Battir à Linha Verde.

Battir também é conhecida por ser lugar de nascimento do pai do famoso comediante árabe-americano Dean Obeidallah e do pai do escritor palestino-americano Ali Abunimah.

UNESCO[editar | editar código-fonte]

Battir foi incluída na lista de patrimônio Mundial da UNESCO graças a "seu sistema tradicional de distribuição usado para coletar água através de redes entre as famílias próximas ao vilarejo...algumas servindo como irrigação para a produção de produtos agrícolas de consumo local enquanto outras para plantio de videiras e oliveiras"[1]

Referências

  1. «Battir na UNESCO». Consultado em 3 de dezembro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]