Camelot 3000

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Camelot 3000
Imagem ilustrativa padrão; esse artigo não possui imagem.
Editora(s) DC Comics
Formato de publicação minissérie
Lançada em dezembro de 1982
Terminou em abril de 1985
Edições 12
Desenho Brian Bolland
Colorista(s) Tatjana Wood
Arte-finalista(s) Bruce Patterson
Dick Giordano
Terry Austin

Camelot 3000 é uma história em quadrinhos escrita por Mike W. Barr e com a arte de Brian Bolland, e publicada pela DC Comics entre 1982 e 1985, como seu primeiro projeto a estabelecer as chamadas maxisséries, e também sendo uma das pioneiras a ser comercializada exclusivamente no mercado direto.[1]

O enredo baseia-se na lenda do Rei Artur, reencarnado no ano 3000, tendo que lidar com uma invasão alienígena. Mike W. Barr e Brian Bolland receberam reconhecimento por Camelot 3000, incluindo uma nomeação para o Jack Kirby Award por melhor minissérie em 1985.[2]

Enredo[editar | editar código-fonte]

A história mostra as aventuras do Rei Arthur, Merlin e os reencarnados Cavaleiros da Távola Redonda, ressurgidos no mundo futurístico de 3000 para lutar contra uma invasão alienígena comandada por ninguém menos que Morgana Le Fay.

Arthur, Guinevere, e Lancelot são apresentados mais ou menos tradicionalmente como um condenado triângulo amoroso. Sir Galahad é transformado de cavaleiro cristão em samurai e devotado aos ensinamentos do bushido. Sir Percival, é geneticamente alterado em um monstruoso gigante, mas que mantém a personalidade gentil. Sir Gawayn, sobrinho de Arthur, reencarna como um policial e pai de família sul-africano. Sir Kay revela que sua principal característica está no fato de reduzir as tensões entre os membros da corte de Arthur, fazendo-os se unirem em uma mútua antipatia por ele. Mordred é o filho de Morgana Le Fay (embora seja enganado por ela e não tome conhecimento disso).

O tratamento mais original no trabalho dos personagens arturianos reside na figura de Sir Tristão, que inesperadamente reencarna em uma mulher. Sua transformação o força a reexaminar seus conceitos pré-concebidos além de sua própria sexualidade. Seu relacionamento com Isolda é testado pela sua nova identidade, porém seu amor triunfa e as duas se tornam amantes.

Publicação no Brasil[editar | editar código-fonte]

Camelot 3000 foi publicado pela primeira vez no Brasil pela Editora Abril entre 1984 e 1985 nas revistas SuperAmigos e Batman.[3] Entre setembro e dezembro de 1988, a Editora Abril republicou em revista própria como minissérie de 4 partes. Foi republicada pela Mythos Editora, no ano de 2005, em edição única. Em setembro de 2010, a Editora Panini lança um encadernado de luxo capa dura, reunindo a minissérie completa em 320 páginas.[4]

Referências

  1. Santana, Ben (3 de maio de 2005). «Anos 80 - 25 Anos». HQ Maniacs. Consultado em 23 de junho de 2018. 
  2. «1985 Jack Kirby Awards». Comic Book Almanac (em inglês). Consultado em 23 de junho de 2018. 
  3. Costa, Carlos (13 de julho de 2010). «Camelot 3000 ganhará edição para livrarias». HQ Maniacs. Consultado em 23 de junho de 2018. 
  4. Naliato, Samir (15 de março de 2018). «Panini relança Camelot 3000, de Mike W. Barr e Brian Bolland». Universo HQ. Consultado em 23 de junho de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Banda desenhada da DC Comics é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.