Calvin Bridges

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Calvin Blackman Bridges (11 de Janeiro de 1889 - 27 de Dezembro de 1938) foi um cientista dos Estados Unidos da América, conhecidos pelas suas contribuições no campo da Genética, Juntamente com Alfred Sturtevant e Hermann Joseph Muller, Bridges trabalhou na famosa Sala das Moscas de Thomas Hunt Morgan, na Universidade de Columbia.

Bridges escreveu a sua tese de doutoramento sobre a "não-disjunção como prova da teoria da hereditariedade cromossómica". Apareceu como o primeiro artigo da primeira edição da publicação científica Genetics, em 1916.

O seu trabalho com traços ligados ao sexo, na mosca-da-fruta Drosophila melanogaster, sugeriam que os cromossomas continham genes. Mais tarde, Nettie Maria Stephens conseguiu provar essa hipótese, através da análise de cromossomas da mosca-da-fruta. Bridges escreveu dois artigos apresentando a prova.

A contribuição mais conhecida de Bridges, entre os pesquisadores de Drosophila, foi a observação e documentação dos cromossomas politénicos das glandulas salivares de larvas da mosca. Os padrões de bandeamento desses cromossomas são ainda hoje utilizados como marcadores genéticos.

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

  • A. H. Sturtevant, A History of Genetics, (Cold Spring Harbor Laboratory Press,2001). ISBN 0-87969-607-9
  • E.A. Carlson, Mendel's Legacy: The Origin of Classical Genetics, (Cold Spring Harbor Laboratory Press, 2004). ISBN 0-87969-675-3
  • E.A. Carlson, The Gene: A Critical History, (Iowa State Press, 1989). ISBN 0-8138-1406-5