Código Internacional de Ética Médica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Código Internacional de Ética Médica
Criado 1949
Ratificado 1949
Local de assinatura Londres
 Inglaterra
Propósito Elenco de princípios éticos e morais norteadores e obrigatórios a serem observados por operadores da medicina em todo o mundo.
Autoria Associação Médica Mundial
Signatários Associações e conselhos médicos nacionais.

O Código Internacional de Ética Médica é um documento mundial, instituído em 1949, que escreve os deveres e obrigações dos médicos em todo o mundo. Sua criação também tem a ver com as experiências humanas feitas por médicos do regime nazista. É uma das mais importantes normas éticas internacionais em pesquisa clínica e médica e um documento fundamental da Associação Médica Mundial destinada à comunidade de médicos em todo o mundo[1].

História[editar | editar código-fonte]

O Código foi criado em 1949 e teve reformulações aprovadas durante a 22.ª Assembleia Médica Mundial realizada em Sydney, na Austrália em 1968; na 35.ª Assembleia Médica Mundial que foi realizada em 1983, em Veneza, Itália e a reforma vigente foi feita durante a 57.ª Assembleia Geral da Associação Médica Mundial de 2006, que deu-se em Pilanesberg, na África do Sul[2].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. BRASIL. Conselho Federal de Medicina. Código de Ética Médica do Brasil. Brasília: CFM, 1996.
  2. Página em espanhol da Associação Médica Mundial. Acesso em 3 de março de 2017.
Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.