Carlos Macedo (fadista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Carlos Macedo nome artístico de José Carlos de Campos Macedo (Lousado, 9 de Dezembro de 1946) é um fadista português[1].

Biografia[editar | editar código-fonte]

José Carlos de Campos Macedo nasceu em Lousado, Vila Nova de Famalicão, a 9 de Dezembro de 1946, sob o signo de Sagitário. Aos 17 anos a sua sensibilidade musical de cariz Popular leva-o a formar um Conjunto Típico com o seu nome. É assim que pela 1ª vez se apresenta nas Rádios Nacionais fazendo inclusivamente vários directos na Ideal Rádio, posto centralizado dos Emissores do Norte Reunidos, no Porto.

Por questões de obrigação militar muda-se para Moçambique, onde foi integrado num grupo regional das Forças Armadas. Terminando o serviço militar, Carlos Macedo fixa residência em Lourenço Marques (actual Maputo), e ai continua a sua carreira, atingindo o auge em 1972 ao ser considerado “O Rei do Fado em Moçambique“. Grava o seu 1º Disco que inclui “Guitarra toca Baixinho" de Francisco José; Em 1975, após a independência da província ultramarina, regressa a Portugal e grava um trabalho de grande êxito popular, "Até o Rei ia ao Fado", iniciando a sua consagrada actividade artística em várias casas típicas.

Em 1982, integra o elenco do "Sr. Vinho", casa pertencente à fadista Maria da Fé, onde trabalhou até Março de 2008. Durante esses anos, ao serviço da mesma, Carlos Macedo percorreu Portugal de lés a lés, visitou vários países europeus e da América do Sul, acompanhando a fadista à guitarra e por vezes cantando a solo. Numa actuação sua, numa casa de espectáculos no Rio de Janeiro, em Junho de 1984, quando Maria da Fé estava em digressão por várias cidades brasileiras, Carlos Macedo cumpria um contrato ao abrigo da chamada “Ponte Cultural” entre Brasil e Portugal.

Segundo o Semanário “Tal e Qual”, «Ele conquistou o Brasil enquanto Maria da Fé foi mudar de vestido». Nas suas actuações, Maria da Fé precisa de mudar de vestido e pede ao guitarrista Carlos Macedo que a substitua momentaneamente. Este canta três fados, e põe o público em delírio com aplausos vibrantes e intermináveis.

Estes momentos foram de autêntica glória para o grande artista, a quem toda a plateia de pé aplaude entusiasticamente

No final a cantora brasileira Alcione cumprimenta o fadista e diz-lhe: “Você esteve simplesmente maravilhoso!”. No dia seguinte, a imprensa brasileira, especialmente a do Rio de Janeiro, onde o espectáculo decorreu, dizia a seguinte opinião sobre Carlos Macedo: «Foi a surpresa da noite; foi a revelação de um fadista que sabe cantar com verdadeiros sentimentos.»

Este insuspeito comentário e apreciação, feito por jornalistas de carácter idóneo e responsável, a tão grande distância geográfica, são bem a tradução do real e incontroverso valor artístico do cantor lousadense. Até finais de 1991, Carlos Macedo grava mais 8 discos, mostrando-se um exímio guitarrista em paralelo, fazendo inúmeras gravações com outros artistas.

Embora fiel ao seu País, fez várias viagens pelo mundo fora, actuando no "Canecão", no Rio de Janeiro, no "Palace" de S. Paulo, no "Gallary" de Espanha, no Centro Cultural de Macau, no "Teatroz" e "Twente Schouwbourg", em Holanda, no Canadá e em Toronto.

Canta em Bruxelas (Bélgica) a convite da câmara de Comércio Luso-Belga, participa em duas noites de Fado no Teatro Mailon, em Strasbourg, França, entre outros, dos quais participa em vários programas de Televisão.

Em 1998 actua no Palco Nº1 da "Expo 98" durante uma semana.

Em 28 de Abril de 2000, actuou no Coliseu dos Recreios, na festa de homenagem a Argentina Santos.

A 5 de Outubro de 2000, actuou num espectáculo da UNESCO, em Paris, com Mariza, Maria da Fé, Jorge Fernando, Cristina Branco, Argentina Santos e Herman José, no Teatro DeSaint Quentin, em Paris.

Seguem-se os CD´S, “Fado“, “Carlos Macedo” e “Desejos”. E ainda, neste ano, grava para a Editora Strauss “Este Meu Fado“, uma produção de Maria de Lourdes de Carvalho, apresentada em 6 de Julho de 2000, na Fonoteca, tendo feito a apresentação do mesmo em todas as Fnacs em 2000.

Actua no Centro Cultural de Belém a 6 de Março de 2001. Depois, actua no Casino de Póvoa de Varzim, em Abril de 2001. Volta a França, em Outubro de 2002, para actuar na "sala colette Besson Ozoir-la-Ferriére" , com a jovem fadista Ana Moura.

Apresentando-se como Intérprete, Músico, Autor, Compositor e Construtor da Guitarra Portuguesa. É solicitado para compor músicas para vários artistas. Tendo participado ao longo da sua carreira em vários programas de televisão. Em 9 de Setembro de 2006 é homenageado em Lousado (sua terra) pela comissão de festas da “Romaria Nova”fazendo parte actualmente do Site oficial da Junta de Freguesia de Lousado, V.N.de Famalicão .

Foi convidado pelo Bispo de Leiria D. António Marto a cantar “O Milagre Que Pedi “Ser Peregrino dois temas alusivos à mensagem de Fátima,no Centro Pastoral Paulo VI, nas celebrações do nonagésimo aniversário das Aparições em Fátima em Outubro de 2007.” Em 24 de Janeiro de 2009 realizou na Casa das Artes em Vila Nova de Famalicão um espectáculo há muito desejado por ele e por todos os Lousadenses.

E mais uma vez nos mostrou o grande carinho e apreço que tem pela sua terra natal Lousado, transmitindo esse sentimento durante todo o espectáculo. Em 22 de Abril de 2010 apresentou no Museu do Fado o seu recente CD “ Entre Nós e o Fado “. Em 26 de Maio 2010 Apresentou na Casa Das Artes em Vila Nova de Famalicão o seu recente CD “Entre Nós e o Fado “sendo o Autor&Compositor da maioria dos temas deste trabalho, já há venda em todas as Fnacs e Museu do Fado.

No dia 6 -Outubro - 2014 - no Teatro Municipal São Luiz , Carlos Macedo recebeu o prémio melhor compositor 2014 ,

prémios Amália Rodrigues 2014 , da Fundação Amália Rodrigues e do ilustre júri! Constituído por: Tó Zé Brito (Autor, Compositor, Intérprete - Presidente) ,

Conceição Carvalho (Produtora - Secretária) ,Joana Carneiro (Maestrina), Joaquim Maralhas (Locutor Radiofónico) Cristina Condinho (Produtora RDP/RTP)

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Campa Florida (1973)
  • Guitarra Toca Baixinho (1973)
  • Pomba Branca, Pomba Branca (1975)
  • Só Deus Sabe (1975)
  • Esquina de Rua (1976)
  • À Beira Mar (1977)
  • Até o Rei ia ao Fado (1979)
  • Saudades de um Arraial (1980)
  • O Fado que eu Canto (1982)
  • Não Mexam no Fado (1985)
  • Fado (1991)
  • O Nosso Amor Está por um Triz
  • Desejos
  • Este meu Fado (2000)
  • Ser Peregrino (2007)
  • Entre nós e o Fado (2010)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]