Carlos Alexandre de Württemberg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Carlos Alexandre.
Carlos Alexandre de Württemberg
Duque de Württemberg
Duque de Württemberg
Reinado 31 de outubro de 1733 - 12 de março de 1737
Antecessor(a) Everardo Luís de Württemberg
Sucessor(a) Carlos Eugênio de Württemberg
 
Cônjuge Maria Augusta de Thurn e Taxis
Descendência Carlos Eugênio de Württemberg
Eugénio Luís de Württemberg
Luís Eugénio de Württemberg
Frederico II Eugénio, Duque de Württemberg
Alexandre Eugénio de Württemberg
Augusta de Württemberg
Nascimento 24 de maio de 1684
Estugarda, Alemanha
Morte 12 de março de 1737 (52 anos)
Ludwigsburgo, Alemanha
Pai Frederico Carlos de Württemberg-Winnental
Mãe Leonor Juliana de Brandemburgo-Ansbach


Carlos Alexandre de Württemberg (24 de maio de 1684 - 12 de março de 1737) foi um nobre de Württemberg que governou o Reino da Sérvia como regente entre 1720 e 1733, quando herdou a posição de duque de Württemberg que manteve até à sua morte.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Estugarda, Carlos Alexandre era o filho mais velho do duque Frederico Carlos de Württemberg-Winnental e da marquesa Leonor Juliana de Brandemburgo-Ansbach.

Sucedeu ao seu pai como duque de Württemberg-Winnental em 1698. Sendo um comandante de exército de sucesso ao serviço do Sacro-Imperador romano, tinha-se convertido ao catolicismo em 1712. Obteve grande sucesso militar sob as ordens do príncipe Eugénio de Saboia na Guerra da Sucessão Espanhola bem como contra os turcos. Em 1719, foi nomeado governador imperial de Belgrado.

Em 1720, o imperador Carlos VI nomeou-o governador do Reino da Sérvia em Belgrado. Depois de reinar autocraticamente a Sérvia por treze anos, em 1733, Carlos Alexandre herdou o Ducado de Württemberg com capital em Estugarda do seu primo, o duque Everardo Luís. Como duque de Württemberg, voltou a levar a corte de Ludwigsburgo para Estugarda. Governou o ducado até à sua morte súbita em 1737. Foi sucessido pelo seu filho de nove anos, o duque Carlos Eugénio.

Durante o seu reinado, empregou como seu financeiro Joseph Süß Oppenheimer, Joseph Oppenheimer, que foi executado em 1738 por abuso de poder durante o reinado do duque.

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

A 1 de maio de 1727, Carlos Alexandre casou-se com a princesa Maria Augusta de Thurn e Taxis. O casal teve os seguintes filhos:

  1. Carlos Eugênio de Württemberg (11 de fevereiro de 1728 – 24 de outubro de 1793), casado com a princesa Isabel Frederica Sofia de Brandemburgo-Bayreuth; sem descendência. Casado depois com Franziska von Hohenheim.
  2. Eugénio Luís de Württemberg (nascido e morto em 1729).
  3. Luís Eugénio de Württemberg (6 de janeiro de 1731 – 20 de maio de 1795), casado com a princesa Sofia Albertina de Beichlingen; com descendência.
  4. Frederico II Eugénio, Duque de Württemberg (21 de janeiro de 1732 – 23 de dezembro de 1797), casado com a marquesa Frederica de Brandemburgo-Schwedt; com descendência.
  5. Alexandre Eugénio de Württemberg (1733–1734)
  6. Augusta de Württemberg (30 de outubro de 1734 – 4 de junho de 1787), casada com Carlos Anselmo, 4.º Príncipe de Thurn e Taxis; com descendência.

Na literatura e no cinema[editar | editar código-fonte]

Apesar da história do duque Carlos Alexandre e Joseph Süß Oppenheimer ser um episódio relativamente obscuro na história da Alemanha, tornou-se assunto de várias representações literárias e cinematográficas ao longo de mais de um século. A representação mais antiga desta episódio foi a novela de Wilhelm Hauff, publicada em 1827 com o título Jud Süß ("Judeu Süß").[1] A adaptação literária que teve mais sucesso foi o romance de Lion Feuchtwanger publicado em 1925 e que se baseou numa peça de teatro escrita pelo mesmo em 1916 que tinha tido pouco sucesso.

Ashley Dukes e Paul Kornfeld também escreveram adaptações dramáticas do romance de Feuchtwanger. Em 1934, Lothar Mendes realizou uma adaptação cinematográfica do romance.[2]

Carlos Alexandre e a sua relação com Oppenheimer é retratada de forma ficcional no filme de propaganda nazi de 1940 realizado por Veit Harlan, também intitulado Jud Süß. Apesar de se inspirar em dados históricos da vida de Süß, todas estas adaptações apenas correspondem às fontes encontradas nos arquivos de Baden-Württemberg.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Carlos Alexandre de Württemberg em três gerações
Carlos Alexandre de Württemberg Pai:
Frederico Carlos de Württemberg-Winnental
Avô paterno:
Everardo III de Württemberg
Bisavô paterno:
João Frederico de Württemberg
Bisavó paterna:
Bárbara Sofia de Brandemburgo
Avó paterna:
Ana Catarina de Salm-Kyrburg
Bisavô paterno:
João Casimiro de Salm-Kyrburg
Bisavó paterna:
Doroteia de Solms-Laubach
Mãe:
Leonor Juliana deBrandemburgo-Ansbach
Avô materno:
Alberto II de Brandemburgo-Ansbach
Bisavô materno:
Joaquim Ernesto de Brandemburgo-Ansbach
Bisavó materna:
Sofia de Solms-Laubach
Avó materna:
Sofia Margarida de Oettingen-Oettingen
Bisavô materno:
Joaquim Ernesto de Oettingen-Oettingen
Bisavó materna:
Sibila de Solms-Sonnenwalde

Referências

  1. Magill, Frank Northen (1985). Magill's survey of cinema, foreign language films. Salem Press. ISBN 978-0-89356-247-2..
  2. Haines, B.; Parker, S. (17 March 2010). AESTHETICS AND POLITICS IN MODERN GERMAN CULTURE. Peter Lang. pp. 42–44. ISBN 978-3-03911-355-2.
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Carlos Alexandre de Württemberg