Bertha Benz Memorial Route

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Bertha Benz Memorial Route
Símbolo oficial:
Berthabenzmemorialrouteschild.jpg
País: Alemanha
Distância: 194 km (120 milhas)
Localização: aproximadamente entre Frankfurt am Main
e Baden-Baden
Estado: Baden-Württemberg
Região: Baden do Norte
Direcção: Norte-Sul, Sul-Norte
Início: Mannheim
Ponto mais distante: Pforzheim
Final: Mannheim
Altitude: 89 m até 359 m a.n.m.

A Bertha Benz Memorial Route é um roteiro turístico temático em Baden-Württemberg[1] na Alemanha e membro do Roteiro Europeu do Património Industrial.[2] A partir do seu início em 2008, qualquer pessoa pode seguir as pisadas da primeira viagem de longa distância, feita de automóvel em 1888.

História[editar | editar código-fonte]

Bertha Benz (1849 - 1944)

Em 1886 quando o Dr. Karl Benz inventou o automóvel em Mannheim, na Alemanha (Patente No. 37 435)[3][4] ninguém manifestava interesse em comprá-lo.

No princípio de agosto de 1888,[5] Bertha Benz com os seus filhos Eugen e Richard (14 e 15 anos), fez o percurso de Mannheim para Pforzheim, sem o conhecimento do marido, num dos automóveis recentemente construídos, o Benz Patent-Motorwagen Nr. 3.[6] Com o feito, ela tornou-se a primeira pessoa a fazer de automóvel uma viagem de longa distância, percorrendo 104 km (64 milhas). Os trajetos feitos anteriormente tinham sido curtos, tratando-se apenas de experiências com mecânicos assistentes.[7][8]

Apesar de Bertha Benz ter manifestado como objectivo da viagem, fazer uma visita à mãe,[9] ela tinha outra ideia em mente. Ela pretendia demonstrar ao marido, que o automóvel se poderia tornar um êxito financeiro, uma vez mostrada a sua utilização ao mundo inteiro.[6] Na sua opinião, o marido nao tinha comercializado a invenção adequadamente.

Mapa da Alemanha com o roteiro oficial da comemoração da viagem feita por Bertha Benz em 1888

Durante o trajecto Bertha viu-se confrontada com vários problemas. O combustível utilizado era a ligroína,[10] uma mistura de hidrocarbonetos extraídos do petróleo bruto, de pontos de ebulição compreendidos entre 70 °C e 120 °C[11] e que tinha de ser adquirido numa farmácia. A ainda existente Stadtapotheke em Wiesloch, a alguns quilómetros a sul de Heidelberg, tornou-se na primeira estação de gasolina no mundo.[12]

Usando um dos seus ganchos de cabelo, Bertha Benz limpou o tubo do combustível, que estava obstruído e com uma liga das meias conseguiu isolar um fio.[13]

Bertha e os filhos deixaram Mannheim de madrugada e chegaram em Pforzheim ao anoitecer. Eles apressaram-se a comunicar o êxito da viagem via telegrama a Carl Benz[9] e fizeram a viagem de regresso a Mannheim, três dias mais tarde.

As pessoas assustavam-se à passagem do automóvel e a viagem recebeu imensa publicidade,[14] como Bertha Benz tinha previsto. O relato da viagem e a publicidade foram muito úteis para Carl Benz. Melhoramentos úteis puderam ser feitos com base nas sugestões da esposa, como a introdução de uma mudança adicional para as subidas.[15]

Organismo responsável[editar | editar código-fonte]

Em 2007 uma iniciativa sem fins lucrativos, liderada por Edgar e Frauke Meyer, fundou duas sociedades, a Bertha Benz Memorial Route e.V. e a Bertha Benz Memorial Club e.V., para comemorar o facto histórico.

Em 25 de Fevereiro de 2008 as autoridades alemãs aprovaram oficialmente a Bertha Memorial Route como roteiro turístico e histórico, um monumento dinâmico de 194 km de cultura industrial alemã.

O Roteiro[editar | editar código-fonte]

Ida[editar | editar código-fonte]

Benz Patent-Motorwagen Nr. 3 de 1888

De Mannheim a Pforzheim aproximadamente 104 km (64 milhas) na direcção sul.

GPS-Download

Mannheim, Mannheim-Feudenheim, Ilvesheim, Ladenburg, Schriesheim, Dossenheim, Heidelberg, Leimen, Nußloch, Wiesloch, Mingolsheim, Langenbrücken, Stettfeld, Ubstadt, Bruchsal, Untergrombach, Weingarten, Karlsruhe-Grötzingen, Berghausen, Söllingen, Kleinsteinbach, Wilferdingen, Königsbach, Stein, Eisingen, Pforzheim

Volta[editar | editar código-fonte]

De Pforzheim a Mannheim aproximadamente 90 km (56 milhas) na direcção norte.

