Castelo de Montsoreau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fachada interior do Castelo de Montsoreau com a sua torre renascentista.

O Castelo de Montsoreau (em francês: Château de Montsoreau) é um palácio francês de estilo feudal e renascentista que se situa ao longo do Loire, na comuna de Montsoreau, departamento de Maine-et-Loire, junto à estrada que liga Fontevraud-l'Abbaye a Candes-Saint-Martin. Inicialmente desempenhava o papel de fortaleza estratégica, controlando o tráfego entre os Rios Chinon e Saumur.

O Castelo de Montsoreau foi classificado como Monumento Nacional pelo Ministério da Cultura francês em 1862[1].

História e Arquitectura[editar | editar código-fonte]

O Castelo de Montsoreau visto da estrada.
Detalhe da fachada interior com a torre renascentista.

O nome de Montsoreau aparece pela primeira vez numa carta, datada de 1089, sob a forma "castrum de Monte Sorello"[2]. Era então propriedade de Guillaume de Montsoreau, vassalo dos Condes de Anjou. Em 1152 foi cercado por Henrique II Plantageneta.

Em 1213, o castelo passou para a família Savary – na sequência duma união entre esta família e os Montsoreau – e depois, em 1374, para a família de Craon, Viscondes de Châteaudun[2]. Passou em seguida para a família Chabot e, por fim, para a família de Chambes por ocasião do casamento de Jeanne Chabot, herdeira, e Jean II de Chambes no dia 17 de Março de 1445.

O Castelo de Montsoreau junto ao Loire.
Entrada para o castelo.

Foi Jean de Chambes, conselheiro do rei de França Carlos VII, quem mandou construir o actual castelo no século XV. O logis apresenta uma fachada sobre o Loire e uma outra sobre o pátio interior, onde se pode ver uma característica torre renascentista.

Alexandre Dumas tornou célebre o nome de Monsoreau (ortografado sem t) no seu romance La Dame de Monsoreau, baseado nas escapadelas amorosas de duas senhoras que ocupavam o castelo durante o reinado de Henrique III. A história pôs em cena os amores contrariados de Diane de Méridor, de seu nome verdadeiro Françoise de Maridor, esposa de Charles de Chambes, Conde de Monsoreau, e do seu amante Louis de Bussy d'Amboise.

Após a revolução francesa, o castelo foi dividido entre vários proprietários. As salas acabaram por ser utilizadas como locais de habitação e como espaços de armazenamento, até que finalmente o edifício se tornou decrépito.

Até ao final do século XIX, o castelo esteve abandonado e em ruínas. Em 1862 foi classificado como monumento nacional, embora as fotos da época o mostrem num estado de abandono significativo, com portas e janelas partidas e terrenos mal cuidados. O antigo recinto do castelo foi inscrito como monumento histórico por decreto de 6 de Outubro de 1938, embora o castelo renascentista já tivesse sido listado em 1862. Os restos da capela foram inscritos em 3 de Dezembro de 1930. O Palais de la Sénéchaussée, situado no antigo recinto do castelo, foi inscrito a 6 de Outubro de 1938[3].

Hoje em dia, tendo sido objecto de extensas obras de renovação, é propriedade do departamento e abriga o Musée des Goums Marocains, encontrando-se, portanto, aberto ao público. A administração está nas mãos duma empresa privada. Em 2001, após obras de conservação, o edifício foi reaberto sob o lema Les imaginaires de Loire (Os imaginários do Loire). O visitante fica imerso, através duma visita audio-visual, na paisagem do Loire no Anjou, com a sua história cultural, económica e social.

Referências

  1. Classificação do Castelo de Montsoreau na Base Mérimée do Ministério da Cultura
  2. a b Montsoreau, résidence d'apparat des bords de Loire, Georges Bernard, in Moyen Âge, n° 63, p.16-22, ed. Heimdal, 2008.
  3. Base Mérimée

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Castelo de Montsoreau
Château de Chambord Palácios do Vale do Loire Château de Chenonceau
Amboise • Angers • Azay-le-Rideau • Blois • La Bourdaisière • Chambord • Chaumont • Chenonceau • Châteaudun • Cheverny • Fougères-sur-Bièvre • Langeais • Loches • Menars • Montsoreau • Plessis-Bourré • Le Rivau • Saumur • Sully • Talcy • Troussay • Ussé • Valençay • Villandry • Villesavin