GPS-Download

Pforzheim, Bauschlott, Bretten, Gondelsheim, Helmsheim, Heidelsheim, Bruchsal, Forst, Hambrücken, Wiesental, Kirrlach, Reilingen, Hockenheim, Talhaus, Ketsch (Baden), Schwetzingen, Mannheim-Friedrichsfeld, Mannheim-Seckenheim, Mannheim

Paisagens[editar | editar código-fonte]

O caminho original tomado por Bertha Benz passa por lugares hoje quase esquecidos e conduz a uma das mais pitorescas regiões da Alemanha, a região dos vinhos de Baden.

Este roteiro do património industrial inclui algumas estradas romanas na planície setentrional do curso alto do Rio Reno, como por exemplo, a Bergstrasse (estrada da montanha), passa ao longo de uma serra muito arborizada, Odenwald e de Kraichgau. Pouco antes de Karlsruhe, segue através do vale do rio Pfinz na direcção de Pforzheim, para o Norte da Floresta Negra (Schwarzwald).

Como Bertha Benz temia as subidas com o automóvel,[16] na viagem de volta ela tomou um outro caminho, seguindo ao longo do Rio Reno até chegar a Mannheim.

Lugares a visitar[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Official tourist webpage of Baden-Württemberg
  2. ERIH European Route of Industrial Heritage
  3. Original patent specification
  4. Mercedes Benz webpage on Carl Benz' patent
  5. Winfried A. Seidel: Carl Benz. Eine badische Geschichte. Edition Diesbach, Weinheim 2005, ISBN 3-936468-29-X., page 43
  6. a b «Mercedes-Benz Classic: Classics, festivals and milestones.». www.mercedes-benz.com (em inglês). Consultado em 1 de agosto de 2021 
  7. (Karl Volk:) Carl Benz. Lebensfahrt eines Erfinders. Koehler & Amelang 1925, unchanged reprint München 2001, ISBN 3-7338-0302-7. (Onlineversion), chapter "Die ersten Fahrten: Im Fabrikhofe & Auf der Straße"
  8. Winfried A. Seidel: Carl Benz. Eine badische Geschichte. Edition Diesbach, Weinheim 2005, ISBN 3-936468-29-X, page 38: Article in the "Badische Landeszeitung", June 4, 1886, and in the "Generalanzeiger", Sept 5, 1886.
  9. a b (Karl Volk:) Carl Benz. Lebensfahrt eines Erfinders. Koehler & Amelang 1925, unchanged reprint München 2001, ISBN 3-7338-0302-7. (Onlineversion), chapter: "Wir fahren in die Welt! Die erste Fernfahrt".
  10. «Bertha Benz Memorial Route». www.bertha-benz.de. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  11. infopedia.pt. «infopedia.pt». Consultado em 8 de novembro de 2020 
  12. The world's first filling station
  13. «No. 2402: Bertha Benz's Ride». uh.edu. Consultado em 1 de agosto de 2021 
  14. * (Karl Volk:) Carl Benz. Lebensfahrt eines Erfinders. Koehler & Amelang 1925, unveränderte Neuauflage München 2001, ISBN 3-7338-0302-7. (Onlineversion), chapter: "Der neue Wagen holt sich auf der Münchener Ausstellung 1888 die Große Goldene Medaille".
  15. (Karl Volk:) Carl Benz. Lebensfahrt eines Erfinders. Koehler & Amelang 1925, unchanged reprint München 2001, ISBN 3-7338-0302-7. (Onlineversion), at the end of the chapter: "Wir fahren in die Welt! Die erste Fernfahrt".
  16. neulingen.de For the return trip she preferred the smoother road via Bauschlott.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • (Karl Volk:) Carl Benz. Lebensfahrt eines Erfinders. Koehler & Amelang 1925, unveränderter Nachdruck München 2001, ISBN 3-7338-0302-7. (Onlineversion)
  • Angela Elis: „Mein Traum ist länger als die Nacht. Wie Bertha Benz ihren Mann zu Weltruhm fuhr". Hoffmann und Campe, Hamburg 2010, ISBN 978-3-455-50146-9.
  • Hans-Erhard Lessing u.a. (Hg): Die Benzwagen. Reprint der Unternehmensschrift von 1913. Wellhöfer-Verlag, Mannheim 2008.
  • Hans-Erhard Lessing: Mannheimer Pioniere. Wellhöfer-Verlag, Mannheim 2007.
  • Winfried A. Seidel: Carl Benz. Eine badische Geschichte. Edition Diesbach, Weinheim 2005, ISBN 3-936468-29-X.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]